Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Descobertas de Adolescente



 




E assim meu corpo foi se formando e eu me descobrir mulher.
Sempre em momentos de solidão aos poucos fu descobrindo os prazeres da masturbação.
 Nunca mais parei!
 Era mais do que normal, eu me trancar no meu quarto e me masturbar por horas.
Meu corpo e minha mente me levavam a um plano surreal que o êxtase sentido era como uma transa real a dois sentia orgasmos intensos.
Por muitas vezes nem era necessário tocar-me, bastava visualizar cenas de sexo que meu corpo soltava ondas de puro prazer.
O contato de minhas coxas fechadas já era mais que suficiente para o prazer máximo que eu atingia sem muita demora.
Foram varias vezes que eu em meu trabalho sentia a necessidade de trancafiar-me no banheiro e aliviar as tensões de meu corpo.
Em poucos minutos meu corpo sentia ondas de calor e êxtase, passados gemidos e convulsões sentia-me com renascida.
Lavava minhas mãos para abrandar o cheiro adocicado de meu gozo e voltava ao trabalho.
Uma fênix renascida do prazer.
Sentia-me como uma pluma embalada ao desejo do vento.
Meu corpo e minha mente exigiam, era algo que eu não podia controlar.
Meus desejos e anseios de adolescente.
O tempo foi passando e com isto fui conhecendo verdadeiro sentido das palavras sexo.
Os anos foram passando.
 Fui crescendo e cheguei numa fase da minha vida em que fiquei literalmente viciada em masturbação.
 Já não era mais só o travesseiro que me consolava, aprendi na internet que se eu esfregasse meus dedos ou colocasse uma ducha de água na parte superior da vagina, sentiria os orgasmos.
 Meu clitóris é daqueles que os americanos chamam de “big clit”.
 É um clitóris grande que quando estimulado, chegava a ficar exposto, parecendo um pequeno pênis de tão durinho que ele ficava.
 Quando em gozo, ele fica latejando e se contraindo até quase desaparecer nos meus lábios da vaginais.
 O tempo foi passando e eu me descobria uma pessoa fogosa e super.  sensual até que...
Conheci um homem que supostamente iria mudar radicalmente minha vida. Edgar um cara muito bacana que em pouco tempo me apaixonei.
Foram poucos meses e já estávamos juntos.
Morávamos em uma pequena quitinete dividíamos as despesas.
Só não contava que Edgar iria me deixar por muito tempo só, pois trabalhava com representações.
E voltando aos meus bons tempos de adolescência me masturbava seguidamente.
Assim obtinha o meu prazer solitário.
Um dia estava em meus momentos solitários e eis que surge na porta do quarto meu namorado Edgar que surpreso olhava-me enquanto me masturbava deixando-me saciada e feliz.
Edgar surpreso exclama meu nome, envergonhada de ser pega no meu melhor momento de prazer enrubesço e nada digo.
Ele notando meu embaraço apenas sorriu falando com voz calma.
Ah minha querida, ainda bem que você se contenta com prazeres solitários.
Eu pensando em bobagem...
Segurando em meu rosto me dá um beijo e naquela noite tivemos uma das melhores transas de todos os nossos dias juntos.
Prazeres sentidos em momentos de solidão era apenas alento para sufocar a saudade de meu corpo e de meu coração.
-Edgar meu querido e amado namorado.


    *Docecomomel(hgata)  
Visitem meus blogs






segunda-feira, 18 de março de 2013

Desabafo de uma mulher casada e infeliz.





A rotina da vida a dois é um dos maiores motivos de separação entre os casais modernos.
A busca constante da autoafirmação e os prazeres carnais deixam sempre um pouco de insatisfação pessoal afetivo amoroso.
O homem em seu dia a dia tenta completar-se com fugas e traições.
Sua esposa e dona de casa dedicam-se aos filhos marido e casa.
Mas em sua totalidade sentem um vazio.
Falta o arrebol do sexo dos tempos de outrora quando o casal dividia seus momentos em transas espetaculares.
Sem importar-se que poderia chegar alguém ou se as crianças poderiam acordar.
Todo dia o sexo era realizado.
O casal não media esforços para ficarem sempre em conjunção afetivo e os prazeres carnais completavam seus dias de alegria.
O tempo foi passando as crianças cresceram os cabelos foram  enfraquecendo-se e a rotina foi inevitável.
Elza não media esforços para continuar jovem e bonita aos olhos de seu marido Marcos.
Academia sauna, aulas de dança e caminhadas.
Seu corpo tipo mignon chamava atenção por onde passava.
Seus cabelos longos com pequenos fios dourados davam um semblante serio, mas seu sorriso sempre presente em sua face jovial e bela.
Seu querido e amado Marcos sempre trabalhando tentando conquistar altos cargos na empresa multinacional, não acordava para a realidade que ocorria no seio de sua família.
Sua esposa estava só.
E como uma andorinha só não faz verão... Elza caiu em total descontentação.
Precisando de um terapeuta familiar. Com muita conversa
Franca e divertidas Elza finalmente resolveu confidenciar-se seu drama intimo com seu terapeuta.
Emerson um jovem em ascensão profissional, bonito solteiro e muito dedicado a seus pacientes viu-se envolvido emocionalmente com a sua mais nova paciente e amiga Elza.
com aquele desabafo Emerson ficou pasmo.
E sem querer ficou excitado, sua paciente e amiga queria um homem que lhe desse carinho amor e muito, mas muito sexo mesmo.
-Elza e seu esposo Marcos?
-Vocês não transam?
- Emerson entenda eu vou continuar vindo a suas sessões de terapia, mas na verdade o que eu preciso não é de conversas e conselhos.
-Emerson eu preciso mesmo é de um macho pegador que me faça sentir viva. Que me faça vibrar entre seus braços, que me leve à exaustão do me corpo, que me ame que me chame de sua.
Claro que temos sexo, mas é sexo morno sem grandes expectativas de orgasmos múltiplos como era em tempos de outrora. Marcos nem se preocupa mais com preliminares, fica quase só no papai e mamãe e gozou já sai de cima e dorme.
-E falando desta forma Elza me abraça e começa um choro profundo.
 Sinto o calor de seu corpo. Meus sentidos de homem me colocam em alertei estava seguindo para um caminho sem volta.
 Minha paciente carente eu distante de minha família.
 Apenas unir útil ao agradável em segundos nossas bocas se uniam em um longo beijo.
Adrenalina a mil começamos a nos beijar que nem dois loucos.
O tesão tomou conta da minha sala, ainda bem que era a ultima paciente e fazia poucos minutos  que minha secretaria havia dado boa noite. Era só eu e Elza minha paciente carente de afeto e sedenta de sexo.
 Enquanto nos beijávamos Elza acariciava meu cacete sobre a calça social, mas em minutos estávamos sem roupas meu divã iria ser usado como cama. Elza abaixou-se a começou a punhetar eu sentia prazer  a cada momento a dureza de meu cacete em suas delicadas mãos.
Aquelas sensações me levavam ao delírio.
Elza abocanhou meu cacete e mamava com muita vontade.
Ela sentada no divã conseguia chupar com total desenvoltura meu cacete que ia fundo até sua garganta.
- Que era profunda.
 Ela babava e mordiscava meu cacete aqueles preciososmomento eu sentia-me a mercê de uma mulher carente e sedenta de sexo.O sexo ansiado e desejado pareciamos  selvagens.
Eu segurava em sua cabeça e forçava mais fundo meu cacete garganta adentro.
Lágrimas escorriam de seus olhos, a baba descia pelos cantos da boca e Elza não soltava me olhava implorando sexo.
Senti meu cacete se avolumar e disse que ia gozar a excitação era demais.
Ela tira meu cacete da boca e pede para gozar em sua cara.
Parecíamos que éramos outras pessoas o êxtase deu lugar ao nosso lado vulgar.
Eu com uma paciente e Elza com seu terapeuta e amigo de seu marido.
Joguei para o espaço o que mais preservava que era a moral a ética o caráter e o respeito.
Era algo mais forte que nós e pensando assim explodi em um gozo.
Despejei vários jatos de esperma na cara de Elza, entre seus seios e ela esfregava por todo seu corpo. Uma verdadeira mundana.
Olhei em seus olhos e vi um brilho de satisfação. Coloquei-a deitada no divã com as pernas abertas e comecei a provar de sua xoxota que parecia que brotava mel.
Seus fluidos encharcavam meu rosto.
Deliciosamente safada senti seu gozo.
Ambos provamos do sexo selvagem. Sem limites.
Fomos até banheiro tomamos um banho rápido e voltamos para minha sala.
Elza com olhos arregalados não deixava de olhar meu cacete que parecia um porrete de rígido.
-Venha meu amor terminar nossa sessão de terapia.
-Elza soltou uma bela gargalhada e disse que terapia hein...
Botei-a de quatro (4) e recomecei a encostar o cacete na xoxotinha lisinha e molhada.
Ela sentiu a firmeza travou um pouco e logo relaxou comecei uma seria de estocadas que pareciam um bate estaca. Elza rebolava e pedia mais força.
Senti seu gozo. Sua xoxota ficou mais molhada ainda.
Tentava lhe dá o máximo de prazer metendo incessantemente.
Dava leves tapas em sua bunda tentando segurar meu gozo máximo possível.
Quando Elza gozou novamente me pediu entre gemidos...
Gosa no meu rabinho amor... Goza.
Tirei meu cacete de sua xoxota gozada e comecei a forçar em seu cuzinho.
-Isso meu taradão come tua cadela come...
-Ai que delicia.
-E Elza rebolava sem parar forçando mais ainda de encontro a meu cacete. Quando senti que cabeça tinha passado forcei um pouco mais e seus gemidos de  prazer eram como se fossem musicas.
Elza pedia de um jeito que parecia que o mundo ia acabar e seria sua ultima foda.
Segurei em sua cintura e forçando mais e mais estocava meu cacete todo que os sons de meus quadris em sua bunda soavam alto pela pequena sala.
-Toma Elza não e cacete que você quer toma mata teu desejo... Toma vadia safada.
-Ah que delicia me xinga,  maltrata tua puta, me xinga bate na minha bunda bate que vou gozar.
Aqueles momentos prazerosos nos deixavam alucinados.
 Não sou nem um jovem inexperiente, mas aquela trepada estava sendo uma das melhores que já tive na minha vida.
 Nem de longe parecia ser aquela mulher casta casada e amiga que eu sempre soube reconhecer.
Era outra pessoa pedindo sexo.
 Sexo selvagem sem limites que não seja exclusivamente o prazer.
Aquilo mexeu muito minha cabeça.
E ficamos no clima da safadeza até que não aguentei mais e explodi em um gozo.
Elza parecia à encarnação de uma prostituta.
Enquanto sentia meu gozo.
Ela olhava para trás e com um olhar de safada pede meu cacete para limpar.
Forço mais uma estocada e com as pontas dos meus dedos a faço gozar. Nossos corpos em convulsão.
Ficamos inertes por alguns minutos, logo depois ficamos abraçados no estreito divã.
Elza não poderia deixar de desempenhar seu papel de mundana. Retirou a camisinha e cuidadosamente me chupou deixando meu cacete todo limpinho.
Uma expert  em deixar um homem preso na armadilha do sexo.
Passado algum tempo Elza me olha e diz.
-Ah esta foi a melhor sessão de terapia que tivemos, com certeza não será a ultima.
-Claro sempre terá seu  ultimo horário as 4ª feiras está bom.
-Claro meu querido e se por algum motivo quiser sessão extra posso marcar?
-Claro estarei sempre aqui para servir e deixa-la saciada e feliz.
-Tenho certeza que meu marido vai gostar e agradecer pelo tratamento e será muito bem pago!
Espero... Espero.
-Assim acabou a sessão deixando minha paciente calma feliz e relaxada  saiu deixando agendada a consulta da semana seguinte.
Como dizem por aí quem não dá assistência abre vaga para concorrência.
“Então maridos cuidem de suas esposas e vice versa.”

Docecomomel(hgata)
Não confundam autor com sua obra...Mas podem deduzir é claro
Imagem do google

terça-feira, 12 de março de 2013

Marcão, Um bem dotado!








Olá sou Marcos, mas meus amigos me deram o codinome de Marcão...
Eu nem sei ao certo porque este codinome eu até que não sou muito alto, mas em compensação quem já provou do meu cacete acha bem dotado.
Afinal sou negro e como tal não fujo a regra de minha raça.
Eu sou um cara muito ativo tenho namorada e transamos sempre, mas outro dia eu sair com alguns amigos para uma despedida de solteiro e ficamos em uma boate até tarde.
Quando eu fui ao banheiro encontrei um cara lá que ficou um tempão olhando para o meu cacete.
Eu estava meio alto por causa da bebida e falei segurando no meu cacete...
Gostou?
Então segura.
E não é que o cara segurou no meu cacete e ainda disse que delicia de mastro quer dá ele pra mim?
E falou... Te espero lá fora no meu carro.
Senti um tesão danado com estas palavras eu adoro comer um cú, mas eu nunca tinha saído com um homem.
Mas fiquei alucinado de excitação e curioso.
Meus amigos já tinham todo ido embora e teria que ir de taxi.
Assim que paguei a conta e sai da boate vi um carro fazer sinal de luz e parar bem junto a mim.
-E aí bonitão vai topar?
Quer uma carona?
Aceitei de imediato e o cara que vou chamar aqui de Luigi saiu em disparada cantando pneus, calma cara que pressa é esta?
-Não é pressa é tesão antes que você desista de sair comigo, me diz coisa quer ir para um motel ou prefere meu Apê.
O que você decidir está bom para mim afirmei!
Então vamos para meu apê ficamos mais a vontade e não temos cronograma!
Assim Luigi dirigiu-se para um bairro nobre e chegando em frente a um edifício de apartamentos luxuosos acionou a garagem e entramos.
Fomos até elevador como dois amigos sem querer indagar nada ele olhou-me e falou.
Cara você é uma pessoa muito simpática pode ficar tranquilo eu moro com meus pais, mas eles estão viajando pela Europa temos o apartamento só para nós.
Pode ficar tranquilo.
Respondi com calma tudo bem estou tranquilo e muito curioso, pois não te disse nada, mas eu nuca comi um macho espero que a falta de experiência não te incomode.
Incomodar?
Acho maravilhoso isto, então serei eu teu professor de putaria. rrrsss
- Calma cara não sou donzelo, mas sou ativo tá?
Entramos e Luigi fechou a porta e me ofereceu um uísque, eu aceitei e fui me sentar em um sofá.
Luigi tirou a camisa o tênis e veio com dois copos na mão ficamos conversando e Luigi sempre se aproximando até que deixou o copo de lado e ajoelhou-se a meus pés.
Ficou apalpando sobre minha calça meu cacete que ficava cada vez mais duro. Foi quando abri minha braguilha e soltei meu cinto e minha calça foi parar no chão.
Luigi deixou-me tomar conta da situação, com uma das mãos segurava meu cacete e com a boca lambia cada pedacinho do meu corpo. Em minutos comecei a socar meu cacete goela abaxo do safado.
Eu segurava em sua cabeça e forçava meu cacete que ate fazia-o engasgar ele gemia, mas não deixava de chupar meu cacete ate parecia um bezerrinho desmamado.
Eu forçava meu cacete garganta adentro e ele não parava de mamar.
Eu levantei e Luigi também e pedi que tirasse sua calça e vi sua bundinha lisa fiquei com mais tesão ele ia tirando a cueca eu o impedi e puxando para que ficasse em pé a minha frente coloquei sua cueca atochada no rego da bunda e fiquei mordiscando seu pescoço, suas orelhas e apalpava sua bunda lisa sentindo cada vez mais tesão.
Fiz o Luigi ficar de quatro e fui apertando sua bunda dava leves tapas e sentia seu desejo a flor da pele.
Afastei sua cueca para o lado e segurando em sua cintura enconchava.
Ele rebolava encostei meu cacete na porta de seu anel e senti um calor. Dei uma forçada só para ver a elasticidade Luigi gemeu.
Ai tive a certeza que estávamos prontos coloquei a camisinha Luigi me deu uma chupada meu cacete ficou mais lambuzado, ele me passou o KY e fui melecando seu cuzinho e forçando lentamente com um dos meus dedos.
Sentia seu cú latejar.
Forcei mais outro dedo e senti todo seu êxtase em querer ser montado igual ao potro.
Falei seguro peão que você agora vai saber o que é ter um macho dentro de tu.
- Ah delicia...
-Me come... atocha este cacete lindo em teu putinho...
-Me rasga que hoje estou bandida sou seu putinho faminto por cacete.
-Encostei levemente senti que ele rebolava fui forçando sentindo suas pregas me prendendo forçava e parava ate que sinto meu cacete quase todo dentro e o safado gemia pedindo que metesse todo que arrombasse com ele.
-Ai foi demais comecei estocar incessantemente sem parar.
Luigi rebolava e gemia prazer era tanto que eu nem me ligava que estava comendo um cú de um putinho safado.
Pois o prazer era imenso que nem me lembrava se já havia sentido tanto tesão assim com alguma mulher que já trepei.
-Sentia que a cada estocada forte suas pregas comprimiam mais meu cacete,
-Aí foi à vez de Luigi gozar senti seu corpo em êxtase forcei mais algumas estocadas com mais vigor e intensidade e gozei simultaneamente.
Senti que foram vários espasmos de gozo.
Luigi ficou algum minuto com meu cacete atochado e depois pediu que eu o deixasse limpar.
Retirei a camisinha e Luigi caiu de boca no meu cacete que nem parecia que tinha acabado de gozar.
Forcei em sua garganta e logo estava despejando novamente jatos de leite na boca do putinho.
Que bebeu tudo sem deixar desperdiçar nada.
Ficamos calados, tomamos um banho fomos para cama relaxar um pouco.
Logo Luigi novamente queria cacete e como não nego fogo fiquei deitado e o safado adorou ficar trepado em minha tora negra. Ele sentia-se dono da situação subindo e descendo em meu cacete ate ficarem só os culhoões de fora.
Foi algo inusitado, mas foi uma experiência muito boa.
Continuo saindo com mulheres, mas sempre uma visita no Apê de Luigi que me apresentou a seus pais como amigo de trabalho. E tenho passagem livre para seus aposentos.
É claro que tenho também compensações, pois o Luigi a cada dia me enche de presentes e com um sorriso nos lábios afirma meu macho tem que andar cheiroso e bem vestido.
É claro que não peço nada, mas que as roupas que ganho e perfumes são bem vindos.
Prazer eu dou e sinto.


Docecomomel (hgata)
Visitem e sigam meus blogs.
http://sensacoescomeemocoes.blogspot.com.br/


Ps.Meus textos não são uma autobiografia.
São apenas ficção.
Não copie crie use sua inteligencia.


domingo, 3 de março de 2013

Safadeza no Escuro do meu Quarto









Safadeza no Escuro do meu Quarto.
Férias êta coisa boa!
É um vai e vem de primos e amigos e acabamos conhecendo muitas pessoas e temos novas aventuras.
Eu sou Marcos tenho 23 anos sou estudante sou hétreo e adoro transar.
Não deixo para fuder amanha se posso fuder em dobro hoje.
Minha prima Juliana veio passar alguns dias em nossa casa e para alegria minha trouxe uma amiguinha,
Erica uma morena de 20 anos seios de tamanho médios e um bumbum que me deixou louco de tesão.
Assim que a vi pensei vou ter que xavecar esta morena.
A atração foi mutua, pois notava seus olhares de cobiça, sempre ficávamos vendo filmes até tarde sentia seus olhares.
Uma noite estava eu minha prima e sua colega Erica vendo um filme que continha cenas sensuais que induziam ao sexo, não explicito, mas qualquer pessoa imagina o desenrolar da cena.
Fiquei bastante excitado,
Fiquei com maior tesão e via que Erica notava que meu cacete estava a ponto de explodir de tesão.
Se quiser uma fêmea não dou mole vou atrás sim.
Pois bem eu não tinha saído naquele dia porque minha namorada estava viajando. Más estava na seca fazia três dias que não sabia o que era uma xoxota. Assim aconteceu:
Enquanto víamos o filme minha prima pegou no sono no sofá e lá estava eu e Erica, no maior clima até que ela veio sentar a meu lado.
 E fazendo um sinal com o dedo indicador nos lábios para que eu ficasse calado começou um leve abraço e logo estávamos no maior amasso.
A safadinha não colocou restrições e em minutos eu estava com meus dedos enfiados em sua calcinha que estava ensopada de excitação.
Erica abriu minha bermuda deixando livre meu cacete e começou em um boquete delicioso.
Chupava e levantava cabeça me beijando
Eu sentia o gosto de meu pré-gozo em seus lábios.
Quando Erica no meu ouvido falou...Quero te dá e é agora fiquei louco de tesão.
Em silencio segurei em sua mão e a levei até meu quarto fechei a porta lentamente para que não acordasse ninguém e liguei a TV do meu quarto para abafar os ruídos.
Comecei tirando sua saia curta me ajoelhei a seus pés e cai de boca na xoxota lisinha, que parecia um capô de fusca de cheinha.
Suguei e lambi seu clitóris deixando-a louca de tesão.
Logo ela fez o mesmo, comigo chupava meu cacete todo deixando todo lubrificado.
Quando a levantei com a intenção de meter o cacete na sua xoxota ela gemeu.
Ah Marcos eu sou virgem.
-Virgem com esta idade? Pois é sou noiva na minha terra e meu noivo está no exterior temos um compromisso de esperar a noite de núpcias.
-Poxa que coisa ein¹
Afirmei com veemência, Mas Erica você me deixa louco deste jeito e agora.
- Ah meu amor... Não vou te deixar na mão, vem provar do meu mel, me faça gozar que te dou meu rabinho.
Parecia que suas palavras tiveram um efeito de um Viagra fiquei mais louco ainda de tesão.
Coloquei-a na minha cama e com suas pernas abertas cai de boca naquela xoxota gostosa.
A safada era virgem mesmo, mas de inocente não tinha nada.
Chupava e mordiscava seu grelo que o sentia tremular ente meus lábios até que Erica entrou em um estado de êxtase e gozou. Deixando-me com cara toda lambuzada de seu mel.
Foram momentos de intenso prazer poder sentir seu gozo em minha boca foi muito gostoso e por demais prazerosos. Jamais imaginei isto uma virgem de 20 anos, mas muito safada chegar ao ponto de gozar na boca para em troca dá seu rabinho. Coisa que adoro.
Assim...
Esperei ela se recompor do orgasmo e foi ficando de quatro (4), coloquei uma camisinha e com um creme deixei seu cuzinho todo lambuzado.
Com as pontas dos dedos preparei-a deixando toda a vontade de receber meu mastro rígido que estava parecendo um porrete de tão duro.
Fui me encostando de leve, ela ia rebolando esperando,
Sentindo a cabeça entrar lentamente ate que eu senti que havia passado a cabeça toda, esperei alguns minutos para que ela se acostumasse.
Ela gemia parecia uma loba no cio. Rebolava sentia em meus dedos seu clitóris latejando de tesão.
Não aquentei mais segurei em sua cintura e...
Enfiei tudo de uma vez, numa estocada só.
 Gemeu alto, mas o som foi abafado pela TV que deixei ligada.
Ela ameaçou sair debaixo de mim, segurei em suas ancas acariciando e falei que tivesse calma, acenou com cabeça um sim, arqueou as costas.
Eu me sentia no paraíso atracado com uma potranca, suas pregas latejavam, prendendo apertando mais meu cacete.
Eram sensações de intenso prazer:
Fui metendo devagarzinho e depois fui aumentando o ritmo.
A cama balançava com o movimento e num ritmo frenético.
Erica gemia e rebolava com meu cacete atochado inteiro no seu cuzinho só estavam de fora os culhões.
Enquanto metia com ritmo compassado comecei a massagear seus lábios vaginais, logo sentia seu mel escorrer entre meus dedos.
Aumentei o ritmo enfiando e metendo sem dó nem piedade. Ela gozou novamente gemendo e dizendo palavras desconexas.
Dei uma última estocada indo fundo e com um gemido que parecia mais de um animal em cio explodir em suas entranhas.
Eu estava satisfeito
.A intensidade do meu gozo deixou-me extasiado de puro prazer.
Ofegante ainda ficamos atracados alguns segundos até que meu cacete saísse gradativamente do seu cuzinho que ficou bem... Digamos arrombado, mas nada que não pudesse voltar ao normal.
Ficamos abraçados na cama ,Sentindo uma leveza em nossos corpos.
Estávamos exaustos, mas ligeiro nos recompomos em mais uma sessão de sexo, que mocinha virgem boa de boquete,
Erica deu-me aquele trato que foi imprescindível deixa-la sorver do meu leitinho.
Que por sinal adorou que não deixou desperdiçar nem sequer uma gota.
E assim foram 15 dias de ferias que Erica ficou em minha casa e nem sequer um dia deixamos de transar.
Não tínhamos horário bastava surgir um tempo livre entre nós dois que acabava na sacanagem...
Êta delicia não gosto nem de pensar na safadeza que fomos capazes de fazer no escurinho do meu quarto.
Erica safadinha foi embora e logo se casou com seu noivo corno que veio do exterior não perdemos contato e com pouco tempo de casada ela veio a minha cidade e passamos uma tarde no motel.
Ai sim eu pude foder sua xoxota gulosa.
Depois relato como foi nossa tarde de pura sacanagem:


Docecomome(hgata)
"Não confundam o autor com sua obra"
Vejam meus blogs
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/
http://desejosdeinsanos.blogspot.com.br/
http://noisdafeira.blogspot.com.br/
http://sedentosdesexo.blogspot.com.br/
Imagem do google

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...