Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Dei Corno...Na Minha própria cama!


Ola ando um pouco ausente é que estava com visitas e nas horas vagas saiamos para mostrar minha cidade para o casal de amigos que estavam me visitando.
Adorei recebê-los em minha casa.
Resultou até em uma aventura deliciosa que vou relatar logo a seguir.
Jailton e Olga são um casal que conheci através da web.
Eles moram juntos há dois anos não tem filhos e são adeptos a pratica de swing.
Nosso primeiro contato foi através dos meus blogs.
Olga deixou um comentário em um dos meus contos, assim começamos a teclar pelo MSN.
Como eles iriam entrar de férias falaram-me que poderiam visitar-me.
Concordei é claro, mas jamais passou pela minha cabeça que a visita resultaria em uma aventura bem gostosa com muita safadeza.
Foi uma loucura, mas foi prazerosa demais.
Um dia após a chegada do casal eu e meu marido fizemos um jantarzinho intimo com mais um casal de amigos.
Comida simples conversa animada vinho... Olhares insinuosos da parte de Olga para o meu marido Marcos.
Jailton não se importava com a insinuação de sua esposa perante o meu marido.
 Olga insinuou-se perante o jantar inteiro fiquei meio constrangida, mas disfarcei para não causar cenas de ciúmes.
Depois de meia noite o casal convidado foi embora.
Jailton é um cara branco, olhos verdes, cabelos castanho e gordinho.
O oposto do meu marido que é moreno alto com olhos pretos e cabelos também pretos.
Após o jantar fomos dá uma geral na casa.
Quando Olga falou que iria ao primeiro andar trocar de roupa nem dei importância e fiquei colocando algumas coisas no lugar.
Meio distraída assustei quando Jailton me abraçou por trás e com um sussurro em meu ouvido disse-me.
Marcela você não se importa que seu marido esteja lá em cima transando com a Olga minha mulher?
O que você disse?
Isto mesmo que você ouviu, Olga subiu com desculpa que iria trocar de roupa e Marcos foi onde?
Ah ele disse que iria pegar uma aspirina.
Ah sei... Bem aspirina que ela foi buscar, venha, mas faça silencio quero que você mesmo veja.
E pegando pela minha mão fomos em direção à escada que dá acesso ao primeiro da andar de minha casa. Na porta do quarto de visita me fez sinal de silencio e abriu a porta devagarzinho.
Fiquei estupefata ao ver Marcos com as calças arriadas metendo com vontade em Olga que parecendo uma safada rebolava gemendo muito recebendo o cacete de Marcos na xoxota.
Ah Marcos que delicia meu pauzudo...
Sabia que você é bem safado, vai mete gostoso na tua putinha...
Vai meu tesudo.
Que cacete cabeçudo... Ah delicia.
E com corpo apoiado na cômoda Olga estava sendo fodida pelo Marcos.
Que descaradamente dizia...
Ah Olguinha que xoxota gostosa apertadinha...
Ah... Que delicia vou te encher de leite.
Minha puta gostosa.
Olga rebolava pedindo cacete, vai mete gostoso safado anda...
Que preciso descer logo.
Antes que tua mulher desconfie.
_Ah que nada ela nem imagina que eu subir aqui com desculpa de pegar remédio para dor de cabeça...
Mas a cabeça que doía mesmo era a de baixo com vontade de fuder você puta.
Segura gostosa que já vou te encher. Que delicia de mulher safada você ein!
-Vi Marcos dá uma sequencia de estocadas e avisando que ia gozar.
-Olga retira cacete pedindo.
-Ah meu tesão dá aqui na boquinha dá.
-Ajoelhou-se e segurando o cacete de Marcos que começou a exporrar na boca de Olga, Que parecia uma bezerrinha desmamada sugando toda seiva do cacete de Marcos que safado segurava com força a cabeça de Olga de encontro a seu cacete.
_Quando Marcos afirmou sempre quis fazer uma garganta profunda... Aí que delicia!
-Não quis ver mais nada e assim que ia saindo Jailton...
Marcella espere!
Vamos dá o troco na mesma moeda, e dizendo isto segurou minha mão em direção a seu cacete rígido.
_Sentiu meu tesão por você?
_Eu já sabia que Olga ia fuder com Marcos, é natural dela mesmo eu nem ligo, pois temos uma cumplicidade onde não limite a nosso prazer.
Você entende Marcella?
Olga sentindo prazer também sinto, pois sei que a deixa feliz.
Eu me senti traída, mas, tomei a decisão de ir para cama com Jailton, já que Marcos não respeitou nosso lar, também farei o mesmo.
Assim depois de alisar o cacete rígido de Jailton o segurei pela mão e levei até meu quarto.
Entramos e com a porta fechada começamos a nós beijar.
-Jailton ia descendo seus lábios pelo meu pescoço, ombros e tirando minha roupa delicadamente acariciava todo meu corpo que já estava ardendo em brasa de tesão.
-Jailton percebendo isso começou a elogiar-me dizendo que era linda e gostosa, que deveria viver a vida me entregando aos prazeres do meu corpo.
-E eu me entreguei aos apelos do meu corpo que clamava por sexo. Jailton já sem roupas ficou em pé abraçada a mim e com um movimento me segurou no colo.
Uau... Que delicia sentir seu cacete esfregando na minha xoxota encharcada.
Com um sorriso bem malicioso, Jailton foi conduzindo toda situação.
Eu em seu colo com as pernas enganchadas em sua cintura senti seu cacete grosso me invadir as entranhas.
Soltei um sonoro gemido que ecoou pela casa. Não foi de dor, mas de um prazer intenso. A posição inusitada deixou-me enlouquecida de tesão.Jailton estocava com força, eu sentia sua rigidez me preenchendo .
*Me enlouquecendo de tesão. Jailton me levou ate a cama e  deitando por cima com  cacete atochado na minha xoxota estocava com força.
Ao longe ouvíamos vozes.
Nem cogitei que poderia ser Marcos a nossa procura.
Eu estava no meu melhor momento ,o clima de minha primeira traição dentro da minha própria casa.
Mas quem provocou não fui eu, só preciso aproveitar a sequencia dos fatos.
Eu uma mulher simples, dedicada sendo desejada por outro macho, que elevava meu astral com elogios.
-Se entregue Marcella de corpo e alma aos prazeres de seu corpo.
-Minha querida você é muito gostosa seu marido não sabe despertar em ti o vulcão de mulher que está adormecido.
Se entregue meu amor.
 -Eu me calei e começamos a nos beijar, chupar, a língua um do outro.
-Ele chupava meus seios que logo ficaram durinhos, e rígidos de excitação.
-Comecei e gemer gostoso implorando prazer.
-Ah... Jailton me ame!
-Ah meu tesão me fode gostoso!
-Ah meu macho me chupe... Faça-me gozar muito.
-Pois bem sabes essa è a primeira vez que traio o meu marido.
-Aquele safado, que transou gostoso com a tua mulher.
- Vamos querido fode gostoso.
-E ele sempre me perguntando.
 -Se estava gostando, de receber seu cacete grosso na xoxota.
-Eu nem respondia com palavras, meu gemidos eram suficientes como respostas as indagações.
-Depois de alguns minutos com estocadas sucessivas explodi em um gozo. Com tanta intensidade que meu corpo parecia que estava tendo uma convulsão.
  -Eu queria aproveitar para sentir e dar todo prazer que o momento poderia nos oferecer.
-Jailton ficou deitado de costas eu fui de frente para ele me sentando no seu cacete e comecei a cavalgar gostoso.
-E a cada momento eu me perguntava por que nunca tinha sentido tanto prazer assim com Marcos.
- Jamais me liberei tanto assim na cama.
-Com corpo embalado pelos carinhos de Jailton, eu logo gozei novamente, mas continuei rebolando ate que ele explodisse em um gozo dentro de mim.
-Ficamos abraçados com respiração ofegante fazendo juras de ternos momentos de prazer.
-Até que o celular de Jailton tocou sucessivamente e vi um sorriso em seus lábios.
-Jailton voltou a me abraçar e falou.
-É a Olga dizendo que já terminou a sessão com teu marido que está todo  preocupado te procurando.
-Apenas sorri e disse deixa ele se preocupar... Aqui onde estou está bom demais.
-Fomos tomar um banho...E no Box do banheiro gozei na boca de Jailton.
- Que pela primeira vez me ensinou como é bom se entregar a outro macho sem sentimentos de culpa.
-Apenas prazer nada mais que isto.
-Logo não demorei muito eu gozei novamente ao embalo das estocadas de Jailton que me encheu de leite.Nem camisinha desta ultima vez usamos.Foi irresponsabilidade,mas aconteceu.
-Ah que delicia gozar dentro de você Marcella.
- Eu apenas sorri me levantei, lhe dei um beijo.
-E banhada e saciada fui à procura do meu marido Marcos “O meu corninho”

Docecomomel (hgata)
Imagem do google
“Não confundam o autor com suas obras”
Vejam meus blogs

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Transando Gostoso na Cachoeira !







Tenho um primo que quer a todo custo provar que é um machão, mas bem sei que isto não é verdade sei que é bi-sexual, mas não assume publicamente
*Na realidade ele é filho adotivo de minha tia mas como o conheci desde pequeno o chamo de primo ,mas não tenho laços de sangue com ele.
Isto  não interfere no companheirismo .
Nada contra os gostos e preferências dos outros, sei que a sexualidade é fator fundamental na vida.Então respeito suas opções,afinal isto não me diz respeito.
 Mas como vou passar férias no interior e em sua casa já vou prevenido se Carlos me der espaço, claro que vou gozar muito na bundinha  gostosa dele.
Sou igual a um tio meu que sempre afirma, se abriu pra mim estou dentro o que quero mesmo é foder e gozar muito.
Cheguei a Juazeiro um pouco tarde da noite e lá estava meu primo Carlos esperando-me na rodoviária.
Com um abraço apertado nos cumprimentamos fazia quase um ano que não nos víamos.
Carlos era um rapaz de 19 anos,alto e forte com musculatura de quem faz academia tinha olhos castanhos,cabelos compridos amarrados.
Sua roupa preta destacava-se das demais pessoas.
Um cara bem apessoado pode se dizer assim, acredito que as moças da cidade andam louquinhas por ele.
-Ah e ainda participa de uma banda, toca guitarra.
-Bem fomos pra sua casa e minha tia estava a nossa espera ,depois de beijos e abraços e de contar as novidades da família,minha tia me alojou no mesmo quarto que Carlos.
Minha tia foi logo dizendo vou deixar vocês no mesmo quarto afinal vocês homens devem ter muita coisa para conversar.
Na verdade fiquei meio incomodado e pedi desculpas a Carlos por está invadindo seu espaço.
- Esquenta não primo, só espero que não se incomode que fico às vezes até tarde no computador.
-Ah primo eu também fico e trouxe até meu notebook.
- Legal primo adoro ver vídeos e fico até tarde vendo muitos vídeos irados.
 Naquela noite eu fui dormir mais cedo do que de hábito, pois estava muito cansado da longa viagem.
Eu não me incomodei com Carlos que ficou vendo os seus vídeos de preferência, mas ao mesmo tempo fiquei curioso de ver os tipos de vídeos que meu primo apreciava.
Como estava cansado apaguei ligeiro caindo em um sono profundo, mas tenho sono leve e já de madrugada acordei e vi que meu primo só assistia vídeos homossexuais, com Emos e surubas.
Claro que fiquei observando ainda meio sonolento, mas a surpresa me fez fingir que dormia.
Carlos assistindo seus vídeos estava super excitado, como já estava pronto para dormi estava só de cueca.
Caramba o rapaz colocou seu membro pra fora e começou a alisar o cacete, vi que era um cacete com tamanho mediano, lisinho sem pelos e com cabeça normal.
Porque todos sabem que algum homem tem uma chapeleta que parece mais um cogumelo.
Eu mesmo sou assim.
Carlos na solidão da noite masturbava-se.
Sussurrava palavras e punhetava com muita vontade, gemia baixinho, mas me pareceu que precisava de algo mais para estimular e gozar...
Entendi que minha presença o inibia, mesmo dormindo ou fingindo-se dormir. rsrsrsr
Assim quando Carlos levantou-se deixando a cueca cair até o chão e foi até o guarda roupa e pegando algo de lá de dentro indo em direção ao banheiro, deixou-me curioso.
Fui devagarzinho observar silenciosamente o que meu primo estava fazendo.
Minha surpresa só não foi maior que o consolo que meu primo estava metendo no rabo!
Sim... Isto mesmo ele estava em uma posição que parecia um contorcionista com uma mão alisava o cacete que estava teso de duro parecendo um arco apontando para o seu umbigo.
E com a outra mão metia o vibrador, gemendo como se tivesse sendo penetrado por algum macho.
-Caramba esta cena eu não esperava, pior foi à surpresa de ouvi-lo implorando no faz de conta de seu desejo que eu o comesse.
Ah... Primo mete gostoso...
Vai arromba com meu rabo...
 Assim delicia...
Goza fundo...
-Vai primo arromba com as pregas de teu primo gay...
-Ah primo que delicia assim mete gostoso que vou gozar com teu cacete explodindo no meu rabo...
 -Ah que deliciaaaaaa...
-Aí já sabe só ouvi gemidos e meu primo conseguir finalmente gozar.
_Sai rapidamente da porta do banheiro, mas a cena mexeu comigo estava super excitado, afinal eu adoro comer um rabo.
Fiquei cheio de vontade, mas amanha pensarei o que fazer.
Bem é melhor dormir que o dia de amanha promete.
 Virei-me e fiquei pensando bobices até o cacete abaixar e pegar no sono, mas de uma coisa tive certeza iria comer meu primo no outro dia mesmo.
Logo no café da manha fui diretamente falando e aí primo onde tem umas gatas para você me apresentar, para onde vamos hoje-.
-”Podemos ir numa cachoeira, mas as gatas só de noite, para ir para cachoeira só de ‘bike”, vou chamar um colega ele tem duas bicicletas aí pego uma emprestada para você.
-Está ótimo será bom curtir ao ar livre uma manhã de sol maravilhoso.
Assim que tomamos nosso café fomos à casa do amigo de Carlos que emprestou a bicicleta.
Saímos pela rua tranquila da cidade indo em direção ao campo.
Pedalamos uns 30 minutos e chegamos à cachoeira.
Carlos nem se preocupou em ficar de sunga pelado mesmo se jogou na água.
De dentro da água me gritava, venha primo aqui só vem gente final de semana pode tomar banho pelado mesmo.
Nem me importei e cai na água fria sem roupas também, dei longas braçadas percorrendo todo pequeno lago, que se formava abaixo da cachoeira.
Depois de um bom tempo conversando com Carlos sem querer me esbarrei em sua bunda, senti um leve arrepio de excitação e meu cacete ficou rígido.
Procurei disfarçar saindo de perto de Carlos, mas parecia que meu cacete não queria abaixar.
Carlos notou minha inquietação, indagou que foi primo aconteceu alguma coisa?
Sem conseguir que meu cacete abaixasse, pois estava cheio de excitação, queria mesmo enrabar meu primo desde o momento que o vi socando vibrador em seu rabo. Não omitir e falei com sinceridade.
_ Bem Carlos é o seguinte eu vi você ontem a noite e. Desde então não paro de pensar em te comer,veja como estou!
-Dizendo isto segurando meu cacete que estava super-rígido parecendo uma barra de ferro. Carlos meio sem graça e envergonhado abaixou a cabeça e olhando em meu cacete falou.
-Bem primo já que você viu não posso desmentir nada, eu gosto de mulher adoro comer uma xoxotinha, mas adoro receber um cacete sinto múltiplos prazeres com um cacete atochado no meu rabo.
Não vou negar e não posso negar isto a você.
Mas... Estou sentindo tesão por você também.
E sem mais palavras abaixou em direção a meu cacete e começou a chupar.
Ah Carlos que delicia, mas aqui não é perigoso alguém nós ver.
_Que nada primo hoje é dia de semana as pessoas só veem para cá em feriados ou finais de semana.
Vem cá ali tem um lugar muito bom.
Dizendo isto me segurou pela mão levando-me até uma clareira e uma arvore frondosa.
Carlos sem cerimônia começou apalpar meu cacete que já estava duro como uma barra de ferro.
Então ajoelhou-se  a meus pés e começou um boquete, até parecia um bezerro desmamado , lambia cabeça do meu cacete indo até os culhões  que babava todo cacete gemendo com muito tesão.
 Segurava a cabeçorra com os lábios e segurando com as mãos ficava sugando a babinha com uma vontade louca.
Eu estava a ponto de explodir meu gozo na sua boca gulosa, mas controlei-me, queria mesmo era atochar o cacete em seu rabo.
Carlos foi ficando de quatro de mansinho se insinuando,dizendo que queria ser comido como uma putinha.
 Coloquei Carlos na minha frente e alisando sua bunda dava tapinhas de leve,  molhei de saliva meu cacete e cuspi em seu anel.
Encostava a cabeçorra do cacete bem na entrada do furinho dele e forçava levemente ouvindo seus gemidos de prazer.
Carlos pedia gemendo e rebolando parecendo uma potranca.
 Bota amor ...
Arromba com tua priminha...Vai...
Vai amor mete essa cabeçorra na tua priminha ...
Vai me faça sua putinha ...
Enche de porra meu rabo ...Amor.
Eu sentia tanto tesão que até deu vontade de socar todo cacete de uma vez só naquele rabo,mas o prazer seria rápido,queria aproveitar cada minuto comendo meu priminho safado.
Depois que meu cacete já todo babado com boquete que Carlos tinha feito .
Eu encosto a cabeça do cacete de leve e com um suspiro lhe pergunto.
-Você quer de leve ou com força meu puto safado?
Já sabia quando o tesão é intenso não se importam que sintam dor,mas o prazer maior não é assim.Quando ele me pediu apenas dei um tapinha na bunda e lhe pedi calma.
-Me arromba de vez meu macho me faça sua putinha!
-Então bem devagar fui abrindo as pregas do rabinho daquele safado , e a cada pedaço que entrava, Carlos gemia alucinadamente rebolando no meu cacete.
Até que a cabeçorra passou assim fui lentamente.
Senti sua respiração ofegante.
Então empurrei com força até o talo Carlos gemia e mastrubava-se.
Retirei o cacete deixando só a cabeça dentro e forcei novamente até quando chegou à parte em que não entrava mais.
Estava só os culhões de fora.
Meu cacete estava atochado no rabo do meu primo que gemia parecendo uma gata no cio.
Pedindo que metesse com vontade que adorava receber leite na bunda.
Foi ai que parei de penetrar, e comecei os movimentos de vai, então aos poucos fui aumentando a velocidade, Carlos gemia muito me incitava a meter cada vez mais forte.
Eu segurava sua cintura puxando-o de encontro a mim.
Estávamos cada vez mais ofegantes, então vi que estava chegando a hora, comecei a punheta-lo, logo Carlos começou a gozar seu cuzinho começou a mastigar meu cacete, apertando comprimindo.
Então eu não aguentei e comecei a gozar dentro dele.
Seus urros misturavam a meus gemidos.
Ficamos atracados como dois animais no cio.
Depois de alguns minutos nos banhamos e voltamos à segunda parte Carlos começou a chupar meu cacete que ficou duraço e me pediu que o deixasse cavalgar.
Reclinei-me na arvore e Carlos veio sentar no meu cajado
Experiente o rapaz sentou que parecia uma putona rebolando no meu cacete.
Levantava o corpo e descia aos poucos até senti que estava todo dentro assim ficou alguns minutos quicando com meu cacete atochado no rabo.
Aí não deu outra em poucos minutos senti meu cacete pulsando.
O tesão foi maior e explodi em um gozo.
A intensidade de meu gozo foi imenso já sentia minha porra escorrendo por suas pernas.
Carlos tirou segurou no meu cacete e passou a cueca ligeiro enxugando. Logo ele começou a limpar meu cacete todo com a boca.
-Aí já viu a resposta foi de imediata nem parecia que eu tinha acabado de gozar.
Em poucos minutos enchi garganta dele de leite.
Que se deliciava dizendo que era delicioso o leitinho do primo. Bebeu todo meu leiteinho e deixando meu cacete limpo. Guloso e safado.
Relaxamos um pouco e banhados e satisfeitos voltamos para cidade. Carlos pediu sigilo pois tinha uma namorada e não queria magoa-la.Claro que concordei afinal quem come e guarda come muitas vezes.
Mas apenas o fiz prometer que... Não seria esta única vez.
Carlos com um sorriso afirmou claro primo você com um cacete gostosão deste nãovou dispensar e hoje foi à primeira vez de muitas vezes.
Fiquei quinze dias de férias na casa dos meus tios e foram quinze dias de muita foda.
Até um colega de Carlos veio participar da festinha.
E é claro adorei enrabar ele enquanto chupava o Carlos e bebia seu leitinho.
Logo voltarei lá e já vou preparado para comer muito o rabo do meu primo. Que dá uma de machão ,mas gosta mesmo é de ser putinha de macho bem dotado como eu!

Docecomomel  (hgata)
Me adcionem:www.feirabook.com
“Não confundam o autor com suas obras”
Vejam meus blogs.
Imagem do google

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Fantasias;Uma DP na praia de nudismo.



Para comemorar cinco (5) anos de casada eu e meu marido Marcos resolvemos realizar nossa fantasia.
Depois de muita conversa entre nós chegamos a denominador comum.
Achei muito bom Marcos ter concordado, para que a 3ª pessoa que iria participar de nossa fantasia fosse escolhida ao acaso.
Se aparecesse o momento não poderia desperdiçar.
Assim de malas e cuia fomos para um Resort onde tem uma praia de Nudismo.
Era um belo e ensolarado final de semana.
Eu particularmente estava ansiosa.
Afinal depois de casada nunca tinha transando com outro homem.
Mas sabia que logo isto iria acontecer eu transar com outro e ainda Marcos meu marido vendo.
Hum... Que delicia tenho certeza que vou gozar muito.
Eu e Marcos meu marido já estávamos até nos acostumando com a ideia.
Quando chegamos à portaria do resort que tem a praia de nudismo veio um senhor nos atender.
Estava completamente pelado.
Mas não demos muita atenção a este fato, pois já sabíamos que é assim mesmo.
Com poucas palavras indicou nosso chalé e passou um manual com menu de comportamento.
Em primeiro lugar assim que saíssemos de nosso chalé às dependências do resorte já teríamos que entrar no clima do ambiente, ou seja, ficar do jeito que nascemos.
Pelados!
Achei adequado... Mas senti um pouco de timidez.
Tomei um banho e passando um creme hidratante sai do banheiro apenas com sandálias e um chapéu
Marcos que me aguardava na sala assoviou e com um sorriso foi dizendo...
Minha mulher gostosa vai matar este pessoal de tesão.
_ Ah Marcos deixa de zoar que você bem sabe que precisamos seguir as normas, se por acaso tivermos atração por alguém precisamos ser discretos.
Você bem sabe que uma praia de nudismo não é um local de praticar swing.
Sei meu amor, mas tenho certeza que se você se sentir atraída por alguém terei maior prazer de participar de nossa fantasia.
Afinal é seu presente de casamento, ou seja, nosso presente.
Logo saímos em direção ao open bar, de inicio me reservei ao direito de ficar em uma mesa um pouco afastada.
Assim fiquei discretamente bebericando um suco conversando com Marcos que não parava de olhar as mulheres que por ali passavam.
Muitas pessoas de todas as idades.
Eu nunca tinha visto tantas pessoas nuas juntas nem tão pouco havia sido vista por tantos ao mesmo tempo.
Com o passar do tempo eu e Marcos já estávamos ambientados e conversávamos com duas mulheres que estavam ali próximas a nossa mesa.
Duas coroas muito simpáticas e notei que Marcos estava se insinuando para uma delas.
Silvia que disse ser viúva.
A outra amiga dela estava acompanhada com o marido que estava ausente no momento, mas estava no quarto descansando.
Olhava a todos que por ali passavam com naturalidade até que passou próxima à nossa mesa. Um rapaz alto, aproximadamente 1,85 de altura, negro, corpo bem definido, e com um cacete enorme daquele bem cabeçudo, que a gente só vê em revistas GG e LS, disfarcei e olhei para o rapaz.
Meus olhos não desgrudavam daquele membro volumoso, minha xoxotinha encharcou na hora, os bicos de meus seios ficaram duros. Nossa aquele cacete cabeçudo realmente me deixou muito excitada.
Fiz o que pude para tentar disfarçar minha excitação, mas meu marido percebeu minha situação.
E me perguntou se eu tinha notado algo diferente que fosse ideal para nossa fantasia.
Eu não me contive mordi meus lábios e fiz um gesto com a cabeça afirmando.
Ele apenas deu sinal verde dizendo que fosse atrás do que me chamou tanta à atenção.
Mostrei com sinal no olhar o que havia me tirado do serio.
Ele olhando em direção ao rapaz sorriu você ein... Gostou do cacetão do cara ein?
Não aguentei e sorri e falei já que vou transar com outro macho que seja com um membro diferente.
Que seja com um cara afro, bem dotado e ainda por cima bem mais jovem que meu marido.
Eu comentei com meu marido sobre o tamanho do pênis do rapaz.
Meu marido sorriu e muito safado perguntou se eu teria coragem de dar para ao rapaz cacetudo?
Claro meu querido!
Eu estava com muito tesão, pois nunca tinha visto um membro tão grande de perto.
Marcos sorriu novamente fez um gesto em direção ao rapaz dizendo que iria lhe falar.
Assim levantou-se indo em direção a ele.
Sem deixar de comentar antes comigo... Quero ver minha mulherzinha gemer muito com cacete deste cara atochado
E eu é claro vou participar desta farra. Rsrsr
Assenti com a cabeça concordando com a proposta dele.
Com certeza meu querido que vou adorar!
Marcos logo retornou a nossa mesa e com um sorriso me falou, pronto amor ele vai jantar conosco em nosso chalé.
-Mas logo falou que negocio dele é com mulher.
-Sabe como é? E me disse que você não se arrependerá e que nossa noite será só prazer.
_Hum ... Marcos você é maravilhoso
Por isto te amo cada vez mais.
Dizendo isto lhe dei um beijo de leve nos lábios.
Esperei ansiosa a hora do jantar e quando nosso amigo veio até nós, fiquei super excitada com a aproximação de seu corpo másculo reluzente como uma noite sem luar.
O brilho de seus olhos me deixava confusa e excitada, sentia-me sendo analizada.
Marcos foi o primeiro a começar a falar.
E aí Diego que achou de minha mulher?
Como te falei antes queremos realizar nossa fantasia.
O que acha?
Sem responder com palavras Diego aproximou me segurando pela cintura e me beijou.
Um beijo suave com um efeito devastador foi pego de surpresa, mas correspondi a seu beijo sua língua morna penetrava em minha boca deixando-me com falta de ar.
Meu corpo começou uma reação que em poucos minutos estava super excitada Diego muito preciso em me deixar bem à vontade.
Ele nem se importava com a presença de Marcos.
Logo em minutos me segurou no colo e como impulsionado pelo extinto me levou em direção ao quarto.
Mas antes falou com o meu marido Marcos... dei-me alguns minutos a sós com ela você entra no segundo ato,mas se quiser pode assistir.
Está bom assim meu querido?
_Marcos nem bem respondeu Diego já saiu em direção ao quarto.
Com muito carinho colocou-me deitada na cama afastando-se um pouco eu olhava com olhos arregalados o cacete dele negro, imenso latejante de tão excitado fazia um arco em direção a seu próprio umbigo.
Soltava uma babinha, Diego veio em minha direção e com as mãos abriu as minhas pernas, sem palavras já sabia seu desejo e sua boca ávida começou e me chupar, sentia seus lábios ásperos, sua barba por fazer roçando em minhas coxas.
Sugava meu grelinho me deixando alucinada de tesão.
Dizia palavras desconexas incitando meu lado puta, eu gemia puxava seus cabelos empurrando.
Sua cabeça de encontro a minha xoxota encharcada me deixava doida de tesão a vontade imensa explodiu em um orgasmo.
Diogo sentia meu desejo me provocava apertava minhas coxas ficando preso saboreando do meu néctar, cada chupada um gemido de prazer.
Rapidamente Diogo levantou e segurando minhas pernas colocando em sua cintura começou a penetrar-me.
A rigidez do seu cacete abria minhas carnes alargando-me, preechendo-me com a exuberância de seu mastro rígido.
Em um galope desenfreado Diogo me penetrava com força e vigor, com mais alguns minutos me colocou de quatro e puxando de encontro a seu cacete atochava seu cacete em minha xoxota.
Dava tapas em minha bunda dizia palavras obcenas, era o auge de minha fantasia ser comida por outro homem.
Eis que meu marido entra a pedido de Diogo e fica na minha frente com cacete duro, comecei a chupar seu membro Marcos extasiado de prazer, uma dupla perfeita uma fantasia executada sendo fodida por dois machos, meu marido ainda com receio metia com leveza em minha boca... Mas o anseio o desejo o prazer o fez exporrar muito em minha boca.
Servir de seu leite abundante deixando seu cacete encher minha garganta.
Seu esperma eu sempre apreciava, sabia que Marcos não aguentava muito uma boa chupada.
Logo tirou seu membro de minha boca limpinho, ainda meio bamba.
Diogo continuava estocando seu cacete em minha xoxota logo senti sua respiração ofegante seu membro avolumou-se senti seu liquido quente encher minha xoxota, escorrendo pelas minhas coxas.
Uma delicia sentir um macho lhe foder gostoso enquanto outro goza em sua boca.
Uma fantasia maravilhosa que me deixou extasiada da intensidade do prazer.
Mas não acabou nossa farra,meu marido deitou e eu fui por cima dele ,ficando encravada em seu cacete.
Diogo olhava-nos achando a cena linda e ficou se encostando por cima de mim.
Com seu mastro duro e ereto querendo comer meu rabinho.
Aí quando eu disse a ele que não ia aguentar, ele sorriu e com um beijo no pescoço ia dizendo...
-Aguenta sim minha putinha.
-Vem abra esta bunda gostosa prá teu macho te foder...
-Vem safada não é assim que você quer?
-Dois machos te fodendo ...
-Aí que delicia vou arregaçar tuas pregas minha putinha gostosa...
-Pode gemer a vontade que é assim que gosto .
-Safada quanto mais você geme e grita mais atocho meu cacete em seu rabo minha safada.
Ainda mais que teu marido tá em baixo de você metendo cacete nesta xoxota gulosa que arregacei com meu porrete.
-Ah que delicia.
-Assim Diogo colocou uma camisinha e untou o cacete com Ky e começou a pressionar de encontro a meu anel,empurrava lentamente sentia sendo alargada até cabeça passar soltei um gemido de dor ,que deu maior vazão a fantasia.
Diogo ficou algum minuto parado só acariciando minha bunda, com palavras suaves falava que relaxasse que o pior já tinha passado.
Depois de alguns minutos começou a empurrar seu cacete e com movimentos do corpo sentia seus colchões encostarem-se à minha bunda.
Marcos mexia seu corpo me elevando de encontro a Diogo.
Dois machos com seus cacete atochado em mim sentiam-me completamente preenchida.
Um tesão louco e alucinado apossou do meu corpo.
Eu Marcella sanduiche de dois machos super bem dotado me comprimindo um de encontro ao outro.
Me senti uma verdadeira puta ,das mais safadas.
Enquanto eu recebia um delicioso cacete que me levava as nuvens,O Diogo aquele negro lindo e bem dotado intensificou os movimentos no meu rabo me arrancando delírios de prazer.
Meu marido Marcos acompanhou o ritmo eu virando uma verdadeira puta com aquele cacetão no cuzinho, eu gemia enlouquecida e gozamos demoradamente.
Sentia o leite sendo despejado nas minhas entranhas.
Diogo me segurava com força mesmo ate sair sua ultima gota de esperma.
Depois retirou seu membro do meu rabo e dando um tapa de leve na minha bunda sorriu...
Ah potranca gostosa e safada , gozei montes em você,tirou camisinha e meteu cacete na minha boca,e com um sorriso de sarcasmos assentiu ...Anda safada quero serviço completo chupa meu cacete deixa ele limpinho que já quero te foder novamente.
E com um sorriso em direção a Marcos falou ,você é um cara de sorte tem uma mulher gostosa e muito safada ,já sabe quando quiser pode me ligar que estarei pronto pra saciar suas fantasias quem sabe,você num resolve também querer provar do negão aqui.
Marcos que atinha acabado de gozar junto com nós apenas sorriu e afirmou.É quem sabe!
Diogo sorriu foi ao banheiro e já saiu de lá vestido e foi embora.
Eu e meu marido ficamos abraçados nos beijando muito.
Fomos tomar um bom banho e Marcos me disse que me amava muito e agradeceu pela noite maravilhosa.
Pelos prazeres que nós proporcionamos.
Eu lhe disse que estava satisfeita por poder realizar nossa fantasia. Ele concordou e disse que adorou me ver excitada rebolando muito com o cacete daquele negão bem dotado
Que se eu quisesse repetir era só dizer que ele estaria pronto a participar novamente.E que independente de tudo que acontecesse me amava muito.
Eu apenas o beijei e repeti!
Eu também...Marcos meu querido.



Docecomomel (hgata)
“Não confundam o autor com sua obra”
Vejam meus blogs
Imagem do google

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...