Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Caindo nas Garras de uma Casada Safada



Olá.
Eu sou Mário tenho 28 anos e sou um profissional liberal, eu faço um curso técnico de edificações e desde novo sempre trabalhei com meu pai que é mestre de obras.
Adoro projetos e me delicio em reformas de casas.
 Meus pais são evangélicos e devido a meu trabalho e sua amizade dos meus pais com o pastor da igreja eu fui  contratado para reformar a casa nova que o pastor acabou de adquirir.
Casa muito bonita e espaçosa.
Fiz meus projetos com algumas mudanças e texturas e fui levar para o pastor ver. O pastor é um senhor de seus 40 anos, calvo com barriga saliente e muito cordial.
Chegando a sua casa fui bem recebido.
Foi quando eu precisei mostrar o projeto a sua esposa, que até então eu não conhecia.
Surpreso vi aquela morena entrar na sala, seios durinhos quadris largos cabelos lisos presos em um coque.
Meu cacete acordou vendo aquela beldade, seu sorriso me encantou.
Acreditem perdi meu rumo, com meus olhos não conseguiam desviar de seu rosto Angelical.
Todo o detalhe que eu conseguia explicar o pastor ouvia atentamente, mas as perguntas sobre cores e modelos das texturas foram feitas por sua esposa que vou chamar aqui de Diana.
Uma verdadeira deusa.
Depois eu soube que o pastor era viúvo e Sophia era sua segunda esposa.
Pela conversa que tive eu pude notar que a jovem esposa do pastor era uma pessoa ao contrario de seu marido e jovial e participava ativamente do grupo de jovens da igreja.
Então ficou agendado para na terça feira próxima eu fosse levar pessoalmente os proprietários da casa para ver o andamento das obras.
Às 14 horas eu fui como não tinha carro peguei do meu pai emprestado e fui buscar o casal, só que o pastor teve compromissos bancário deixou que sua esposa resolvesse este assunto sozinha.
 Que sonho ver Sophia entrar no meu carro sentar a meu lado sentir seu perfume adocicado e suave.
Realmente estava uma tentação sua presença a meu lado sem o seu marido o pastor.
Fomos até a casa onde tinha dois pedreiros trabalhando em fase terminal da obra.
Mostrei todos os detalhes de cada cômodo, e lá fomos nós ate sua suíte, onde deveriam ser feitas alterações tipo assim lugar de TV, pequeno sofá, Som e outras coisas mais.
Eu rabiscava em meu caderno de anotações todas as observações que Sophia queria que fossem feitas, e entre surpreso ouvi dizer.
Não esqueça que teremos TV a cabo adoro filmes e quero que consiga assistir da cama!
Certo entendi!
Depois de todas as alterações anotadas eu falei que iria leva-la ate sua casa, e surpreso eu a ouvi falar se não poderíamos tomar um sorvete antes de chegar a casa.
Claro que concordei apenas fiz a ressalva se seu marido não poderia sentir ciúmes...
-Ah claro que não ele meu marido não é meu dono quem manda na minha vontade e na minha vida sou eu!
-entre surpreso e atônito fiquei calado não sabia deste pormenor entre o pastor e sua esposa.
Entramos no carro e fui em direção a uma sorveteria que era no percurso de sua casa.
Entramos e sentamos em uma mesa ficando um de frente para o outro.
Depois de alguns minutos saboreando sorvete Sophia falou que meu bigode estava sujo de sorvete, rapidamente peguei um guardanapo para limpar, mas ela foi mais rápida que eu falei deixa que eu limpo e se inclinando sobre a mesa deu-me uma lambida sobre o sorvete que estava lambuzado no meu bigode. Fiquei vermelho na hora, meus olhos se arregalaram.
Sophia! Poxa que susto você me deu!
-Porque susto? Não gosta de mulher. Claro que gosto, mas você é casada!
- E daí não sou capada nem frigida!
Claro que não, mas uma senhora casada e se seu marido ou algum amigo a ver me beijando.
Ah amigos eu não tenho e meu marido ele bem sabe que sou capaz, não foi à toa que mandou ir com você na casa nova sozinha.
-Como é? Isto mesmo que você ouviu ele sabia que me interessei por você e deu liberdade de fazer o que eu quisesse.
Não sabia que o pastor era assim tão liberal.
-Não é não, mas as minhas condições de aceitar me casar com ele foram bem claras e explicitas.
 Sexo livre com eu quiser e como quiser.
Ele aceitou em contrato não tem que reclamar afinal ele bem mais velho que eu não posso ficar a mercê de sua vontade e apetite que é bem distante do que desejo.
-Pois bem Sophia nem tinha acabado de falar e eu já cheio de tesão segurei em uma de suas mãos e olhando em seus olhos perguntei. Então quer ir para algum lugar sossegado por algumas horas?
Ou prefere marcar outra hora?
Sophia respondeu podemos ir sim agora já estava pensando que meu projetista era gay, e como estava segurando em sua mão puxei colocando sobre meu cacete que estava a ponto de rasgar minha calça jeans.
  Ela sorriu e falou ainda bem que minhas suspeitas eram infundadas...
Peguei-a pelo braço e saímos em direção ao carro, cada marcha troca era um leve caricia em sua perna... E safada como ela era não  demorou já me estava punhetando dirigi alucinadamente no transito maluco indo em direção a algum motel. Assim que estacionei comecei a beijar e logo uma de minhas mãos acariciava sua xoxota, sentia a umidade por cima da calcinha. Sai do carro dando a volta e fui ficar do outro lado. Claro que já estava de cueca, a cabeça do cacete quase saia pelo cós. quando ela me olhou sorriu e começou passar a mão sobre meu cacete e instantes abaixou minha cueca fazendo com que meu cacete saltasse bem na frente de seu olhos que ficaram vidrados.
Uauu que delicia Mário, respondi é toda sua Sophia. Abaixei a seus pés ficando na mesma altura que ela e fui levemente acariciando seus seios beijando seus lábios. e com uma das mãos enfiada sobre a saia ,afastei a calcinha e atolei dois dedos em sua xoxota lambuzadinha de tesão.
Eu a puxo ela se levanta e ficamos os dois agarrados encostada-se ao carro, ai a coisa começou a esquentar mais ainda, sentia meu cacete latejando.
 E com beijos possessivos ia sugando sua língua. Sophia sem resistência alguma se entregou a meus carinhos.
Peguei-a no meu colo e levei até o quarto ela parecia está em êxtase... Soltava pequenos gemidos de prazer.
 Coloquei-a na cama meus olhos cintilavam de tesão ali estava uma casada safada carente de uma boa transa e ali estava eu doido para foder. Terminei de tirar minhas roupas e fui por cima dela com mãos e boca.
 Deixando-a nua. Seus seios estavam a minha disposição, lambi suguei e mordisquei cada um deles como se fosse um animalzinho faminto. E com a boca faminta fui descendo até chegar em sua xoxota lisinha,com lábios cheinhos.
Foi um grunhido que soltei quando comecei a lamber seus lábios vaginais. Segurava suas pernas abrindo totalmente ansiando sentir seu mel brotar da fonte do amor. Com movimentos frenéticos minha língua ia percorrendo cada centímetro chegando até seu anel.
Gemia meu doce Sophia, ficou entregue aos prazeres de um macho mais jovem, logo sentir seu mel escorrer e seu gozo adocicado preencher minha boca. Aproveitei o momento e logo estava em um sessenta e nove. A safadinha sentou com sua xoxotinha lisinha na minha cara rebolando sem parar e entre uma lambida e outra meu dedo  escorregava indo fazer um carinho em seu rabo ...Que estava em meus planos provar ainda nesta bela tarde de um dia qualquer de meio de semana.
Meu cacete era engolido cm por cm com sua boca deliciosa e sua forma de pagar boquete, eu me sentia um picolé na boca sedenta de uma adolescente.
Seus lábios percorriam a cabeça descendo até os culhões e sua língua lambia-me todo, Sophia fazia o que nunca eu permiti outra fazer, que foi lamber e dá línguadas úmidas em meu anel. Que até então era virgem.
Eu já não conseguia me controlar
Novamente a safadinha encheu minha boca com sua seiva, lambi e mordisquei seu grelo com carinho, saciei seu desejo e mudamos de posição.
Sophia de quatro com suas ancas largas me causou intenso desejo de enrabar em primeiro, mas ponderei e fui enterrando meu cacete aos poucos em sua xoxota e a putinha gemendo pedindo cuidado, que a cabeça do meu cacete era grande... Delicadezas têm, mas quando o orgasmo se aproxima. Meu cacete entra rasgando sua xoxota,seu gemidos não eram de dor ,mas de imenso prazer.Quando a doce Sophia já em seu terceiro orgasmo me pede entre soluços e gemido para que eu comesse seu rabo ,não vacilei tirei meu cacete de sua xoxota camisinha a postos e com um impulso a cabeça entrou dilacerando suas pregas.
Seu gemido alto abraçou-a afastando mais suas ancas e com uma das mãos segurava para que não fugisse comecei a cavalgar Sophia entrou em êxtase gemia como a uma puta. Cada movimento de entra e sai Sophia soltava mais e mais gemidos, até pensei que a estava machucando, mas não eram gemidos de puro tesão e prazer. Sempre pedindo que a fodesse gostoso seu rabo,que seu maridinho o pastor não o fazia.
Eu que não sou louco para negar um pedido a uma mulher desesperada e com movimentos incessantes meti com muito gosto seus gemidos eram misturadas as batidas de nossos corpos em perfeita sincronia. Eu jamais vou esquecer aquela tarde deliciosa em que fui mostrar um projeto e acabei fodendo a mulher do pastor.Uma safadinha que sabia aproveitar cada minuto do ato sexual.A tarde foi curta para os momentos que passamos.
Saímos de pernas bambas e não foi uma única vez afinal sempre tinha alguma alteração a fazer na reforma e assim eu soube aproveitar muito bem os momentos que tivemos a oportunidade de passarmos juntos.
Ah doce Sophia saudades de nossas aventuras.



Docecomomel(hgata)
Conto de nº de 2014.
Feira de Santana 20 de março de 2014.
Bahia Brasil.






sexta-feira, 14 de março de 2014

Uma DP com meu marido e seu amigo.







Olá.
  Eu sou Marcela tenho 38 anos sou casada com Edilson que é da mesma idade que eu com a diferença apenas de meses, somos um casal liberal e aproveitamos a vida como podemos.
Meu marido trabalha em um supermercado e algumas vezes chegam a casa em horários inusitados, sempre em companhia de algum colega de trabalho.
Eu gosto quando ele chega sem avisar e estou vestida com roupas não muito compostas e quando vejo já estão dentro de casa.
Adoro despertar tesão. Eu e meu marido Edilson estamos planejando realizar um fantasia nossa,tanto eu como ele desejamos fazer uma DP.
Estamos sondando quem vai ser o parceiro, mas eu já exigi que queira um cara negro e que seja bem dotado. Meu marido e amante concordou plenamente e disse que será  ótimo ver sua mulherzinha puta  rebolando em um cacete negro,pois ele já me viu transado com outro,apesar de ter ficado escondido adorou o que viu.
Coisas de casal é fogo, mas faz parte de nossa fantasia.
Edilson tem um colega de trabalho que é negro é o que mais frequenta nossa casa, pois mora no mesmo bairro. Edilson disse que ia sondar para ver se era bem dotado,é claro que só bastava ir ao banheiro ao mesmo tempo para ter esta constatação.
E nesta semana Edilson quando chegou do trabalho confirmou amor meu o Paulo é o cara que precisamos, hoje estava no banheiro da empresa quando ele entrou quase meus olhos saem em orbita quando vi o tamanho da ferramenta do colega Paulo, parecia um machucador de tempero grosso com cabeçorra vermelha, será ele o nosso parceiro amanha mesmo vou dá indiretas.
 Assim ficamos aguardando a oportunidade, oito dias depois da conversa que eu e meu marido tivemos eu estava lavando a garagem estava toda molhada a roupa colada no corpo que ficou transparente. Quando vi um carro parar na porta, eram 14hs horas.
 Quando meu marido e seu colega me viram seus olhos ficaram esbugalhados.
Também pudera eu estava com um short bem curto de lycra sem calcinha e blusa transparente branca molhada que mostrava os bicos dos meus seios eriçados.
Vi que os dois ficaram com tesão, entraram tomaram um suco e saíram.
-Quando meu marido foi me dá um beijo na saída falou ao ouvido, mais tarde volto gostosa para acabar com este teu fogo e saiu sorrindo e me deu um tapa na bunda.
Era o jeito de ele brincar, e eu gostava sabia que nossa noite teria muito sexo.
Naquele mesmo dia à noite ouço meu celular tocar era meu marido avisando que iria trazer um amigo para tomar umas cervejas que providenciasse alguns aperitivos.
Fui até um mercadinho comprei queijo e azeitonas e voltei logo para casa, fiz os aperitivos e fiquei na sala ouvindo musica. Comecei a dançar sozinha,assim apenas para movimentar o corpo e distraída ao embalo da música não ouvi meu marido chegar,quando em um momento
Virei e dei de cara com Edilson e seu amigo me olhando...
Fiquei sem graça... Pois ansiava que nossa noite seria de farra á dois, mas já que meu marido iria beber com um amigo sabia que teria que protelar até mais tarde.
Quando fui de encontro a meu marido e cumprimentei com um beijo pegando na mão do Paulo seu colega de trabalho, sim aquele mesmo que planejamos participar do nosso fetiche...
Quando meu marido deu-me o beijo e falou em sussurro pronto amor agora à bola esta com você use seu charme, ele esta esperando apenas você dá primeiro passo.
Eu estava nervosa fui pegar cerveja para eles coloquei uma musica e fiquei sentada em uma poltrona bem de frente para o Paulo.
Cruzei minhas pernas e mostrava de propósito a calcinha, vez ou outra notava que tanto meu marido como seu amigo ao se inclinar para pegar os aperitivos olhavam minhas pernas com olhares de cobiça.
Pensei é agora ou nunca fui ate a cozinha pegar outra cerveja e entrei no banheiro e tirei minha calcinha quando retornei sentei em frente a Paulo e propositalmente abri a  perna com descrição para que pudesse ver que estava sem calcinha.Demorou pouco e vi seu olhar mudar, a isca tinha sido mordida bastava agora pegar o peixe.
Dílson meu marido falou que a cerveja estava quente, Paulo concordou e Edilson se dispôs a ir buscar em um  bar não muito perto de casa.Ficamos eu e Paulo sozinhos eu fui ate a cozinha lavar alguns copos quando eu estava na pia de costas Paulo vem por trás e me da uma  encochada legal me assustei como uma adolescente fiquei rubra,Paulo foi logo apalpando meus seios,beijando meu pescoço fiquei imediatamente excitada.Sentia seu cacete latejar encostado na minha bunda,suas mãos percorriam meu corpo e logo em instantes dedos frenéticos brincavam dedilhando em minha xoxota que estava super meladinha.Paulo grunhiu falando gostosa safada,Edilson passa bem com você hein safada?
Eu que estava encostada na pia virei ficando de frente para ele, falei calma  Paulo meu marido volta logo!
-Volta nada o corno de seu marido quer mesmo que eu lhe meta cacete que cerveja quente foi só desculpas para podermos ficar a sós.
Dizendo isto abriu a braguilha deixando  de fora um cacete negro com cabeçorra vermelha,brilhando como se tivesse me e sido polido, falou olha safada o que tu tanto deseja ,pode olhar que apenas a noite esta começando...E sem dá tempo de nada se abaixa um pouco enfiando o cacete entre minhas coxas e começa a forçar.Senti o calor de seu membro que parecia um porrete,apenas fiz o que deveria ser feito comecei a beija-lo e abri mais as pernas sentindo seu cacete m invadir.Foram sucessivas estocadas até eu sentir seu cacete se inchar e gozar.
O safado do Paulo me comeu em pé e assim que acabou tirou cacete e segurando em uma de suas mãos me induziu a abaixar e chupar deixando bem limpinho,nem bem tinha terminado ouvi buzina do carro do meu marido,me dirigi ao banheiro enquanto o Paulo com a maior cara de safado ficou na sala sentado como se estivesse interessado no programa de televisão.
Edilson meu marido entrou com  uma sacola de cervejas e rindo falou pronto Paulo estamos abastecidos,perguntando se estava tudo bem...
-Sim Edilson você demorou fiquei vendo TV e sua esposa está na cozinha acredito pois ouvi barulho de copos na pia...
-Edilson riu falando minha esposa é uma mulher prendada é o sonho de consumo de qualquer homem eu sou feliz com ela em todos os sentidos.
Paulo concordou entendo Edilson desejo que seja sempre feliz ainda não encontrei uma mulher assim,mas quando encontrar vou segurar com unhas e dentes...
Sai do banheiro e fui para sala, meu marido me olhou jogando um beijo,desligaram a televisão eu coloquei uma musica  que meu marido sabia que eu gostava foi quando ele pediu para eu dançar para eles...
Relutei mas Edilson insistiu eu falei que ele bem sabia o que acontece quando eu começo a dançar principalmente bebendo,ah amor pode dançar Paulo não se importa se você fizer um pequeno show de Streep- tease...Pode dançar estamos entre amigos...
Edilson sabia ser convincente e eu é claro queria terminar minha noite com chave de ouro. Fui para o centro da sala comecei a dançar obervando a fisionomia do meu marido e seu colega safado que tinha minutos me tinha fudido em pé na cozinha... Eu sinceramente relutei no começo com medo que a nossa fantasia pudesse abalar a amizade de Paulo com meu marido principalmente por serem colegas de trabalho Mas depois do que aconteceu na cozinha na ausência do meu marido eu decidir usar todo meu charme seduzido os dois enquanto eu dançava.Vi os dois com olhos vidrados me observando enquanto eu dançava com seus cacete duros quase rasgando suas roupas
Pareciam adolescentes foi quando Edilson me chamou ate ele e comecei e me beijar enfiando a mão embaixo de minha saia e sorrindo falou veja Paulo como minha mulher esta meladinha, doidinha para fuder, e pegou o dedo lambuzado da minha xoxota e lambeu.
Paulo ainda ficou um pouco tímido até que meu marido o chamou para sentarem juntos e eu na frente deles,quando Paulo veio pude observar que seu cacete estava duraço , Edílson segurou em uma de minhas mãos me puxando eu fiquei em pé na frente dos dois, que estavam excitados e com um movimento pegou uma das mãos de seu amigo Paulo e enfiou por baixo de minha saia. Falando:Sente Paulo como minha mulher safada  está excitada a puta safada quer dá para nós dois topa?
-Paulo ainda gaguejou respondendo Calma Edilson eu  acho que você se excedeu na bebida, ----Que nada cara eu estou consciente e quero dividir ela com você e não adianta fingir que vi quando você a comeu em pé na cozinha...
Pensa que sou otário fui comprar cerveja de arte,vi e gostei do que vi.
-E dizendo estas palavras Edilson meu marido me fez sentar em seu colo colocando minhas pernas sobre o Paulo que entre atônito e excitado começou acariciar-me.
Foram momentos de intenso tesão... Paulo e Edilson se incumbiram de tirar minha roupa peça por peça. Paulo ajoelhou-se a meus pés e afastando minha calcinha começou a lamber minha xoxota pelas da calcinha logo a tirou e caiu de boca me sugando e lambendo meu grelo que eu fiquei me contorcendo enquanto meu marido Edilson já tinha tirado a roupa e masturbava com uma das mãos e outra me apalpava os seios, ora mordiscando um e outro. Fui colocada no  sofá e enquanto Paulo me chupava eu já pagava um boquete em Edilson.Logo se revezaram e eu pude provar dois cacetes tesos em um só momento,não sabia dizer qual deles era mais tesudo,um negro e outro de cor clara.Estava realizando minha fantasia.
Quando Paulo me puxou sobre seu corpo eu fiquei enganchada em seu cacete, comecei a rebolar com aquele enorme cacete encravado em minhas entranhas. Aos poucos Paulo foi se esgueirando pelo sofá e sobre seu corpo em um galope desenfreado,sentia meu corpo tremular em êxtase até que vi meu marido se aproximar de nós dois e foi se acoplando encostando seu membro em minha bunda e com maestria foi metendo seu cacete em meu anel,De inicio começou a doer mas os dois safados ficaram parados alguns segundo ate que eu habituasse e logo começamos um vai e vem sincronizado e gozamos ao mesmo tempo.
Foram jatos de leite por todo lado. Meu marido me beijava elogiando nossa performance,logo fomos tomar banho os três e no banheiro Paulo e Edilson me deram uma nova porção de leitinho na boca.Eu fiquei alucinada sem saber qual cacete abocanhava mais.Um tesão só voltamos para cama e Edilson fez questão para que Paulo comesse meu rabo enquanto eu sua cadelinha safada lhe pagava um boquete.Digo sinceramente quando Paulo começou a meter aquele cacete negro no meu rabo veio lagrimas aos olhos,porque meus queridos a chapeleta entrou rasgando tudo,mas aguentei firme ate ele encher sua camisinha de leite novamente.
Bens sabe que não podemos facilitar com a sorte. Agora depois de realizar nossa fantasia Paulo se tronou um membro da família e sempre está presente em nossa casa dividindo nossa cama,ou em algumas vezes ele chega sozinho e mesmo antes do meu marido  chegar damos um foda muito gostosa,o safado adora transar em pé e já me habituei trepar com ele em vários lugares da casa,encostou meteu me faz gozar e logo se derrete com gemidos e grunhidos que me torna mais saliente,para a noite entre os dois.Meu marido Edilson o corno feliz e Paulo meu amante garanhão.A fantasia que deu certo.


Docecomomel(hgata)
Feira de Santana,14 de março de 2014.Bahia Brasil.
Conto de nº 9º de 2014

Deficiências








Num dia de céu azul
 Nuvens brancas de paz
 Eu caminhava pela estrada
 Cheia de flores nas margens
De repente meus olhos enxergam
 Uma mulher de corpo belo
Que estava na minha frente
Chamei-a, mas não ouviu.
Parecia não ouvir nada
Nem a voz do seu amor
Então
Pego uma pedrinha da estrada
 Jogo de leve nela
Quando se volta
 Só vejo seu véu escuro
Fiquei então sem saber
 Se realmente era ela,
Para ser meu bem querer.
Afasto-me
Lagrimas encobrem sua face
Deixando-a triste e só.


http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/2014/03/deficiencias.html

quarta-feira, 5 de março de 2014

Encontro de Machos... Famintos por sexo.









Olá pessoal hoje eu vou relatar algo que aconteceu no ultimo final de semana, eu sai do trabalho e fui até um barzinho, onde muita gente como eu procura ir para se divertir.
Não é um bar de encontros, mas acontece de consegui uma aventura entre tantos frequentadores como eu, e durante o final de semana é sempre lotado.
Eu sou João tenho 40 anos sou casado, tenho filhos e curto uma pegada com outro macho sou um bissexual não assumido, saio com um ou outro macho sem compromisso e se dor casado melhor ainda, pois sigilo é garantido.
Assim começou minha aventura.
Quando cheguei ao bar sentei em uma mesa e comecei a tomar um chope, logo encontro um amigo que se sentou à mesa comigo e continuamos a beber, conversa vai e vem veio o assunto de mulher, falamos de tudo ele logo tanto eu como ele ficamos excitados.
Depois de alguns chopes ele falou-me que estava na seca que até um bom boquete aliviava a situação.
Depois de um tempo Caio perguntou se eu não queria tomar umas na casa dele, era perto, eu aceitei pegamos um taxi e fomos.
Assim que entramos ele tirou a roupa ficando de cueca vi que seu cacete estava bem duro, ele foi para o banheiro dizendo que ia tomar um banho estava muito calor a noite ainda prometia ser mais quente...
Na sala ouvia cantarolar no chuveiro, a depois de alguns minutos Caio sai do banheiro enrolado na toalha, com barraca armada.
Foi quando me perguntou se eu não queria tomar um banho, eu disse que não, mas ele insistiu vai cara esquenta não a casa é minha e só temos nós dois aqui o que rolar aqui fica entre nós, já ficou animado vendo que as perspectivas de aventura eram boas.
O safado é casado também, mas  a esposa mora na capital,pois faz faculdade,só se encontram em finais de semana:
E entre a conversa vou ou não vou tomar banho eu olho para o caio e vejo que estava sem roupa a toalha estava jogada no sofá. O cacete latejando que chegava a fazer um arco.
Foi ai que eu disse que já voltava e fui direto tomar banho, enquanto eu tomava banho meu cacete latejava de excitação, meu rabo piscava depois daquela visão maravilhoso do cacete de Caio envergado de tesão, me enrolei em uma toalha que encontrei no banheiro e voltei para sala. Quando cheguei à sala ele estava sentado no sofá e me chamou segurando no cacete falou: Vem meu puto safado... Vem que sei que você esta louco por isto.
Não vou negar e nem devo, me aproximei sentei no sofá e fui me inclinando até cai de boca naquele majestoso cacete.
Eu segurava levando de um lado a outro babando lambendo, minha língua gulosa descia ate o saco sentia cada vez mais a rigidez total, as veias latejando... Caio gemia eu protelando ao maximo de abocanhar seu cacete fazendo com que implorasse.Ele levantou e eu permaneci sentado no sofá ai foi minhas vez de ir ao delírio ,abocanhei,lambendo e sugando a cabeça,metendo a ponta da íngua em seu orifício,Caio gemia como um animal ferido.Eu segurava em sua bunda apertando,vez ou outra um dos meus dedos ia até seu buraquinho,seu esfíncter prendia a cabeça do meu dedo,eu forçava mais um pouco  e sentia latejar
Caio estocava com um ritmo cadenciado, que eu nem conseguia respirar a saliva escorria pelos cantos da boca.
E enquanto eu pagava o maior boquete que já fiz em minha vida, Caio se esquivava e entre uma estocada e outra me punhetava, meu cacete parecia uma barra de ferro de duro.
E eu sempre brincando com meus dedos em seu anel ele rebolando, me chamando de putinho safado, dizendo que ia me arrombar, eu adorando é claro.
Quando Caio falou que estava com vontade de gozar, me segurou em uma das mãos e fiquei de quatro nos sofá apoiando em um dos braços do mesmo, ele rapidamente começou a esfregar cabeçorra do cacete,me inclinei e com uma das mãos me abri para ele lentamente foi metendo a cabeçorra fazendo força até que entrou,soltei um grito, pois doía, eu pedi para ele tirar e Caio me segurou pela cintura para eu não poder fugir me beijou de língua me entreguei ao êxtase e Caio aproveitou meteu o restante da geba, em minutos senti um jato quente dentro do meu rabo.
Doía muito, mas eu suportei até o final o que mais queria naquele momento era satisfazer meu macho, nem pensava em meu gozo.
Senti o corpo de Caio tremer em êxtase saiu de dentro e deitou com a bunda pra cima no sofá, fui ao delírio coloquei uma camisinha e fui empurrando meu cacete em seu rabo que já estava laceado pelos meus dedos.
Quando Caio viu que estava todo atochado ficou se sentindo uma putinha, começou a rebolar como se tivesse comendo meu cacete  pelo rabinho.
O prazer de tê-lo saciado, o peso do meu corpo sobre o seu, sentir o cacete todo dentro e um vai e vem desenfreado, ouvi seus gemidos com meu cacete entrando e saindo,era um prazer imensurável.
 Eu estava parecendo uma maquina de fuder, estoquei por mais de dez minutos até sentir meu cacete engrossar e gozar com vários jatos de leite.
Ficamos atracados alguns minutos logo fomos tomar um banho e no banheiro Caio me comeu em pé apoiado no Box do banheiro.
Depois do gozo Caio se abaixou pegou no meu cacete guloso, lavou esfregando e me fez uma gulosa,só que desta vez eu não aguentei gozei por toda sua cara.Parecia um esfomeado lambendo meu leite,deixando escorrer pelos cantos dos lábios.
Acabamos nosso banho  nos despedindo,mas já estamos com compromisso marcado para o domingo próximo, ai a festa será completa,pois além de nós teremos mais um amigo.
Estou ansioso esperando este belo dia chegar.


Docecomomel(hgata)



Feira de Santana,05 de março de 2014,Bahia Brasil
8º conto de 2014

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...