Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

sábado, 27 de setembro de 2014

Eu meu marido e um amigo!






Eu confesso que quando era solteira tinha um namorado estávamos nos preparando para casar, eu sempre fui mais levada ou safada como queriam me chamar, sabia que sou mesmo. Estudava de noite e muitas vezes meu namorado ia me buscar no colégio e eu adorava saber que ele estava no portão me esperando e eu escondida na quadra de esportes com algum outro rapaz fazendo sacanagem. Amava ser chupada no escuro encostada ao muro, não fodia, mas fazia mil e uma estripulias, tipo boquete uma punheta aqui e acolá os caras já sabiam que eu era muito assanhada e já teve dias de chupar até três cacetes um atrás do outro, depois seus leitinhos se misturavam em meu estomago. Sou safada sim e daí?
 Eu adoro isto ser desejada provocar tesão.
 Mas depois de casada as coisas mudaram, meu sexo era morno meu marido então o maximo que conseguia dá era duas vezes na semana.
Mas depois de dois anos de casada Carlos o meu marido então e eu combinamos de fazer alguma aventura diferente.Nós dois no caso. Mas foi eu que instiguei ele a tomar esta iniciativa é claro.
Juntos é claro porque sozinha eu já me virava com o entregador de gás, com o vizinho um coroa gostoso que ia até minha casa enquanto sua esposa ia para médicos e passava a tarde interia me comendo  do tudo quanto é jeito,sem deixar de citar o porteiro do condomínio.
Um baiano negro enorme que me fodia de me deixar de pernas abertas.Este me deixou saudades.
Ufa que delicia trepar!
Eu adoro sexo...
 Olhou escreveu não leu gostou estamos aí para o que der e vier este meu lema.
Mas depois de muito conversar eu e meu marido combinamos de fazer um ménage,depois de muito  pensar quem seria o escolhido  ele conversou com um  amigo seu de infância.
 Que topou na hora,assim marcamos  o dia de sua visita.
Eu já sabia quem era e gostei de saber que ele iria-me foder gostoso e meu marido ia apenas olhar e no final entrar também na brincadeira.
-Amor você ter certeza disto?
Perguntei a  meu marido Carlos sem saber de nada, pois é inocente disse claro amor quero ver você sendo comida bem gostoso por este amigo meu.
Ele cuidará muito bem de você!
-Eu respondi com cara de safada está certo amor só farei por você porque te amo demais!
E com carinha  de anjo beijava bastante o meu marido corno inocente, porque eu achava impossível um homem não saber nem perceber que a mulher deu a outro antes de ter relação com ela.
Assim naquela tarde em nossa casa chegou o amigo de meu marido, moreno alto cabelos e olhos pretos.
Logo de longe me coloquei a observar se valeria a pena.
Ufa e como valeu.
Cumprimentamos-nos e fomos para o nosso quarto, meu marido foi logo ditando as regras.
Pois bem Iago tem que ser com camisinha e estarei presente, sem interferir até depois que você gozar eu quero chupar gostoso sua xoxota toda assada de levar cacete e só assim gozar também na minha puta toda arregaçada...
-Iago olhava para mim já passando a mão sobre o cacete, mexendo os lábios de um lado para outro.
Já se percebia que estava excitado, só fez uma pergunta que achei desnecessário, vale tudo meu amigo Carlos, sabe que adoro os preliminares, meu marido sorriu e disse isto depende dela Iago é ela quem sabe como quer ser fodida por você só estou de espectador.
 E rindo foi sentar na poltrona que ficava ao lado da cama.
-Eu que até então estava quieta imaginando como seria ser fodida por aquele macho fui para cama tirei meu roupão e lá fiquei, com minha carinha sonsa de anjo, até parecia que seria a primeira vez com outro que não fosse meu marido.
O pobre coitado com o coração na mão achando que a mulherzinha dele é inocente.
Iago se aproximou, ajudei a tirar sua roupa, sem camisa já percebia um tronco forte e sem pelos com os braços musculosos.
Ai acariciou e foi retribuída em carinhos, ai foi a vez de tirar a bermuda, fui abaixando aos poucos e logo pude ver a cueca preta mostrando um porrete enorme de grande atravessado que a cabeça queria sair pelo cós da cueca.
Ufa respirei feliz.
O cacete dele era bem maior e mais grosso do que do meu marido.
Para alegria minha é claro.
Meu marido com olhos vidrados ficava apenas assistindo.
Logo eu já estava batendo uma gostosa punheta. Que colosso de cacete de tão duro chegava a fazer um arco apontando para o umbigo.
Pelo canto dos olhos observava  meu marido que se punhetava,quando Iago subiu na cama e começamos um sessenta e nove,fui à loucura, que língua gostosa Iago enfiava na minha gruta. Ele com a cabeça entre minhas coxas só com a língua da frente até a atrás chegando até o meu anel, eu fiquei como louca cheia de tesão. Pois o Iago chupava com uma velocidade sua língua entrava e saia me deixando de pernas moles.
Eu  é claro mantinha as minhas pernas bem abertas para facilitar o trabalho dele, sempre forçando um pouco mais sua cabeça para sentir o roçar de sua barba entre as coxas.
 Eu rebolava gemia urrava puxava-o de encontro a minha xoxota fiquei como uma desesperada enlouquecida por sexo.
Nós íamos à loucura!
Mas sem deixar de chupar o seu cacete, que entrava e saia de minha boca com uma facilidade incrível, pratica em boquete sempre eu tive ,só fingia inexperiência com meu marido corno inocente.
 Quando eu já não aguentava mais gozei em abundancia ,aí que foi bom sentir Iago se lambuzar em meu mel.
Eu teve momentos que foi preciso soltar o cacete dele pois fiquei como se tivesse em transe gozando muito.
Ai foi que em instantes invertemos a posição e Iago  botou  uma camisinha me colocou de quatro colocando o seu cacete  entre minhas coxas, abriu bem as  minhas pernas sempre segurando o cacete e esfregando no meu grelo, gemendo  alto me chamando de safada,dava tapas na minha bunda e com uma estocada forte começou a socar.
Um entre sai com ritmo cadenciado, sempre batendo em minha bunda e algumas vezes perguntava a meu marido se era assim que ela queria ver a mulherzinha dele ser arrombada?
Meu marido na poltrona com rosto transfigurando se masturbando respondia...
Suspirando forte.
Sim Iago arromba com teu cacete  enorme esta puta safada que gosta muito de foder.
Iago acelerava mais ainda e sempre abria ainda mais minha bunda como se tivesse desejando me enrabar.
Eu ate estremeci pensando nisso, pois o cara me segurava com muita força e socava forte.
Ai tive outro orgasmo com seu cacete atochado na minha xaninha.
Olhei e vi meu marido também gozando.
Caracas que aventura eu fui me meter já tinha gozado duas vezes e Iago nem pensava em parar.
Foi ai que tive a maior surpresa meu marido levantou veio até nós e disse para o seu amigo meter gostoso em meu rabo que eu adorava dá o cú.
-Eu disse não é muito grande Carlos assim ele vai me destruir.
-Foi quando Carlos disse Ah é...Pois é  trato é trato come ela Iago se quebrar as pregas depois costura.Falou meu marido com uma cara que parecia está adorando me ver sendo empalada por aquele cacete enorme ainda muito grosso. Eu comecei a gritar e chorar que não e meu marido dizia:
-Não para de meter!
-Soca no rabo dessa puta!
-Ela gosta disso... Mesmo.
Eu sei que ela dá pra os coleguinhas, coma gostoso Iago mostre a ela quem manda nesta porra aqui.
Iago nem se abalava continuava comendo minha xoxotinha que já dava sinais  de está assada,aí com um movimento  brusco eu senti que ele tirou da xoxota e prendendo-me entre suas pernas ,me apontou o cacete para o centro do meu rego deu uma lambuzada de saliva e encostou,não tive reação alguma,pelo contrario meu anel latejava desejando isto e quando Iago começou a meter vi estrelas e constelações em noite escura,gemi e bradei de dor,mas logo foi passando a sensação de letargia, e  o ritmo cadenciado  foi abrandando dando um prazer suave e gostoso.
Sentia-me toda preenchida.
Ai foi a vez de Iago gozar e que gozo parecia um  touro reprodutor atracado as minhas ancas ate senti que a ultima gota de esperma  havia saído , Iago pacientemente tirou de dentro de mim seu cacete e veio até minha frente oferecendo seu cacete ainda meia bamba para que eu o chupasse e assim o fiz.Chupei divinamente era gostoso demais sentir um cacete grosso na boca,doía um pouco mas nada que não pudesse suportar. Enquanto o louco do meu marido caia de boca em minha xoxota lambendo se lambuzando com meu mel.
Mas por poucos segundos ele já começou a meter e ainda sorrindo disse caracas Iago você arrombou mesmo com minha puta está faltando cacete prá encher esta  rapariga safada e caímos na risada e meu marido começou a socar ate gozar gostoso em minha xoxota que chegou  escorrer seu leite.
Ele não gosta de camisinha
Meus queridos este foi nosso primeiro ménage Iago ficou cliente Vip* e mesmo quando meu marido não está  se ele resolve fazer uma visita é claro que com um majestoso cacete como o dele eu  pirava de  tesão!
E transávamos muito, até a exaustão.
Foi com Iago que aprendi a fazer sexo sempre de uma forma maravilhosa!
Assim foi minha primeira aventura consentida pelo meu marido que decidiu ser um corno assumido e manso.

Docecomomel
Feira de Santana , 26 de setembro de 2014.
Bahia Brasil

domingo, 21 de setembro de 2014

Entregador de água bem dotado...





Camila é uma mulher de 39 anos, solteira por opção, sempre cuidou de seus irmãos pequenos, pois seus pais morreram precocemente, sempre trabalhou de professora e agora que seus irmãos estão criados ela está morando sozinha.
 Em uma pequena casa em um condomínio.
Mesmo quando seus irmãos ainda moravam junto com ela Camila sempre manteve sua vida sexual ativa.
Ela mesma afirmava que não havia casado, mas estava viva e feliz.
Então era algo natural Camila sair com homens, não importando seu estado civil.
E quando alguma amiga mais intima indagava como ela estava apenas sorria dizendo otimamente bem depois da noite de ontem com o entregador de água como dizer que não estava bem e sorria relatando para sua amiga a ultima aventura vivenciada com o entregador de água.
Vou descrever abaixo com suas próprias palavras.
-E ai Camila como foi seu final de semana?
-Indagava sua amiga.
-Ótima lembra que te falei do novo entregador de água do mercado próximo a minha casa?
-Lembro sim!
 –Pois bem ele foi me levar água sexta-feira eu estava sozinha e tinha acabado de sair do banho, estava eu de robe com os cabelos ainda molhados quando o Bruno é anunciado na portaria liberei seu acesso e ao abrir a porta vejo seus olhos me fitarem com excitação.
Mandei entrar e pedi que fizesse o favor de colocar a garrafa de água no suporte enquanto eu ia trocar de roupa.
Bruno era um jovem negro de 22 anos alto, com piercing na sobrancelha e uma tatuagem no braço, um pedaço de mau caminho de puro tesão.
Sei eu adoro homens negros na maioria das vezes são bem dotados e adoro isto, falou rindo e sua amiga entrou no clima rindo falou fazendo um gesto na mão eu sei como é. Assim...
Camila foi ao quarto trocar de roupa deixando Bruno na cozinha.
Camila não fechou a porta e estava nua de frente ao espelho passando creme hidratante quando viu que Bruno a espreitava pelo canto da porta, foi aí que ela caprichou com seu ritual de beleza, passava o creme pelos braços, perna demorou bastante acariciando o colo de seus seios e quando virou lentamente para passar creme em seu bumbum, estava de frente para porta e com voz macia e provocante falou:
-Garoto você não quer me ajudar com isto aqui não?
-Bruno assustado e surpreso saiu de trás da porta e com passos lentos... Foi andando na direção de Camila, quando chega bem perto dela olha em seus olhos e pede desculpas.
-Bobagem garoto agora vai ter que me atender senão digo a seu patrão que você foi muito petulante, aí sim você perde seu emprego!
-Por favor, dona Camila não diga nada a ele, senão conta para meu padrasto e este toma minha moto.
-Ah então vai me obedecer direitinho viu?
-Faço tudo que a senhora quiser, mas, por favor, não me deixe perder este emprego!
-Ah delicia vou ter um escravo agora e riu deixando o rapaz sem entender o que ela queria dizer.
-Bem de inicio como o tempo é curto venha aqui e ajoelhe-se, o garoto ajoelhou-se sem deixar seus olhos desgrudarem do corpo de Camila que estava apenas de calcinha e soutien...
-Pronto assim que quero comece a beijar meus pés e venha subindo com sua língua úmida até minha xoxota, só pare quando eu tiver gozado em sua boca viu?
-Você sabe chupar uma xoxota não sabe?Ou é donzelo ainda?
-Não sou donzelo e sei muito bem chupar uma xoxota minha namorada goza gostoso na minha boca dona Camila.
-Hum, então vamos, mas antes tire estas roupas fique só de cueca, deixe-me ver o que temos ai de bom dentro destes panos.
-Assim o pobre rapaz tirou sua camisa e calça e começou a beijar seus pés demoradamente e com uma das mãos acariciava seu membro que estava teso... E lentamente ia subindo com a boca como se tivesse massageando e aos poucos gemidos de ambos ecoava pela casa.
-Camila se deliciava com a postura do rapaz, sabia que o que fazia ele está ali fazendo aquilo não era medo de perder seu emprego, mas sim desejo de tê-la em seus braços.
E quando o rapaz já tinha percorrido com seus lábios sedentos pelas suas pernas toda e aproximava-se com intenso tesão de suas coxas, ela o puxou lentamente pelos cabelos e foi guiando até sua cama.
-Venha meu cãozinho...
-Suba na sua dona e divirta-se.
Bruno parecia hipnotizado se deixou guiar pelo quarto como se fosse um cãozinho de estimação, ela deitou na cama e ele foi por cima caindo de boca em sua xoxota. lambia de um lado a outro da calcinha até  que ele com um impulso dá um puxão rasgando-a.
Camila solta um gemido rouco falando... Está com sede Bruno?
Então venha até minha fonte e se delicie com meu mel, puxou a cabeça do rapaz prendendo entre suas coxas fazendo com que o chupasse com intenso desejo, até que como se fosse uma fonte interminável de prazer despeja seus fluidos em densa quantidade na boca de Bruno, que não para ate sentir que Camila já exausta já havia gozado intensamente...
Bruno estava a ponto de explodir com seu cacete rígido quando Camila o puxa jogando na cama dizendo...
Vem meu garanhão que agora eu que vou montar em você, pega uma camisinha segura pelo cacete de Bruno dá uma lambidinha na cabeça ouve um gemido de Bruno, faz um boquete bem gostoso deixando Bruno como enlouquecido, mas não o deixa gozar em sua boca logo coloca no cacete de Bruno e lentamente se engancha como se fosse uma amazonas montada em um garanhão.
-Uau... Que delicia de cacete Bruno aproveite que vou galopar até você gozar gostoso, mas quero sua promessa que vai voltar outras vezes.
Eu prometer? Impossível não querer voltar depois de provar de uma mulher gostosa como à senhora dona Camila eu quero vim aqui é todo dia.
 Que delicia ouvir isto Bruno...
E com sensualidade em seus movimentos começou a cavalgar lentamente com cacete de Bruno atochado em sua xoxota meladinha.
Bruno que era esperto puxava com suas mãos segurando com firmeza em sua bunda, sem deixar de volta e meia seu dedo escapulir e parar direto no centro de seu rabo, ou seja, seus dedos ágeis acariciavam com delicadeza e jeitinho preparando o terreno, pois a intenção era a de poder comer suas pregas.
Camila que não era boba se deixava ser bolinada sabia que na próxima vez teria a foda completa. Pois o tempo era curto.
E como se tivesse em um galope desenfreado Camila rebola e fica quicando com o cacete de Bruno atochado em sua xoxota até o rapaz começar a ter um gozo intenso. Foram urros gemidos e juras de amor eterno que o casal trocou naqueles momentos de grande euforia.
Bruno feliz por está comendo a mulher mais desejada do condomínio e Camila realizada, pois tinha acabado de ganhar para sua coleção mais um macho para satisfazê-la em seus caprichos de mulher fatal.
E assim Bruno jovem cheio de tesão passou a ser frequentador assíduo da casa de Camila e vivenciou aventuras maravilhosas que ficaram marcados em sua memória para sempre agregando valores que o tornou um homem muito sábio... Mas muito safado afinal teve uma professora que soube ensinar a arte de amar.
Sexo foi o dos primeiros quesitos que Bruno se especializou agora é um garoto de programa e tem recomendações ótimas da professora Camila.
E todas as amigas de Camila solteiras casadas amadas e mal amadas já sabem a quem recorrer em seus dias de querer sexo. Um sexo saudável sem compromisso e muito bem feito.
Bruno o bem dotado alegria de quem o ama e odiado por quem não sabe o que está perdendo de te-lo por alguns momentos em sua cama.

Docecomomel (hgata)
Feira de Santana 20 de setembro de 2014.
Bahia: Brasil
Vejam meus blogs





terça-feira, 16 de setembro de 2014

Desabafo, 1ª traição de uma mulher casada.




Olá eu sou Marcela sou casada há cinco (5) anos, me dou muito bem com meu marido que é um amor de pessoa, mas ele teve um tempo de sua vida quando era jovem era frequentador assíduo de uma igreja e ainda hoje depois de dez anos afastado os ensinamentos do evangelho tem forte influencia em nossa vida cotidiana.
Principalmente na nossa vida sexual.
Eu confesso que desde que me casei nunca tive pretensão de trair meu marido, mas o tempo à rotina com a falta de criatividade de meu marido na cama isto está me deixando a ver navios. Afetando diretamente em minha forma de viver.
Caramba em pleno século XXI um casal ainda ficar só no papai e mamãe é foda.
Isto é coisa do século passado a modernidade o meio de comunicação à liberação está ai em nossa cara.
E para completar minha sogra veio morar em uma casa vizinha a nossa.
Sufoco é olhar para meu cunhado e sentir tesão, sentir intenso calor subindo pelas coxas e acender uma labareda na minha xoxota.
Já não estou suportando tanto tesão reprimido.
E quando vejo meu cunhado com seu corpo musculoso lavando sai motocicleta na frente de nossa casa fico como uma doida cheia de excitação e penso é hoje que quando meu marido chegar do trabalho me acabo na cama.
Ledo engano meu marido chega toma banho já veste seu short de seda, janta começa ver os telejornais e dorme...
O sono dos justos reconheço que está cansado, mas caramba e eu que tive um dia também cheio de atribulações que faço?
Vou me deitar e faço todos os tipos de insinuações na cama, meu marido desperta tira sua roupa, minha camisola, mama meus seios seu cacete ainda meio bamba coloca camisinha e transamos alguns beijos e amasso e finalmente o orgasmo... Dele!
-Assim saciado sai de dentro de minha xoxota toma um banho me dá um beijo de boa noite e volta a dormi...
Fico espantada com a falta de imaginação e criatividade dele.
Tem apenas 36 anos e encara sexo como se fosse obrigação de um casal.
Intrigada levanto vou para sala e começo a ler contos eróticos o calor de estórias sensuais e mirabolantes eu gozo, mas um gozo solitário bem diferente do que anseio para meus dias.
Caracas eu tenho 32 anos não sou uma matrona que tem a vida cheia de obrigações com filhos, netos genros e noras sou jovem quero viver a vida.
E assim a proximidade de meu cunhado vai a cada dia despertando um desejo intenso sobre sexo e como meu marido não estava me oferecendo para cumprir minhas necessidades físicas, fico como se tivesse sendo obrigada a trair e nada mais justo com alguém que me atraia e meu cunhado foi o escolhido assim fui à caça. Com certeza o sigilo será garantido.Além de Sr um belo rapaz,pelo que pude observar discretamente tem um cacete de bom tamanho.
A noite disse a meu marido que o chuveiro de nossa suíte estava dando curto como era uma coisa que não poderia ser consertado de noite ela disse que iria pedir a seu irmão mais novo que viesse olhar no dia seguinte.
Plano numera um (1) dando certo foi o que pensei assim que meu marido saiu para trabalhar tomei um banho vesti uma calça legging bem apertada que deixa bem visível o desenho da minha xoxota e uma blusa fina transparente que pudesse ver os bicos dos meus seios excitados. E fiquei esperando um cunhado vim, fui cuidar dos meus afazeres, afinal eu estava ansiosa teria que ter calma para não botar tudo a perder, mas é claro que eu teria que provocar ou era tudo ou nada.
Logo meu cunhado chegou procurando saber o que era preciso ser feito.
Eu disse que era o chuveiro da minha suíte e assim o levei até o meu quarto ele olhou me pedindo uma escada.
Fui até um pequeno deposito e voltei com uma escada, era de alumínio leve coloquei perto do boxe e afastei-me.
Meu cunhado colocou-a no lugar e subiu, foi quando a escada deu um estalo e meu cunhado ia caindo.
-Cuidado foi o que disse!
-Então segura ai que logo concerto o chuveiro, assim me dispus a segurar a escada e meu rosto ficou bem próximo à cintura do meu cunhado.
Sentia cheiro de sexo, mas como provocar, estava complicado.
Logo meu cunhado terminou o serviço e me perguntou se tinha mais alguma coisa que ele pudesse fazer para me ajudar...
Sem medir as consequências eu respondi olhando dentro de seus olhos.
-Tem sim!
 Afirmei com toda convicção que aquele momento seria crucial por todas nossas vidas.
-O que minha querida? Ele perguntou com a voz cheia de carinho.
-Quero que me torne uma mulher realizada e feliz na cama, não aguento mais a mesmice de todos os dias com seu irmão que se comporta como um velho, eu já não suporto mais ou é com você ou com o primeiro que encontrar!
-E assim que fechei a boca meu cunhado me abraçou e com intenso carinho falou, calma querida você esta estressada, tenha paciência que tudo se resolve.
-Calma só que posso ter, eu preciso é de sexo, não de calma e comecei a chorar, meu cunhado continuava abraçado a mim começou a beijar minha face, enxugando minhas lagrimas logo nossas bocas travavam um verdadeiro duelo.
Aí o caminho não tinha mais volta no quarto estávamos e lá ficamos meu cunhado tirou minha blusa apalpando meus seios e eu abaixei sua bermuda e pude ver o maravilhoso cacete duro que saia pelo cós da cueca.
Eu como o provoquei tinha que tomar as rédeas da situação então fui me abaixando e cai de seu cacete que parecia um porrete de duro, cheio de veias.
-Bem maior e mais grosso do que do meu marido.
-Chupei e lambi seu cacete que meu cunhado ficou á beira da loucura, minha língua passava pelo cacete dele de um forma que o deixava com muito tesão.
Afinal meu cunhado era novinho não tinha tanta experiência assim, mas aí eu não podia mais fazer nada.
Ele entrou no jogo só teria que aprender a jogar e foi assim que ficamos um bom tempo nos esfregando.
Até que meu cunhado me jogou na cama tirou minha calça e calcinha e caiu de boca na minha xoxota que estava meladinha de tesão.
Estava como uma louca urrando de excitação sua língua parecia uma chama que incendiava meu corpo.
-Eu gozei horrores em seus lábios.
Fazia tanto tempo que eu não tinha um orgasmo com tanta intensidade que até pensei que ia desmaiar de tanto tesão.
Quando meu cunhado colocou minhas pernas em seus ombros e com carinho foi se encaixando entre minhas coxas eu delirei.
Seu cacete rígido babado ficou completamente encaixado e com um ritmo cadenciado começou a penetração.
Foram gemidos e urros... Nossos corpos em sincronia perfeita,um vai e vem frenético nos deixando extasiados de tesão.
Meus gritos de tesão também aumentaram, arranhei suas costas como a uma gata no cio, ele mordia meus lábios com intenso frenesi, foi a minha melhor transa e assim gozamos várias vezes, e sem planos nem precipitações fizemos varias posições e passamos aquela tarde prazerosa descobrindo o verdadeiro prazer do sexo.
-Sem cobranças nem limites. Só gritinhos abafados gemidos com muito prazer.
Ainda bem que minha sogra e vizinha tinha ido passar o dia na casa de outra filha senão a coisa teria sido descoberta.
Mas Deus foi piedoso soube me agraciar com sua imensa bondade.
Pois liberei meu tesão reprimido com muitos gemidos e orgasmos intensos.
Eu nem sei se os outros vizinhos não chegaram a ouvir de tanto que eu gemia, mas eu não me dei ao trabalho de me preocupar com isto eu queria mesmo era transar, tirar meu atraso de abstinência e fui ao meu limite.
 Seu corpo parecia um elo que se encaixava perfeitamente ao meu. Logo eu estava de quatro com meu cunhado em um galope frenético alternando aos meus movimentos de vai e vem lentamente em perfeita sintonia chegamos a um orgasmo intenso. Foi meu primeiro anal depois de cinco anos de casada,difícil acreditar,mas foi assim.Eu estava radiante e feliz.
Não foi uma traição por discaração, mas por pura necessidade física, eu queria sexo, um sexo emergente que pudesse saciar meus desejos e assim foi a minha primeira traição na minha vida de casada.
Meu cunhado depois ainda ficou preocupado, mas entre uma conversa e outra ele conseguiu entender os motivos que me levaram a trair seu irmão.
Agora somos amigos confidentes e amantes.
Para disfarçar ele está com uma namoradinha, eu não me importo, pois sei que temos nossos momentos de puro êxtase excitação e prazer.
Pois digo e afirmo você que acha que trair á safadeza esta enganado, safadeza e ser infeliz.


Docecomomel (hgata)
Feira de Santana 15 de setembro de 2014
Bahia Brasil
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Jovens em Êxtases e Delirios





Olá eu sou Marcela e vou relatar para vocês como foi a minha primeira vez, foi quando eu dei para meu namorado Diego.
Eu tinha 18 anos já tinha perdido a “virgindade” com meu primeiro namorado, mas atualmente eu namorava com Diego.
Que tinha mesma idade que eu e morávamos no mesmo bairro
Estudávamos no mesmo colégio, já fazia três (3) meses que namorava com ele, mas nunca tínhamos transado o máximo que já tínhamos nos aventurado a fazer foi deixar Diego de mamar nos meus seios na garagem de minha casa e dedilhar minha xoxota até eu gozar em seus dedos que ficaram lambuzados... Ele muito safado lambeu os dedos todos...
-Uma delicia até minha calcinha ficou meladinha.
Tinha que aproveitar o quanto podia.
Minha mãe dava muita marcação em cima da gente, eu morria de tesão assim de noite sozinha no escuro do meu quarto eu curtia siri rica adoidado, pois morria de vontade de fazer sexo. Dormia e acordava pensando em transar com Diego,ainda mais que ele tinha um cacete enorme,ele é negro aí já podem imaginar a delicia que era.
Eu sou normal como toda mulher jovem e saudável.
Mas quando Diego achou um emprego em um mercadinho no bairro falou: Marcela meu primeiro dinheiro que receber vou te levar a um motel, você topa?
Assim ficou planejado o tempo foi passando o desejo aumentando e nós nada de ir até o bendito motel.
Quase sempre namorávamos nos intervalos das aulas, até que na semana passada. E nada de transar assim um dia após o trabalho Diego veio para o colégio com uma motocicleta, que usava para fazer entregas,
-Que legal Diego agora está motorizado ein...•.
-E sim Marcela não é minha, mas está sobre meus cuidados posso usar o tempo todo.
-Ah tá ai uma coisa que gostei dá ate para sair da aula e chegar a casa mais cedo. Sim ficou melhor e te levarei em casa sempre minha gata gostosa e já vinha me beijando gostoso. Aí delicia meu nego sabia me cativar.
Assim naquela quinta feira tivemos duas aulas vagas ficamos no pátio do colégio namorando discretamente esperando a hora de ir embora.
Coisa normal de namorados estava sentados no pátio nós beijando muito até que na ânsia daquele corpo que eu tenho muito tesão comecei a passar a mão sobre seu cacete. Com descrição é claro,longe de nós sermos pegos pela direção.
Diego estava super excitado de leve retribuiu o carinho passando a sua mão em minha xoxota sobre a roupa.
Tanto eu como ele ficamos mais excitado ainda, doidos por sexo, mas sem saber o que fazer sem ter para onde ir foi quando Diego me chamou para ir até a casa de sua avó idosa que morava perto do colégio.
Vamos Marcela minha avó, não enxerga direito entramos e saímos ela nem vai perceber o que viemos fazer eu ligo para meu tio dizendo que estou por lá fazendo companhia para ela ate ele chegar do trabalho na cidade vizinha.
-Hum tem razão Diego vamos senão vamos ficar doidos de tanto tesão reprimido.
Chegamos era quase 21 horas conversamos com sua avó que ficou feliz de conhecer a namorada de seu neto ficamos vendo um pouco de televisão foi quando avó de Diego disse que ia dormir.
Levamo-la até seu quarto vestimos sua roupa de dormir, demos seus remédios calmantes e fomos para sala esperar até seu tio chegar.
 No sofá ficamos entre amasso e beijos até que o celular de Diego toca.
 Era seu tio dizendo que iria se atrasar um pouco que Diego o esperasse, pois houve um acidente na rodovia... Hum se alguém pensou que achamos ruim, se enganaram.
 Diego era só tesão agora tínhamos um lugar para saciar nossa ânsia de sexo e quando Diego tocou em minha xoxota eu já estava excitada soltei um gemido rouco e comecei acariciando seu cacete.
Diego me segurou por uma das mãos e fomos até um quarto que estava desocupado, caímos na cama como alucinada entre amasso e beijos e toque em segundos estava sem roupas eu só de calcinha fio dental vermelha e ele de cueca Box preta. Meus olhos cintilavam de tesão.
Eu queria que este momento se prolongasse ao máximo.
Esta seria a noite do meu amor maior. Diego carinhoso e gentil foi tirando minha calcinha e com beijos molhados começou dando lambidas em minha xoxota que estava meladinha de tesão.
Foi então que invertemos a posição começando um sessenta e nove (69).
Eu fiquei por cima.
Estávamos ambos loucos de tesão reprimido quando Diego começou a sugar meu grelinho eu fiquei como uma louca alucinada gemendo rebolando em seu rosto lambuzando-o com meu mel.
Foi impossível controlar, mas nem bem comecei eu gozei em abundancia.
Foi ai que comecei a sentir a dimensão do cacete de Diego que entrava e saia de minha garganta me deixando até com falta de ar...
Ele queria prolongar ao máximo, mas tínhamos o fator tempo... Precisávamos aproveitar quando Diego me colocou de quatro na pequena cama de solteiro e com cacete todo babado de minha saliva me veio encochando até que senti a cabeça do cacete entre os grandes lábios e com um movimento hábil e certeiro meteu... Com força e vigor, gritei e quando me dei conta de onde estávamos mordi os lábios.
Diego segurou pelos meus cabelos me fazendo sentir como uma potranca e com os movimentos sincronizados fomos acelerando um vai e vem, até chegar ao ápice do prazer.
Diego fudeu loucamente minha xoxota, parecíamos dois insanos em uma corrida desenfreada onde o premio seria o êxtase de dois seres que se deixaram ser aquecidos pelo clamor do sexo.
Fomos irresponsáveis na ausência da camisinha e nem respeitamos a casa de sua avó.
Coitada que deve ter achado que sonhou com gritos e gemidos, mas foi apenas eu e seu neto Diego por força maior acabamos consumindo nossa primeira transa em sua casa.
Mas graças aos bons ventos deu tudo certo quando o tio do meu namorado chegou estávamos na sala vendo TV e fomos embora sem deixar vestígios.
Agora sempre encontramos um jeito e estamos sempre transando, sem deixar de usar o preservativo afinal é essencial.
Diego está mais liberal e estamos pensando em realizar uma fantasia sua que é de fazer ménage feminino.
Estou ciente do que pode ocorrer, mas também estou curiosa de conhecer o outro lado do sexo que é ter uma mulher dividindo meu macho e ele bem sabe que adoro inovações e vou querer provar e ser provada com todas as emoções possíveis. Para evitar surpresas nós estamos à procura de uma garota de programa para fazermos uma noite a dois.
Eu espero que assim que encontrarmos a mulher que caiba dentro de nosso perfil, eu possa voltar aqui para relatar a vocês.
Ainda quero tirar muitas fotos, eu e a pessoa disputando o cacete de Diego. Quero fazer o que nunca fiz e tenho certeza que não será uma única vez.
Delicia...

Docecomomel (hgata)
Feira de Santana 10 de setembro de 2014
Bahia: Brasil
Visitem meus Blogs
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/


sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Comendo minha empregada casada II







A saga da safadeza continua e se depender de minha pessoa jamais acaba.

Olá voltando para continuar e relatar minhas aventuras diárias com a empregada casada de minha casa.
Sexo é uma incógnita prazerosa e viciante desejos incontidos de muito prazer.
Pois bem depois que comecei a ter um caso com a empregada de minha casa eu fiquei com muito tesão e me tornei muito safado.
Não podia encontrar uma brecha com a Marina que eu a encochava e até na sala enquanto minha esposa estava no banho à safada não dispensava um boquete.
Não foi nenhuma nem duas vezes que eu na sala brincando com meu filhinho enquanto minha esposa tomava banho e Marina já de saída falava:
Quer um aperitivo para a noite patrão?
Eu como já sabia e tendo certeza que minha esposa iria demorar consentia que Marina chupasse meu cacete bem gostoso ate encher sua boca de leite.
Sorridente e feliz a puta falava... Pronto amor vou indo já estou satisfeita com a minha porção.
È claro que eu gostava minha esposa ainda era impertinente neste quesito não gostava que eu gozasse em sua boca. Chupava muito bem só que beber jamais.
Não sabendo ela que é um dos melhores momentos de prazer que um homem sente é quando a sua fêmea se delicia com sua seiva.
Assim minha esposa que passou a ser mais dedicada, pois nosso filhinho estava sendo bem cuidado começou a ter tempo para nós, passou a despertar mais para o sexo.Nossas trepadas passaram a ser melhores ,posições nunca feitas agora faziam parte do nosso dia a dia.Eu adorava tê-la na cama.
Estava radiante e feliz com uma esposa e uma amante que ficava o tempo todo me provocando. Eu estava vivenciando o sonho de todo homem.
Passei a ter um controle maior de minhas ações, sabendo que naquele dia teria uma amante para satisfazer meus caprichos e fantasias. Era normal a quinta-feira com desculpa de hora extra no trabalho ia para o motel com Marina a empregada safada de minha casa. E ela adorava nossos encontros teve um dia que Marina vestiu uma roupinha bem sexy de oncinha e soube devorar seu garanhão com muita maestria.
Seus gemidos de prazer enquanto galopava em meu cacete rígido me levavam a loucura, safada sabia me levar ao delírio.
O visual era belíssimo!
 Meu cacete entrando e saindo de sua xoxota lambuzada, realmente eu estava me sentindo um verdadeiro garanhão com uma eximia amazonas galopando com ritmo sincronizado embalado ao som de nossos gemidos.
-Fode... Sua cadela rebola no teu cacete gostoso... Se acaba com teu macho.
-E Marina começava e gemer ai patrãozinho... Eu... Vo... Voou é gozar. Enrijecia-se e tremia com um gozo maravilhoso, eu olhava seus olhos e ficava feliz de provocar um orgasmo tão intenso naquela safadinha que não encontrava prazer dentro de casa, tendo que buscar fora e isto eram uma adrenalina a mais em nossos encontros.
Variávamos de posições, sendo sempre que eu sentia necessidade de comer seu rabo. E para finalizar nosso encontro da semana coloquei-a na beirada da cama e eu em pé de inicio começava a empurrar meu cacete em seu rabo, de principio até a cabeça romper seu anel ela reclamava, mas depois que já estava todo dentro por completo eu começava a acelerar os movimentos numa fúria eletrizante, tirava o cacete deixando só cabeça de fora e logo em seguida empurrava com intenso vigor.
 E com puxões em sua cintura e tapas em sua bunda chegava finalmente ao gozo.
A potranca rebolava que eu ficava possuído forçando cada vez mais as estocadas. ficando todo atochado só os culhões de fora.
Eta que é gostoso.
E discretamente passava meus dedos na sua xoxota eu via o quanto estava encharcada de tesão, ela gozava em abundancia. Como toda boa puta não dispensava de finalizar com um boquete deixando meu cacete limpinho e brilhante.
Assim tomávamos banho dava mais uma bem gostosa no banheiro e com a xoxota assada ia para sua casa feliz.
Marina minha empregada amante, safada, gostosa que é sonho de consumo de todo homem. Assim cumpria minha rotina de hora extra na empresa deixando Marina perto de um ponto de taxi e ia para casa ver minha família.
Feliz leve e solto. Sexo e bom demais e quanto mais melhor.

Docecomomel (hgata)
Feira de Santana, 03 de setembro de 2014.
Bahia: Brasil
Imagem Web Picassa

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...