Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Calcinhas...Meu Maior Fetiche !




Sou professor de dança e tenho uma variedade de alunos (as).
Sou estritamente profissional dedico a fazer o que gosto e muito bem feito.
Meu perfil é simples sou negro 1.73 corpo atlético, pois pratico atividades físicas.
“Sou um negro lindo”
Solteiro por convicção, não sei se algumas alunas fazem de propósito ou é apenas deslize da parte de algumas, mas que me deixam com a maior saia justa.
Adoro mulher, peças de raras belezas que merecem serem adoradas, amadas e saboreadas.
Amo uma xoxotinha.
Sentir o sulco de suas entranhas me deixam por demais enlouquecido de tesão.
Sou um macho devorador de xoxota.
Tenho um fetiche que me deixa enlouquecido de tesão.
Eu tenho vontade de ser provocado por uma aluna, principalmente se ela estiver usando mini saia com calcinha vermelhinha. Tipo cordão cheiroso, sim daqueles que ficam enfiados na regada do cuzinho.
Só de pensar que a calcinha está em contato direto com o cuzinho e xoxotinha da ninfeta fico ansioso.
Queria ser esta bendita peça que guarda e resguarda o maior dos tesouros.
A grutinha do amor e de meus melhores prazeres.
Não necessariamente que seja essencial eu transar com minhas alunas, mas sinto imenso prazer de imaginar-me com elas e aí bato cada punheta que fico extasiado de prazer.
Mas tem uma aluna minha que me provocava demais, sempre se insinuando.A Elza é demais.
Eu sentia que ela gostava de ficar me torturando.
Deixava-me encurralado com suas provocações.
Sentava displicentemente abrindo as pernas deixando à mostra sua calcinha, ficava de pirraça cruzando as pernas e abria lentamente me deixando hipnotizado de tesão.
Claro que eu disfarçava afinal sou profissional.Mas fica doido de tesão.
Mas que ficava excitado demais isto não posso negar algumas vezes batia deliciosa punhetas se lembrando das coxas mais belas que via nas minhas aulas.
Mas um dia a sorte sorriu pra mim e fui a uma festa e encontrei com uma aluna e outra amiga sua.
Fui cordial cumprimentando as duas.
Ofereci um refrigerante, mas elas preferiram uma cerveja.
Tomamos algumas latinhas e ficávamos dançando juntos.
A Elza (aluna) dançava esfregava sua bunda em mim me provocava muito.
Eu sentia seu contato e cada vez mais meu cacete endurecia.
Eu não sou um super dotado, mas tenho um cacete de 18 cm, bem grosso com uma cabeçorra avantajada. Parecia que ia estourar minha calça de tão rígido.
Meu sangue fervia de desejos.
Meu fetiche de ver e sentir a Elza dançando com a calcinha enfiadinha na regada me deixava louco. Entrei no clima e acariciava,ela fazia cara de safada e dançava mas ainda esfregando-se em mim.
A madrugada fria.
Abraçada a mim me beijava, ronronava igual uma gata no cio.
Final de festa fui levá-las em casa .
Afinal estava de carro melhor que irem de taxi.
Moravam em um bairro próximo ao meu.
A primeira a ser deixada na porta de casa foi Márcia , amiga de Elza.
Assim que arrastei o carro a Elza começou alisar meu cacete por cima da calça e com cara de safada indagou!
E ai professor pra onde vamos?
Prontamente perguntei onde você sugere!
Quero ir pra um motel pode ser?
Sem dá uma resposta, sai em disparada cantando os pneus em direção a um motel que já conhecia. Assim que entramos Elza foi me despindo tirando peça por peça.
Abocanhando meu cacete com gulodice. Elza muito safada dizia fêssor pensei que você era gay já te provocava pra ver até onde ia agüentar!
Você achava isso é.
Pois bem veja ai o tamanho do meu calibre sua putinha safada.
Você me deixava doida na escola, mas agora aqui seremos só nós dois e tu vai ver o que é bom e gostoso!
Mama ai do cacete do teu professor pra ver o que é bom.
Deixei a safadinha me chupar muito gemendo e pedindo meu leite, até não agüentar mais.
Ela chupava e enfiava quase meu cacete todo na boca engasgando às vezes, mas não largava.
Depois de vários minutos sem suportar mais não agüentei explodi em sua garganta esporrando muito.
Gulosa lambia tudo não deixava desperdiçar nada. Deixou meu mastro todo limpinho.Pronto era a minha vez d e deixar a safadinha mole de tesão.Assim a peguei no colo e deixando na cama deitada cai de boca em sua xoxota molhadinha.Seu mel escorria entre meus lábios.Elza tremula de prazer,se contorcia segurando minha cabeça de encontro a sua xaninha molhada.Eu queria era enfiar minha língua cada vez mais ia fundo adentrava entre seus lábios vaginais.
Seu clitóris rígido era sugado com sofreguidão. Sem muita demora Elza começa um intenso e demorado orgasmo,gemia e urrava de prazer.
Eu gemia e balbuciava palavras obscenas que incitavam cada vez mais. Ela adorando por eu lhe chupar sugando de todo seu gozo
Depois de minutos com respiração ofegante Elza com um sorriso nos lábios me diz:
-Ah meu tesudo, vem que eu quero sentir teu cacete me rasgando toda.
Sem esperar um segundo pedido coloquei suas pernas em meus ombros e com estocadas firmes e fortes comecei um galope desenfreado, metendo cada vez mais vendo em seu olhar uma cara de satisfação plena.
Depois de minutos entramos em um êxtase total.
Tivemos um orgasmo juntos.
Saciada e feliz a ouço dizer.
-Adoro um negro gostoso e garanhão.
-Ah professor com teu cacete é gostoso com esta cabeça latejante.
-Até parece uma tocha em chamas de puro prazer.
Ah é... Espera que vamos tomar um delicioso banho pra você ver como ela vai acender a tua chama sua putinha safada.
Vem vamos pro chuveiro que já te acendo com minha tocha.
Assim foi amanhecendo ficamos o dia todo no motel.
Elza muita safadinha e liberal me deu tudo.
Amei ficar com ela e como geme a safada.
Nem conto a vocês o escândalo que fez quando fizemos anal.
Mas acho que vou relatar sim depende dos pedidos.
Até...


Docecomomel(hgata)
Meu MSN docecomomel2011@hotmail.com
Meus Blogs.
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com/
http://sedentosdesexo.blogspot.com/
http://desejosdeinsanos.blogspot.com/
http://noisdafeira.blogspot.com

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Perdendo a Inocência !



Quero deixar bem claro que essa estória não aconteceu com minha pessoa.
Bom quanto eu ainda era mais jovem tinha muitas amigas de colégio, fazíamos passeios piqueniques acampávamos. Tudo era uma farra só mas na santa ingenuidade não pensávamos em sexo .
Não quero ser santa, mas os tempos eram outros e a juventude bem diferente com menos liberdade de pensar e se expressar.
Mas as coisas mudam e meu corpo se transformando e minha libido em atividade constante.
Assim tudo aconteceu!
Fui passar férias de final de ano na casa de minha madrinha no interior.
Minha madrinha que era viúva, mas tinha um namorado.
Um coroa que freqüentava a sua casa eram ficantes de cama, mas não moravam juntos.
Bem na hora que vi o tal * namorado de minha madrinha senti um calafrio, senti medo seus olhos me secavam, meus seios pareciam um imã que atraia seus olhares, ele olhava fixamente e passava a língua sobre seus lábios como se tivesse saboreando algo.
Eu fugia de sua presença.
Antipatizei na hora dele.
Assim depois de três (3) dias hospedada na casa de minha dinda* (madrinha) ela precisou ausentar-se teria que ir a uma cidade vizinha, mas voltaria pela tarde.
Toda cuidadosa deixou-me mil e uma recomendações.
Já eram umas 14hs quando vejo barulho na porta da frente de chave abrindo-se.
Eu estava na sala vendo televisão, achei que era minha dinda, mas pra minha decepção era seu namorado.
Recuperada do susto, falei que a dinda estava fora, que ele poderia voltar depois.
Com um sorriso nos lábios ele disse.
Ah... Menina deixa de ser boba.
Sei que sua madrinha está fora, eu vim aqui foi para te ver e te dá uma coisa bem gostosa!
_Que coisa?
_Isto e segurando seu cacete apontou em minha direção, trouxe um brinquedinho para você.
Por favor, me deixe em Paz senão eu conto a minha dinda de sua ousadia.
Conta!
Pode contar tenho certeza que ela não vai acreditar além do mais ele sabe que estou trabalhando.
Fiz menção de sair quando ele segurou em meu braço e com firmeza na voz, foi logo dizendo.
_Calma ai que não quero te machucar, mas quero sentir prazer com você.
_Venha até aqui junto a mim e me deixe sentir seu gosto de ninfeta da cidade grande.
Não por favor!
Sou virgem!
Delicia... Ah melhor ainda, pois assim lhe ensino e poderei ser o primeiro a chupar esta xoxotinha selada.rsrsrsr
Assim o Eduardo segurando em meus braços me induziu a abaixar, eu fiquei de joelhos na sua frente.
Ele rapidamente tirou sua camisa e abaixou suas calças. Vi pular a minha frente um enorme cacete de cabeçorra enorme,parecia um cogumelo.
É claro que já havia visto outros cacetes, mas sem a malícia de um adulto como estava acontecendo no momento.
Só via homens fazendo xixi em muros e meu irmão mais velho batendo punheta, ouvia os gemidos do lado de fora do banheiro.
Mas jamais tinha tido uma experiência como aquela do momento.
É claro que com o susto meu pensamento não se dava conta do perigo.
Calma menina só quero me divertir.
Vai mama no meu cacete vai.
Anda logo mama até encher esta boquinha virgem de leitinho... Anda sua putinha safadinha.
Quero sentir sua boca mamando meu cajado bem gostoso!Anda logo chupa seu pirulitinho... anda logo.
Eu disse está bom, mas não me faça nenhum mal! Ele deu uma sonora gargalhada e respondeu
Mal? Vou te fazer é bem... rs. muito bem .
Então ele levantou-se e aproximando mais um pouco e com o seu cacete a poucos centímetros de minha face começou a passar por todo meu rosto.
Abra a boca vai que vou te ensinar direitinho a lição.
Vai... Mete na boca porque eu vou te encher de leite já...
Ah assim mama gostoso minha putinha safada...
Lembro-me que o cacete dele devia ter uns vinte centímetros, também que era bem grosso que quase não cabia na minha boca
Doía meu maxilar de ficar mamando sem parar ele estocando suavemente seus quadris de encontro a minha boca.
Ia fundo tinha ânsia de vômitos ele não parava gemia urrava de tesão.
Ele pegava minha cabeça e forçando conta seu pau tentava enfiar tudo.
Minha saliva escorria pelo canto dos lábios, depois de repente ele deu um gemido rouco e grotesco parecendo um animal e...
Senti seu liquido quente e viscoso dentro da garganta, tentei soltar, mas com firmeza ele segurava minha cabeça.
Foram vários jatos em abundancia.
Acabei engolindo em parte, ate gostei do sabor.
Neste momento dei por mim que senti prazer, minha calcinha estava encharcada de tanta excitação que eu estava sentindo.
Ele retirou seu cacete de minha boca ainda meio rígido e com um sorriso nos lábios afirmou.
Aí putinha já sabe como é o gosto de leite de macho hein?
Agora que vou saber qual o gostinho desta sua xoxotinha.
Pegou-me no colo e colocando-me sobre a mesa com as pernas abertas abaixou-se e começou a me chupar. Sua língua morna e áspera percorria toda minha xoxota indo até o meu anus.
Eduardo falava palavras desconexas e obscenas enquanto me chupava. Eu não sabia que era tão gostoso assim minhas pernas tremulas,respiração ofegante.Meu coração parecia que ia sair pela boca.
Muito bom a sensação de ser chupada.
Comecei a segurar sua cabeça de encontro a minha pélvis.
Instintivamente rebolava, mexia os quadris, sentia um liquido escorrer entre os meus lábios vaginais.
Meus pelos de menina moça eram ralos, dava para passar despercebidos. Com gemido alto tive um orgasmo.
Agora sei o nome e reações, mas na época nem sabia que o sexo era tão devastador e gostoso assim. Explodi em convulsão gemendo e gozando na boca de Eduardo que brincava com seus lábios me segurando e deixando-me em estado de estase e prazer.Acabado meu gozo ele ficou radiante e seu tom de voz não tinha aspereza .
Pude visualizar que seu cacete estava mais rígido ainda. Assim ele me abraçou e eu senti toda sua rigidez.
Ambos sem roupas ele se sentou do sofá com as pernas aberta com seu cacete em riste e foi dizendo.
Vem cá menina, sente aqui no meu colo olho eu não vou enfiar meu cacete em você agora porque você não vai agüentar e meu tempo é pouco sua madrinha pode chegar, mas deixarei pra outra hora, mas deixa-me eu bater uma punheta aqui encostada na sua xoxotinha para me aliviar. Mas antes de você ir embora vou querer seu cabaço e vou te ensinar a ser uma puta safada que vai adorar dá a xoxota sempre.E nada de falar com sua madrinha senão te pego a força ai sim você vai saber o que é ser arrombada por um macho de verdade!
Ele realmente não enfiou seu cacete em mim, pois realmente eu não agüentaria, mais ficou ali alisando e passando a cabeça do cacete em toda extensão da minha xoxota.
Tinha momentos que penetrava os seus dedos e ficava dedilhando meus lábios vaginais, umedecendo com meu mel e sugando-os.
Eduardo ficou esfregando a cabeça do seu cassete na portinha da minha xoxota até gozar, enfim ele gozou e deixou tudo melecado foi tudo estranho para mim.
Gemia alto.
Depois com um sorriso nos lábios falou vai menina tomar banho que sua madrinha já vem chegando e eu vou sair, mas volto logo para fazer a minha obrigação de amante de uma viúva fogosa, que é sua dinda*.
Mas tenha certeza que vou gozar muito com ela hoje pensando na sua xoxotinha que vou inaugurar.
Nem bem gozei já estou de cacete duro pensando em comer você minha putinha gostosa.
Vai anda que você ta cheirando a sexo.
Até e não fuja viu?
Relembrando do fato hoje nada sinto, mas na época quando perdi minha inocência fui muito difícil aceitar.
Mas tive bons momentos de prazer com ele mesmo às escondidas tive meus maiores orgasmos em seus lábios gulosos e sedentos de meu mel.
Nunca fui tão chupada como fui alguns anos atrás com o Eduardo um amante bem safado e dotado.
Foi bom demais enquanto durou...


Docecomomel(hgata)
22/09/2011.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Traição Virtual !




A Traição era virtual,mas agora os prazeres são bem reais.

Um pequeno relato que mudou meus conceitos de: Amor&sexo epaixão!
Bem algumas acontecem em nossa vida que são inexplicáveis.
Não quero ficar repetitiva em escrever sobre amores virtuais, mas todos sabem que acontecem e muito.
A carência afetiva o querer conhecer o outro que mesmo distante faz parte de sua vida diária, a falta de estrutura familiar acabam por conciliar cada vez mais o ser humano que sempre está em busca da felicidade. Pois bem!
Assim foi acontecendo o caso de Walter e Elza.
Conhecemo-nos em um chat, e começamos um bate papo, logo fiquei sabendo que era casada.
Mas começamos a bater um papo de boa, trocando conhecimentos todos sabem como é algumas vezes parece ficha de cadastro, de tantas indagações.
Nossas conversas sempre muito respeitosas por ela ser casada.
Mas com o passar dos dias fomos conversando trocando idéias e cada vez ficou mais íntima o bate papo.
Passado alguns dias...
Foi quando por algum motivo que ela não quis me revelar, teve uma crise no casamento, eu como um bom amigo mesmo distante dei a maior força e apoio.
Sempre dizendo que as coisas iriam se acomodar.
Ate que por coincidência ela precisava vir a minha cidade. Meu coração bateu a mil até que fim iria conhecer minha deusa a querida e desejada Elza”.
Então houve um encontro nosso. Simples como amigos...Eu queria muito abraçá-la beijá-la fazer dela minha mulher, mostrar os prazeres que poderíamos sentir juntos.
Como eu sabia de sua fragilidade emocional não quis avançar o sinal.
Mas fiquei momentos de angustia ao seu lado queria possuí-la.
Amar com todas as minhas forças.
Como um homem ama uma mulher quando se sente atraído. Fique o tempo todo a seu lado em total estado de excitação,achei que meu cacete ia rasgar a calça de tão rígido que estava. Pois é... Entre uma conversa e outra ela me confidenciou que sua vida afetiva e intima não estava muito bem.
Que andava brigando por tudo com seu marido, eu como bom amigo a aconselhei há dá um tempo aos dois pra se entenderem. Assim nos despedimos com um gostinho de quero mais apena um leve beijo nos lábios.
Os dias foram passando e Elza me confidenciou que nada havia mudado que estava impossível de continuar vivendo infeliz com seu marido.
Não o amava mais, e ter relações com ele era um martírio não sentia mais prazer.
Sem querer indaguei como ela estava fazendo pra suportar isto?A abstinência, pois é jovem?
Elza meio sem graça com as faces enrubescidas respondeu timidamente. Que saciava sozinha na calada da noite nas horas de solidão,assim fiquei mais atiçado e preparado para ouvir sua confidencia que muito me agradou.
Foi quando tive a felicidade e surpresa de ouvir que ela andou se masturbando pensando em mim. Fiquei feliz de saber que mesmo distante dava prazer físico a ela.
A partir daquele momento deixamos as mascaras cair e falávamos abertamente dos nossos desejos e taras
Até que em um dia ela disse que me amava, que não parava de pensar em mim.
Eu disse que a amava também, mas de um jeito diferente.
Com todo respeito, mas estava impossível conciliar sua ausência, pois só pensava nela.
Marcamos de nos encontrarmos novamente.
Conversamos muito e houve apenas um beijo.
Um beijo leve e doce com o roçar de nossos lábios em uma eterna caricia de amor.
Depois a vontade louca de podermos consolidar nossos anseios e desejos. Marcamos de nos encontrarmos novamente na cidade onde ela residia,ficaria mais fácil para desculpar-se de sua saída de casa.
Encontrei-a no shopping e saímos de carro para dá um giro pela cidade.
Depois de beijos abraços já não suportando mais de tanto desejo num lugar distante e semi-deserto.
Elza tomou a iniciativa e me levou a loucura me pagando o maior e melhor boquete que já recebi em minha vida.
O desejo falou mais alto!
Fomos direto para um motel.
Não sou menino inexperiente, mas jamais vou esquecer-me dos belos momentos que passei com Elza fizemos um amor delicioso.
Sem pressa fui tirando sua roupa, peça por peça.
Comecei a descer meus lábios suavemente beijando-a pelo corpo inteiro.
Meus lábios mornos faziam estremecer de prazer, provei da cada centímetro... Até chegar à grutinha do amor!
Sua xoxotinha lisinha molhada do mel do prazer.
Fui com sede fazendo-a gozar na minha boca.
Sorvi de seu mel com gosto. Seu orgasmo foi intenso e delicioso.
Já não agüentava mais de tesão.
Elza soube me recompensar com seus carinhos.
Levando-me a loucura quando começou a mamar no meu cacete
Foi à vez de ela me deixar como um ensandecido.
Lambia toda extensão do meu mastro rígido.
Quando falei Elzinha meu amor vou gozar nos teus seios!
Não!
Eu não quero isto quero seu leitinho todinho na minha garganta, foram às palavras mais doces que ouvi.
Isto me levou a loucura me fazendo gozar na sua boca de imediato.
Foram jatos de esperma em grande quantidade Elza acabou bebendo tudo, sem deixar desperdiçar uma gota sequer.
Depois continuou chupando meu cacete até deixar ele limpinho.
Relaxamos um pouco e logo depois entramos na banheira onde fizemos amor de varias formas.
Fizemos infinidades de posições.
Adorei cavalgar e ser cavalgado.
Elza me deixou cada vez mais cativo de seu corpo.
Sedento de Sexo e amor.
Assim foi minha primeira vez com ela. Elza minha safadinha gostosa que me levou a loucura de tantos orgasmos.
Não foi sexo foram momentos de alegria e felicidade, mas sempre jurando amor um pelo outro.
Fiquei bem balançado quando Elza me disse que agora sou seu dono e que só vai pra cama com o marido se eu deixar.
Eu tenho uma noiva, mas jamais tivemos uma relação tão completa, ela cheia de pudores.
Não me completa na cama.
A Elza é espetacular me deixa cada vez mais vidrado a apaixonado por ela.
Sempre tenho inúmeros orgasmos com ela.
O seu diferencial é sentirmos prazeres intensos. Seus gemidos seus urros de prazer seus carinho me deixam cada vez mais apaixonado.
Ela adora quando eu a mordo deixando algumas marcas em seu bumbum.
Vai ao êxtase quando tiro sua lingerie de dente e começo a chupar sua xoxotinha de um lado e de outro até suplicar que tire sua calcinha.
Toda semana ela compra lingerie novo que é pra usar pra mim, e me deixa tirar com muita vontade de saciar nossos desejos.
Elza encontrou-se comigo neste feriado passado e disse que da próxima vez vamos fazer sexo anal, que vai dar o cuzinho pra mim, pois ela gosta muito, mas seu marido nunca soube levá-la ao orgasmo assim. Já estou contando os dias quando ela virá passar o dia comigo.
Sei que agora sempre nas minhas folgas terei uma mulher para saciar meus desejos de homem fogoso como sou.
A safadinha ainda quer realizar minha fantasia que é de ir pra cama com duas mulheres.
Estou ansioso pare realizar essa minha fantasia.
Elza agora é minha escrava e posso fazer o que quiser com ela na cama.
Que delicia só de imaginar e pensar nela já fico de cacete duro.Então como não sou de ferro vou visitar minha noiva e dá uma boa trepada, mas pensando no calor da xoxota de Elza.
Mas agora que tenho duas mulheres não vou querer largar nunca, nem uma nem outra. Mesmo que eu me case Elza vai sempre está na minha vida. Ela me deixa realizado e feliz na cama.
Ah quanto ao marido dela?
Nada posso fazer a não ser agradecer por deixá-la cada vez mais bonita e SEX para mim.


Docecomomel(hgata)
Imagem do google

http://sensacoescomemocoes.blogspot.com/

http://desejosdeinsanos.blogspot.com/

Meu MSN docecomomel2011@hotmail.com

Twitter @docecomomelgta

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Traição e safadeza total !



Tenho 37 anos.
Sou Casada e acredito que sou feliz.
Mas tem um pequeno pormenor a curiosidade me levou um pouco adiante dos meus reais anseios e desejos.
Eu deliberadamente traí meu marido.
Bem e ainda por cima com um colega de meu filho.
Vou chamá-lo de Amadeu.
Aquele rapazinho franzino que freqüentava minha casa assiduamente, eu sentia seu olhar penetrante na minha bunda. O que vou relatar agora ocorreu há dois anos, ou seja, eu tinha 35 anos.
Sempre o Amadeu colega de meu filho vinha a nossa casa e vez ou outra ouvia a zoada que faziam vendo filmes e jogando vídeo games.
O jovem era franzino, mas alto. 1,70m, 55kg, cabelos castanhos lisos, poucos pêlos, branco, um rosto angelical.
Muito educado e atencioso.
Eu jamais havia cogitado algo entre nós ate o dia em que o meu filho me pediu para o Amadeu dormir lá em nossa casa durante o final de semana, pois iriam estudar. Na sexta feira após o jantar os dois se recolheram e da sala ouvia-se risos e piadas.
Coisas de jovens.
Como tenho hábito de dormir tarde já era mais de uma hora da manha quando eu me dirigia ao meu quarto ao passar pelo quarto do meu filho ouvi sons de gemidos e suspiros.
Sem querer ser vista abrir a porta suavemente e vi a meia luz que o Eduardo (meu filho estava dormindo).
Mas o barulho de gemidos continuava, eu sem malicia me dirigi ao banheiro andando bem discretamente sem ser vista.
Deparo-me com uma cena espetacular de masturbação.
O Amadeu de costas para porta estava punhetando e pude visualizar um belo e pomposo cacete. Senti de imediato uma comichão na minha xoxota.
Até ai tudo bem todos sabem que os jovens em pleno vigor físico e os hormônios a todo vapor tem uma energia imensa.
Adoram masturbar-se.
Mas caramba o Amadeu estava delirando com uma foto minha, nem se lembrava desta bendita foto que eu estava de biquíni que meu filho tirou em um passeio nosso a praia.
As palavras do Amadeu em referência a minha pessoa me deixou excitada.
Que fôlego o rapazinho tem.
*Ah minha coroinha gostosa toma leitinho de seu Amadeuzinho...
Toma cacete nesta xoxota gulosa.
Ahh delicia de bunda.
Ai vou meter meu cacete até fazer calo na tua xoxota Marcelinha.
Ah meu São João punheteiro não agüento mais de punhetar na intenção desta coroa.
E com velocidade suas mãos trabalhavam no cacete no vai e vem.
Depois de um gemido prolongado vi uma explosão de esperma sair em abundancia do glorioso punheteiro.
Sai de mansinho para não ser notada, mas digo com sinceridade fiquei super excitada de ver aquele jovem se derretendo em minha intenção.
Passou um tempo e o episódio do banheiro caiu no meu esquecimento.
Até que um dia sem ter o que me fazereu estando sozinha fui tomar banho na piscina do condomínio, poucas pessoas afinal era dia de semana.
Estava tranqüila tomando meu Sol já eram aproximadamente umas 13 horas quando meu filho chegou acompanhado de seu amigo Amadeu.
Fiquei sem graça, pois não esperava pelo rapaz e ainda por cima o safadinho não tirava os olhos do colo dos meus seios, me senti desnuda sob o seu olhar insistente. Eu perdi a vontade de tomar Sol e entrei sem deixar de notar os olhares de Amadeu que me seguiam.Apressei meus passos entrei no banheiro para me trocar e meus pensamento se tornam cada vez mais confusos.
- Eu começava a perceber que sentia algo diferente quando via o Amadeu, sentia meu corpo dá um leve tremor e a excitação deixava minha xaninha molhadinha.
-Meu Deus sou casada que farei para controlar estes Insanos desejos.
Eu desejava tocar nele e fazer outras coisas com ele.
Sozinha no meu quarto soltava minha libido e me masturbava, pensava no Amadeu, me excitava muito e gozava rápido com gemidos e sussurros na calada da noite. Quando acontecia de nos encontrávamos, eu sentia uma dificuldade de esconder minha atração por ele.
Queria sentir seu cheiro o sabor de seus lábios o calor de seu corpo.
Queria como uma mulher deseja um homem ser possuída sem reservas.
Entregar-se ao deleite de nossos corpos.
O destino conspirou contra nós e em uma tarde de sexta feira ele bateu a minha porta.
Surpresa e feliz de vê-lo, mas ele queria ver meu filho que por sorte minha havia saído com sua namorada.
Fiquei determinada e decidir agir. saciar esta vontade que perseguia meus instintos de fêmea no cio .
Eu o queria e precisava agir rápido com desenvoltura. Mandei entrar e fui direta indagando se poderia ser útil?
Vi um brilho em seu olhar e começou a falar gaguejando, mas suas palavras vieram ate mim como melodias.
Sonoras e suaves.
Dona Marcella me desculpe se sou mal educado, mas o que vim fazer aqui não foi com seu filho na verdade sei onde está e que vai demorar.
Eu vim lhe ver, pois não agüento mais sufocar este desejo que sinto pela senhora.
Desculpe-me sem querer ofender, mas é algo que foge do meu domínio.
Eu nada disse, mas aproximei-me e abracei o Amadeu.
Em instantes o toque de nosso corpo causando um leve tremor, eu vi o Amadeu de cacete duro encostado a mim.
Como eu sempre imaginei e desejei.
Seu cacete duro dentro das calças a ponto de rasgar, com tanta firmeza e rigidez. Ao ver isto já me excitou bastante.
Tomei coragem e desci uma de minhas mãos e comecei alisar seu cacete ainda sobre a roupa.
Ele, meio sem jeito, mas gostando dos carinhos.
Estava meio sem jeito, mas acariciei um pouco.
Então, abri seu cinto e deixando suas calças cair aos pés começou a masturbá-lo.
Ele gemia pedia para eu não parar porque estava muito gostoso. Falava palavras que me incitavam a mostrar meu lado devassa,mundano.
Abaixei e de joelhos comecei dá uma lambidinha na cabeça. Lambia seu cacete todo, até o talo.
Eu parecia não acreditar, que estava ali na sala em maior sacanagem com amigo de meu filho, mas assim como eu, ele estava nas nuvens. Delirava de prazer.
Até parecia um sonho.
Segurei o Amadeu e fui em direção a um quarto da casa finalmente poderia sentir aquele cacete.
Assim que entramos começamos um sessenta e nove (69) bem gostoso. Comecei a chupar com vontade, ele se contorcia, até que encheu minha boca com seu leite.
Era a primeira vez que eu sentia outro cacete em minha boca alem do meu marido Marcos achou muito bom, sorvi de seu leite o máximo que pude.
Eu também havia gozado muito em sua boca.
Passado alguns instantes nem eu nem ele acreditava que havia deixado aquilo ocorrera. O desejo tomar posse de nossa vontade.Conversamos e achava melhor nunca mais repetirmos e guardar segredo para evitar problemas.Eu logo concordei. E fui logo dizendo que se ele não quisesse, não iria se repetir jamais que fizemos algo muito perigoso.
Com a respiração ofegante ficamos abraçados. Calados por um tempo depois de alguns minutos tomei iniciativa e falei:
Amadeu sabe que erramos, mas voltar atrás não pode, mas terminar o que começamos, pois ainda não complementamos nossa saga de amor e sexo.
Tanto eu como ele ainda estávamos super excitados.
Começamos um vai e vem frenético de corpos.
Tanto eu como ele estava adorando, dava gemidos e rebolava na sua frente.
Amadeu com firmeza estocava sem parar.
Senti seu cacete adentrando minhas carnes.
Depois de um bom tempo sentindo seu galope explodimos em um intenso orgasmo.
Realmente foi a consagração de um ato.
Não tão legal devido ao fator traição, mas prazeroso e intenso.
Fui às nuvens. mas precisava encarar a realidade.
Ele me elogiava falando palavras doces, querendo que continuássemos nosso caso as escondidas, mas afirmei que não poderia dá a certeza, mas se ocorresse oportunidade não deixaria escapar.
Ele me abraçou dizendo que jamais deixarei de ser a coroinha e putinha dele. Eu adorei a idéia.
Foi o que realmente aconteceu, sempre dávamos um jeitinho de algumas horas breves, mas com transas mirabolantes recheadas de puro prazer.
Em qualquer motel da cidade.
Passei a fazer curso de inglês para ter um motivo de sair nas minhas tarde. Sempre sentia-me aliviada das tensões diárias com os orgasmos provocados pelo meu garoto jovem mais muito experiente na arte de seduzir uma mulher.Depois conto como foi nosso primeiro anal.



Docecomomel(hgata)
Vejam meus blogs
07/09/2011.Novo conto
Imagem de:Galeria de Janet Layher

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...