Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

sábado, 26 de abril de 2014

Um encontro casual... Uma transa sensacional...







Meu nome é Marcela tenho 29 anos 1,64 de alt. 59 kg olhos castanhos meus cabelos são castanhos sou  uma mulher muito discreta. Adoro sexo atualmente estou solteira.
Vou relatar uma historia que aconteceu em uma viagem que fiz até São Paulo.
Estava fazendo um curso na cidade de Campinas, claro que a empresa que trabalho estava bancando tudo até um motorista particular tinha a nossa disposição, para levar do hotel até o local do grande evento.
Como as cidades são próximas à noite saiamos para conhecer, mas por um descuido meu eu perdi o horário marcado para voltar ao hotel então precisei voltar de ônibus.
Peguei o ônibus das 20h15min, fiquei ansiosa, pois estava em um local desconhecido e sozinha.
Cada pessoa que entrava no ônibus ficava curiosa pra ver quem sentaria ao meu lado, passou alguns jovens tipos gostosões cheio de tatuagens e músculos,para minha decepção  eles foram se sentar lá no fundo do ônibus, que estava praticamente vazio.
 Então seguíamos viagem e na primeira parada na entrada de uma pequena cidade observo um homem que entra no ônibus, era alto, mas meio calvo, moreno, aparentando ter uns 35 anos.
Mais com um corpo bem definido achei que era algum lutador de judô.
Sentou-se na poltrona a meu lado, e seguimos viagem sem conversar, mas eu senti uma atração por ele seu perfume com aroma adocicado e simples, mas que gosto muito, me atraia e assim a cada curva eu fazia questão de encostar meu braço no dele.
A viagem seguia seu percurso normal, mais foi assim que decidi fazer uma arte quem sabe poderia dessa vez me dá bem. Sou um pouco moleca adoro provocar os homens.
Então chegando à cidade onde havia um terminal de apoio da empresa eu fui até a toalete e quando voltei meu companheiro de viagem estava na lanchonete.
Deliberadamente sentei-me em seu lugar e coloquei as pernas no lugar vago, e fechei os olhos como se estivesse cochilando.
 Havia uma grande concentração muita gente indo e vindo devido ao feriadão que se aproximava.
Desci até a lanchonete e antes que o ônibus partisse comprei uma cervejinha gelada... Logo os passageiros voltaram, pois ônibus já iria sair.
Estava sentada na poltrona errada e fiquei com o corpo estendido ocupando os dois lugares, logo percebi alguém em pé me pedindo licença abri os olhos e vi meu colega de poltrona rindo,também com uma cerveja em lata nas mãos.
Então o único recurso seria dá lugar a ele quando ia me afastar ele disse  que eu poderia ficar que ele sentaria no outro lugar, assim eu fiz e fiquei na janela observando as luzes escassas no caminho, tomei minha cerveja e recostei para tirar um cochilo ainda faltava alguns poucos km de viagem e eu sem querer adormeci.
Logo percebi um movimento estranho na poltrona ao lado abri os olhos e vi que o homem ao meu lado estava alisando seu cacete, estava excitado, pensei que poderia ser algo involuntário, mas não ele estava, mesmo de cacete duro alisando sobre a roupa, respirei fundo ele percebeu que eu estava acordada e com a maior cara de pau pegou na minha mão falando... Pega aqui um pouquinho já que você me provocou...
-Eu? Aí eu respondi em tom baixo de voz, tinha medo que os outros vissem e com toda certeza ficaria com vergonha.
-Eu provoquei você é doido?
-Sim provocou com seu corpo sedutor encostado ao meu.
-Adoraria meter gostoso com você e gozar muito lá dentro... Eu ri e disse que só não poderia ser ali naquela hora, mas poderemos manter contato.
- Ele riu e falou que nunca havia feito algo assim em um lugar com muita gente, mas adoraria continuar comigo ao chegar a nosso destino e com um movimento pegou um blusão colocando em seu colo e com um pouco de jeito e carinho me induziu a pegar em seu cacete.
Eu já estava cheia de tesão , perguntei-o meia sem jeito porque não podemos ao chegar a nosso destino ir pra algum ligar.
Ele concordou, mas queria ali e agora gozar.
Comecei a masturbar senti cada cm de seu cacete duro entre minhas mãos, ele safado veio com tudo e logo já dedilhava minha xoxota meladinha, quando enfiou seus dedos entre a beirada da calcinha e sentiu que já estava meladinha gemeu falando a safadinha também está com vontade é?
-Claro! Não sou de ferro e ele que se chamava Adilson meteu os dedos deixando todos lambuzados do meu mel,  safado como é tirou chegando até a lamber seus dedos um a um, para ser sincera adorei sentir seus dedos dedilhando em minha xoxota, eu expelia do meu mel com muita intensidade, não aguentei depois de alguns minutos logo gozei... Eu estava com tanta vontade não aguentei mesmo...
Seu cacete já estava duraço, ficou mais ainda cheio de excitação e na calada da noite dentro de um ônibus íamos brincando com os folguedos do desejo então eu fiz gesto perguntando se podia lhe chupar... Ele demorou um pouco a responder olhou para um lado e outro  para ver se alguém percebia, mais acabou concordando então me inclinei e ficando sobre o seu casaco comecei a pagar um boquete delicioso.
Tentei de todas as formas não gemer, mas o cacete cabeçudo coube direitinho na minha boca lambi e suguei indo ate as bolas, foi quando percebi suas veias se dilatarem e um espesso gozo chegar até o meu rosto.
Eu gosto de beber leitinho, mas como era um desconhecido ainda optei por receber a exporrada na cara. Uma delicia.
Limpamos-nos e logo as luzes do ônibus foram acesas indicando que estávamos chegando ao nosso destino.
Descemos pegamos um taxi e antes de ir para meu hotel fizemos uma parada extra em um motel com meu colega de viagem.
Aí sim que soube o que é transar o cara parecia um garanhão. Conversamos muito e soube que é professor de educação física, casado e veio até campinas visitar seus pais, mas que deu sorte de me encontrar queria aproveitar os momentos.
Apesar de que a ordem cronológica foi alterada queria ficar comigo neste feriadão... Queridos a madrugada foi uma delicia tivemos relações sexuais de tudo quanto é posição foi preciso usar as camisinhas do motel...
Adilson um verdadeiro garanhão, fizemos um sessenta e nove que até pensei que ia morrer engasgada, ele soube colocar seu cacete com tanta desenvoltura na minha garganta, que gozei abundantemente sentindo seu cacete ir fundo, aí soube o verdadeiro significado de garganta profunda.
Seu cacete não era muito grande, mas a cabeçorra parecia um cogumelo, ele sabia aproveitar de seus dotes,quando fizemos anal e cabeçorra ia passando pelo esfíncter eu sentia minhas pregas dilacerando e com carinho ele soube ir fundo sem causar dano algum, já com cacete todinho dentro soubemos aproveitar cada minuto de nosso tesão.
Apesar de Adilson ser casado ficamos um bom tempo nos encontrando e sempre a cada encontro uma novidade. Ele sabia aproveitar de seus dotes másculos e aproveitávamos fazer as posições mais mirabolantes possíveis.
Fiquei com saudades quando tivemos que colocar um fim em nosso relacionamento... Mas transas esporádicas comigo não dá certo,gosto muito de sexo ,da entrega total.
Alguém aí se habilita a ser meu próximo amante???
Pode enviar currículo...
Exigências à parte.


Docecomomel(hgata)
Feira de Santana , 26 de abril de 2014.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Aventura em alto mar.





Olá... Saudades.
Andei um pouco ausente estava de férias, mas voltei com muitas aventuras que vou contar para o deleite de vocês meus caros amigos...
Bem vou relatar uma pequena aventura que eu tive recentemente no mês de fevereiro, foi durante o período de carnaval.
Para quem não sabe sou Marcela, divorciada 36 anos, sem filhos, sou morena, com cabelos de tamanho médios castanhos escuros e meus olhos também são castanhos.
Sou morena clara, não sou afro, que fique bem claro nada contra, mas desde quando algumas pessoas sabem que sou baiana já me imaginam com cabelos dreads ou Black Power ou com a roupa típica de vendedora de acarajé.
Nada disto pessoal existe algo que é tradicional de cada região.
Vestimos-nos normal como toda mulher de qualquer estado do Brasil com clima quente e gostoso como é na Bahia.
Além do mais somos quentes por Natureza...
Desculpem o excesso de demagogia ou exagero de autoestima, mas meu Rey baianos somos assim alegre por convicção da boa maneira de viver bem... E feliz.
Bem voltando a minha aventura eu fui convidada para um pequeno passeio de barco, pelo litoral sul de nosso estado.
Eu não sou muito fã de passeio agitados com muita gente, mas por incrível que pareça eu aceitei e tive a sorte que devido a chuvas algumas pessoas convidadas desistiram, para alegria dos que foram.
O sossego de ficar em alto mar passeando ouvindo o som das ondas do mar.
O sol ameno e a brisa leve esvoaçavam meus cabelos. Apenas seis pessoas a bordo. Ouvindo uma musica suave,bebericando um campari,  perdida em meus pensamentos fiquei deitada em uma cadeira preguiçosa entregue a leveza do meu ser.
Em paz comigo mesma, mas assustei-me ao ser despertado por uma voz com sotaque estrangeiro.
Demorei a sair da letargia da noite anterior mal dormida, mas logo me dei conta de onde estava abri meus olhos e com uma mão protegendo dos raios que esplendorosamente brilhavam sobre nossas cabeças, pude distinguir de quem era a voz com timbre forte ali ao meu lado que falava!
usted hablas espanhol? Us Ted habla español
No io no hablo espanhol..
Ah si si.
No quieres conhecer a cabine principal? Quieres saber La cabina principal.
Ah si.
Eu no momento que olhei para aquele homem de olhar frio, mas com um semblante de Sheik, parecia que eu estava participando de um filme.
Um filme em alto mar, eu me senti  uma diva.
Entre o sonho fantasia e realidade eu e outro casal nos dirigimos até a cabine principal.
Assim fomos até a cabine daquele imenso barco em companhia do comandante, ou seja, do proprietário do barco.
Enquanto íamos andando em direção à cabine eu pude observar a fisionomia daquele homem simpático com alguns fios de cabelos grisalhos, barba e bigode que adoro, ele era um pouco alto, com músculos definidos com certeza em tempos de outrora fora uma atleta, andava lentamente com seu jeito firme dono da situação sabia para onde ia e com toda certeza sentia-se feliz de poder mostrar seu mais novo brinquedo pessoal seu barco...
Assim o seguimos pelo convés o Sol dava um tom especial com seus reflexos dourados brilhando em nossas cabeças até que descemos as escadas e a luz natural do dia foi substituída por lâmpadas frias, que davam um toque especial na decoração.
Logo que adentrei aquele imenso espaço sentiu uma sensação de paz, o clima suave transbordava como se eu no momento estivesse em outro plano,alem do momento presente.
Estejam à vontade vocês são meus primeiros convidados a conhecer este recinto.
A porta se abriu a nossa frente surgiu uma imensa cama forrada com lençóis de cetim de cor bege sobre ela muitas almofadas de estilo indiano. Realmente estávamos em local digno de um sheik, todos ali presente ficaram admirados da beleza impar do lugar.
Voltamos ate o espaço anterior e ficamos observando por um vidro o lindo por do sol que surgia a nossa frente.
Sem palavras... Logo o casal disse que voltaria até o convés eu fiquei sem ação e sem palavras apenas observando a beleza do por do sol no horizonte.
Até que meus pensamentos foram interrompidos pela voz austera do capitão, eu elevei minha cabeça perante seu olhar notei que ali na minha frente estava um homem de grande poderio financeiro, mas um homem só, sem amor sem família, que se dedicava ao trabalho exaustivo em tempo integral.
Triste contestação, mas é o que ocorre muito corremos por demais em busca de grandes poderes aquisitivos e acabamos atropelando nossos sentimentos que ficam adormecidos a mercê da própria sorte.
Mas eu não sou juíza para julgar ninguém tinha mesmo era que aproveitar os bons momentos que ali poderia usufruir e nosso anfitrião muito gentil se esmerava em exaltar a cordialidade servindo do bem e do melhor.
A noite um belo jantar foi servido que todos degustaram e não faltaram elogios, a musica suave tocava em um aparelho de som e aos poucos os casais começaram a dançar com exceção de minha pessoa e do comandante que também estava desacompanhando.
Mas o momento, à noite a musica suave nos empurrava um contra o outro ele me olhava eu retribuía seu olhar com um sorriso o magnetismo de ambos se atraiam logo estávamos os dois ao centro dançando juntamente com os demais casais. Amo dançar e quando encontro um bom par me deixo levar pela leveza da musica, o tempo vai passando e não apercebo que os outros casais saíram sorrateiramente ficando só eu e o capitão.
Quando noto fico tímida e peço desculpas, ele sorri feliz e dizendo... Parece-me que seus amigos e meus convidado adivinharam que estava querendo ficar a sós com você.
Ah... Não diga assim senão acabo me convencendo que é verdade.
Pois pode se convencer que estou sendo sincero com você e eu fique boquiaberta em meus 1,62 de altura olhando para aquele homem, minha cabeça nem chegava à altura de seus ombros.
 E como um passe de mágica me vi envolvida em um beijo terno a principio, mas logo foi tomando uma proporção descomunal e em instantes mi vi sendo levada pelos braços fortes de Markus, eu estava sendo conduzida a sua cabine particular, claro que não opus resistência era algo que também estava desejando e ao adentrar aquele pequeno mundo paradisíaco eu me sentia como uma... Diva sendo cortejada.
Markus me beijava com intensa paixão logo suas mãos ávidas começaram a tirar minha blusa fina,deixando meus seios expostos e com delicadeza ele os acariciava deixando os bicos eriçados,ai vocês imaginam como o tesão intenso se apossava de ambos,abri sua camisa e também lhe fiz carinhos em seu dorso nu,sua tez morena do sol reluzia dando um sombreamento atípico e sensual.
Senti seus lábios em meus seios e uma corrente elétrica percorreu meu corpo foi um choque sexual e no mesmo instante senti que minha xoxota ficou ensopada.
Meu rosto ficou afogueado de tesão e Markus deliberadamente começou a tirar minha saia e eu sua calça... Ambos de roupas intimas em um abraço, eu sentia seu membro tocar em meu umbigo.  E inclinando a cabeça para baixo em um ângulo de visão eu só conseguia enxergar um cacete duríssimo que saia sobre o cós da cueca.
… Eu bem que tentei fazer de conta que não tinha visto nada, mas os seus movimentos de quadris induziam a uma dança sincronizada e sensual.
sem falarmos nada Markus foi me apoiando entre as almofadas e começou abaixando minha calcinha e sua boca apossou-se de meus lábios vaginais me proporcionando prazeres,
Insanos eu não queria e nem tinha como protestar… Meu primeiro orgasmo foi intenso e demorado, mas quando Markus arqueou um pouco o corpo, se colocando encaixado dentre minhas coxas, soltei um gemido dizendo que seu cacete era muito grande que iria me dividir ao meio, rimos gostosamente, e com zelo minhas coxas foram se abrindo senti seu cacete vibrando e o calor de sua pele em contanto com a minha, cruzei minhas pernas em sua cintura e com golpe forte e certeiro senti a cabeça penetrar e uma sensação de ardor foi dando lugar...
Os belos momentos de tesão , ambos suspiravam entre gemidos e sussurros assim ele me fodia e eu rebolava como doida... Até entrarmos em um êxtase completo.
Ficamos abraçados sem palavras até fomos tomar um banho rápido e voltamos para cama e entre os lençóis macios voltamos a nos amar.
Fizemos uma variação de posições algumas delas até conhecida por mim em teoria, mas que foi muito bom conseguir realizá-las.
Uma delas foi senti o gozo de Markus se aproximar e na hora de gozar tirar cacete e exporrar todo seu leite em meu rosto. Foi algo diferente nunca antes ter feito e não faltaram outras oportunidades.
Acabamos realizando sexo anal e adorei ter Markus atracado como se fosse um garanhão atrelado a uma potranca fogosa sedenta de sexo.
Foi à realização de um sonho amar em alto mar. Desse jeito foi que eu tive minha primeira experiência com um coroa... Educado gentil e carinhoso sem deixar de citar que é muito fogoso...
-Eu o adorei.
- Várias outras fodas se seguiram entre nós, mas isto fica para outras histórias posteriores...
Que depois eu conto, pois agora tenho que aproveitar que meu marinheiro está aqui do meu lado querendo muito transar...
-E eu é claro não sou de fogo negar...




Docecomomel (hgata)
Feira de Santana, 23 de abril de 2014.
Visitem meu blog

domingo, 13 de abril de 2014

Relato de um corno conformado



Oi.
Eu sou o Marcos tenho 32 anos sou casado, minha esposa é linda e gostosa.
 Morro de ciúmes dela...
Uma coisa que todo homem tem medo de ser é corno e eu não sou exceção.
 Eu estava meio desconfiado dela, pensando em algum dia pegar minha esposa com outro... pois houve umas vezes que eu a procurei para transarmos e ela alegou dor de cabeça.
.A fisionomia de alguém assim com dor de cabeça e diferente,mas ela estava alegre e sorridente.
Ai foi eu que comecei a sentir dores de cabeça,na testa explicitamente.
Fiquei desconfiado minha esposa tem 27 anos,tem seios de tamanhos médios e uma bunda muito gostosa,na cama uma potranca sempre fazemos de tudo.um complementa o outro.
 Minhas desconfianças continuaram...Mas eu ficava excitado
O tempo foi passando a excitação se apossava de meu corpo com estes pensamentos de traição.
Até que um dia, eu disse para ela que iria ficar dois dias fora devido ao trabalho. .Mas na verdade seria um dia só logo na noite do dia seguinte eu voltei sem avisar, cheguei de taxi era bastante tarde entrei silenciosamente para não acorda-la e para surpresa e delírio eu peguei ela na cama com um cara que, meu vizinho.
Ele estava metendo nela de quatro rebolava e gemia que estanquei na porta do quarto... Claro que  fiquei bravo.
Mas eu senti tanto tesão vendo minha bela e gostosa Marina sendo comida pelo meu vizinho Carlos, eu já tinha ouvido rumores sobre este Carlos que era um negro bem dotado que andava azoando os maridos da vizinhança.
È claro que Marina minha pobre e safada esposinha não resistiu à tentação de conhecer outro cacete que não fosse de seu maridão...
Desculpas de corno!
 Mas, eu não vou negar que acabei ficando com tesão ao ver minha esposa sendo comida por outro... Que fui para o quarto ao lado e ao sons dos gemidos dos dois bati uma punheta que jorrei litros.
Não foi melhor porque precisava evitar que fosse descoberto.
Quando ouvi minha esposa Marina concordar em fazerem anal eu entrei em pânico, pois tinha visto o tamanho da tora do cara... Ah amorzinho terei cuidado não vou deixar você arregaçada senão  o corno do ótario de seu marido descobre...
Hum delicia ser chamado de corno.
Meu cacete já foi ficando duro.
Fui até a porta lateral e fiquei de espreita observando os dois.
Caracas quando vi o negão deitado com seu pé de coco pra cima e minha esposa deliberadamente descendo aos poucos, pensei adeus pregas, mas que nada estavam os dois lubrificados e eu e minha esposa sempre  fizemos anal.
Ela soube descer macio e ficou rebolando como uma louca no cacete do negão.
Eu nem conseguia controlar meu tesão, mas aquentei firme até ver ela sair de cima dele  ele jogar camisinha longe exporrar muito leite nas costas dela.
Só putaria mesmo.
Voltei a gozar e sai de mansinho...
Fui relaxar no quarto.
Na esperança de que antes do amanhecer o casal acabasse a farra.
As 3 hs ouvi barulho e os dois conversando se despedindo.
Não se preocupe Carlos quando Marcos voltar não ficará sabendo de nada,,,
Ainda teremos muito tempo juntos.
-Com certeza gata você é muito gostosa quando quiser pode aparecer na minha casa,sabe que moro só.
-Vou aparecer sim qualquer tarde destas.
Minha esposa entrou colocou as coisas em ordem e foi tomar um banho, quando estava no banheiro eu entrei.
Ela se assustou...Querido você aqui?
Faz tempo que cheguei amor
-Ah foi!
-Sim e vi tudo.
Ah foi e já foi ficando na retaguarda eu calei sua boca com um beijo e disse não se preocupe querida seu corpo é seu você usa ele como quer.
Falei já me abaixando no box do banheiro e ali sentado comecei a chupar sua xoxota toda lambuzada de seu gozo.
Coitadinha de minha putinha estava toda assadinha.
Chupei muito com carinho e logo fui presenteado com seu delicioso mel.
Gozei ali mesmo no Box tamanho era meu tesão.
Eu a perdoeu,  pois a amo muito.
Mas que foi tesão transar com ela sabendo que tinha acabado de ser  comida por outro foi fantástico nossa trepada no banheiro.
Sou um corno assumido,amo minha esposa transamos muito gostoso e quando ela resolve dá para outro fico louco de ciúmes e cheio de tesão...
Mas o tesão que sentimos encobre o chifre.
Estamos com planos de fazer uma Dp ,esperando só a oportunidade,tenho certeza que será maravilhoso ver minha esposa gozando com dois cacetes juntos.
Bem depois falamos estou sentindo uma dorzinha de cabeça desde a hora que minha esposa saiu para ir ao shopiing e esta demorando será que aconteceu algo?
Ser corno é compartilhar com os amigos.
Delicia de tesão que sinto.


Docecomomel
http://desejosdeinsanos.blogspot.com.br/
12/04/2014.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Caindo na vara do negão





Caindo na vara do negão
Mudei-me para uma casa em um condomínio novo na cidade de Salvador, na minha rua havia várias casas vazias para aluguel e seus proprietários em reforma se preparando para mudar.
 Num belo dia eu estava saindo para trabalhar e percebi que na casa vizinha havia um caminhão de mudança parado bem de frente a minha casa.
Buzinei, pois não tinha condições de sair com meu carro.
Logo me surge dois rapazes, um era negro e outro com a cor mais clara.
Um deles afastou o caminhão dando espaço para eu poder sair. Acenaram sorrindo.
Logo imaginei quem seria o novo morador da casa ao lado.
Fui trabalhar só voltando á noite... Depois de alguns dias automaticamente fomos aos pouco nos conhecendo. Acabei falando que sou solteira e ele falou que era divorciado, mas não tinha filhos.
 E sempre acabava nos encontrando a noite ou até mesmo pela manhã quando saiamos apressados.
Entre um cumprimento e outro eu me pegava pensando no meu vizinho negro, alto 1, 80 e uns 84 kg com braços fortes e coxas grossas, seu nome era Mário.
Ah esqueci-me de dizer que tenho tara por negros, principalmente os grandões. Nós mulheres adoramos ver um cacete grande, e isso nos excita. Quanto à grossura, sem palavras. Em minha opinião, quanto mais grosso melhor.
Esta semana tirei dois dias de folga e a tarde cuidava do jardim quando vejo meu vizinho que vinha chegando do trabalho.
Arrepiei estava usando farda do exercito.
Foi ai que soube que era tenente, Assim começou a minha tara por negros.
Ele usava calça mais ou menos colada e ficava aquele volumão no meio das pernas até parecia que já estava excitado.
 Ele chegou e veio até a frente de minha casa e ficamos conversando eu não conseguia desviar os olhos daquele volume delicioso de se ver.
 Eu não sou tarada, mas por eu olhar tanto o volume na calça ele percebeu e sorriu me deixando envergonhada.
 Por perceber meu interesse por ele, ele acabou me convidando a sair na sexta feira.
 E saímos nossa conversa foi agradável.
Falamos sobre política, sociedade, economia, eu já louquinha cheia de excitação.
 Foi quando ele me falou que já faziam seis meses que não arranjava uma namorada.
Eu ri e falei então estamos empatados Mário e caímos na risada. Isso já era algo de proveitoso para ambos.
Quando ele começou a desabafar que andava cheio das mulheres interesseiras.
Eu também desabafei falado que andava cheia de gatinhos correndo atrás de mim querendo uma patrocinadora de seus luxos. Foi uma conversa de desabafos comemos e bebemos e fomos embora.
Ele muito gentil e respeitoso.
Quando chegamos a casa o convidei pra entrar e tomar mais uma taça de vinho. Ele entrou.
 Sentou no sofá eu já estava ardendo de tesão.O vinho me causou um calor que meu corpo parecia em transe.
 A gente se olhava com tanto desejo que só faltava se agarrar.
Bebemos uma taça de vinho sentado um de frente para o outro, parecia que eu estava no cio.
 Eu tremia de excitação e nervosismo e ele ficava sem saber o que fazer.
Até que ele pediu para ir até ao banheiro.
Quando levantou não pode esconder o volume maior do cacete duro na calça que parecia que o volumão ia saltar pra fora, estava excitado.
 Ele foi ao banheiro entrou ficando de lado tirou aquela tora negra imensa e começou a mijar com a porta aberta.
 Não resisti e fiquei olhando do corredor e fiquei babando de tesão vendo aquele negão com aquele cacetão mijando, ele sabia  que eu estava olhando e fingiu que não via.
Acabou de mijar...Saiu do banheiro e olhando para mim perguntou:
 “Você gostou do que viu”?
- Eu respondi “Eu adorei...”.
 Ele se aproximou um pouco mais de mim segurando o cacete com uma das mãos dentro da calça e falou: “Quero eu te dou”?
 Eu não pensei duas vezes, me ajoelhei aos pés dele e abocanhei aquela jejuna preta deliciosa e mamei loucamente igual uma puta no cio.
 O negão gemia se contorcendo de tesão.
 Eu engolia o cacete todo chegando quase até a garganta e ele falava:
 “Isso”... Safaaadaaa!
 Mama seu negão bem gostoso minha putinha.
Gosta de cacete preto é?
 Eu respondi Adoro... Parei de mamar e puxei-o pelo braço para  meu quarto e já fomos direto para minha cama.
Tiramos nossas roupas.
O negão quando me viu toda peladinha ficou mais louco de tesão.
O cacetão dele latejava. Estava tão duro que apontava pra cima,uma bela visão.
Ele me pegou por trás esfregando o cacetão preto na minha bunda branquinha e lisinha e eu deitei de costas na cama.
 Levantei bem os joelhos deixando flexionado de uma forma que a xoxota já ficava aberta e ele caiu de boca na xoxotinha que já estava depiladinha e meladinha.
 Ele metia a língua, chupava e mordiscava meu grelo e eu ficava rebolando na cara dele.
Ele dizia sacanagem tipo: “Que Putinha safadinha
Quero seu mel delicioso...
Depois de um bom tempo arqueou seu corpo para trás colocou uma camisinha que quase não cobria o cacete negro e grosso e direcionou seu porrete para entradinha dos lábios vaginais, eu chegava sentir seu cacete latejar e com intensa volúpia colocou meus pés em seus ombros e começou a meter seu membro latejando de tesão. Me senti dividida também fazia seis meses que não dava um trepada fui a loucura sentindo-me preenchida e dilacerada pelo imenso membro negro do meu vizinho gostoso e safado.
Começou a empurrar o cabeção do cacete quando eu pedi que fosse devagar
“Não vou te machucar gata”!
Ele afirmou que assim como eu estava na seca, mas teria cuidado. Meu tesão era tanto que nem pensei em mais nada.
 Passei a rebolarem um ritmo cadenciado estava louca pra ser comida mesmo. Eu tremia de tesão e meu corpo em frenesi ansioso para saborear de cada momento enquanto seria penetrada.
 Ele foi empurrando e eu rebolando. O pau era tão grande e grosso que parecia que tava me rasgando ao meio. Eu gemia e rebolava sentindo que a cada minuto entrava mais um pouco de seu cacete até chegar até o talo.
 Ele falava. Minha putinha safadinha gostosa. Está gostando do negão?
 E eu gemendo dizia que sim. Depois com um movimento ele segurou firme na minha cintura me pegando no colo começou a socar o cacete de baixo pra cima que entrava  tão fundo e forte que eu queria gritar de  tesão , mas só gemia  baixinho com receio que os  vizinhos pudessem ouvir
O negão era demais me fudia loucamente, dando rápidas e fortes estocadas que meu corpo subia e descia ,depois eu fiquei olhando no espelho na outra parede lateral a jegona preta entrando e sumindo dentro da minha xoxota. Naquele momento estava realizando meu sonho de ser fudida loucamente por um negão bem dotado...Ele enterrava aquela vara sem dó nem piedade .
Eu o apertava beijando seus lábios teve um momento que socou com tanto vigor que cheguei a morder seu lábio superior ele soltou um grunhido como um animal no cio estocou sucessivas vezes falando muita sacanagem: Vou te arrombar safada vou tirar meu atraso te comendo todos os dias. depois segurou-me pelas ancas sem parar  de socar, eu urrava de tesão,depois prendeu minhas pernas em sua cintura tirou o cacetão e me mostrou dizendo olha safada como eu  estou cheio de tesão eu vou... Eu vou gozar.
Ele atochou de novo o cace tão já inchado e melado de tesão e com destocadas bem fortes, começou a estremecer seu corpo soltando jatos e mais jatos de esperma.
  Logo quando eu menos esperava eu também gozei... Ele me abraçou dizendo que logo faríamos tudo de novo.
Senti vários jatos de porra quente escorrendo da. Xoxota e exclamei :
Êta porra! Foi quando ele falou nem a camisinha suportou a gozada  nós acabamos de dá risadas.
Logo Mário tirou o cacete  meia bamba e sentou na cama em uma posição que a cabeçorra ficava encostada no meu buraquinho...
Aí gemi prevendo o que estava por vir. Depois tomamos um banho e fiz um boquete delicioso...
 Meio complicado devido ao tamanho e espessura, mas conseguir deixa-lo bem animado para o próximo round.
Foi ai que ele me disse que queria me fuder de quatro(4).E assim aconteceu ficou de joelho atrás de mim e socou a vara sem dó nem piedade até encher meu rabo de porra  novamente...Foi bom sem deixar de falar que doeu um ouço ficando com algumas pregas dilatadas,mas que o prazer foi intenso.Isto foi  sim.
Nesta noite foram quatro cinco gozadas e durante vários meses o meu vizinho negão sempre  estava a me esperar e a noite era uma farra só ou na minha casa ou na dele  quando era nos finais de semana ficávamos o tempo todo juntos...
Mas o destino mudou nossos rumos ele foi transferido para Manaus e tudo voltou a mesma rotina de sempre.
Até que semana passada mudou outra pessoa para casa ao lado...
Bem já conheci o coroa viúvo se rolar aventura eu volto pra contar...
Mas que Mário meu negro cacetudo deixou saudades eu não posso negar...
Ahhh... Que pena.



Docecomomel (hgata)
Feira de Santana,Bahia Brasil
08 de abril de 2014
 13º de 2014.
Meu blogs
http://desejosdeinsanos.blogspot.com.br/
Imagem do google

domingo, 6 de abril de 2014

Amigos...E amantes







Bom pra começar este conto eu vou dizer como é o homem que eu me interessei, mesmo sendo casada e com um filho já rapaz.
 Meu filho Marcos estuda em uma faculdade e sempre trás amigos até nossa casa. Eu sou Marina sou casada tenho 41 anos meu marido trabalha de motorista carreteiro e fica até 3 semanas fora de casa,rodando por todo Brasil.
Meu primeiro filho Marcos é um moreno alto muito bonito tem corpo malhado.
Ele estudava e frequentava academia, e algumas vezes no retorno da faculdade antes de ir para sua aula de musculação. Ele passava em casa  com um amigo seu...Ricardo que também frequentava mesma  academia.Eu achava Ricardo muito bonito sempre tive uma queda por morenos,ele era alto com jeito simples e um sorriso de partir corações.Criamos um laço de amizade e Ricardo passou a frequentar nossa casa assiduamente.Dormia e almoçava em minha casa.Mesmo Marcos não estando ele chegava lá e se acomodava no quarto de Marcos para estudar.Sempre eu ia até o quarto para levar um suco  ou um sanduiche natural que  os meninos adoravam.Algumas semanas se passaram e Ricardo estava em nossa casa sem o Marcos ai fui levar um suco bati na porta não obtive resposta adentrei sem me preocupar com nada.Fiquei surpresa quando avistei Ricardo no meio do quarto sem roupas apenas enrolado em uma toalha que mostrava seu corpo quase todo.Senti uma leve excitação,observando seu corpo bonito sem pelos no tronco, coxas grossas e braços másculos.Tudo que toda mulher almeja.Meus olhos cintilavam de tesão,foi quando eu pedi desculpas pela invasão. Ricardo sorriu e disse quem teria que pedir desculpas era ele por está quase nu sem a porta do quarto está fechada, depois rimos ao mesmo tempo. Pois parecíamos dois bobos um querendo pedir desculpas ao outro mas notava-se um clima no ar.E foi eu que me adiantei falando ,aceito as desculpas Ricardo mas desde já te peço  que evite outras vezes,pois bem sabes que fico muito tempo só, sendo normal como toda mulher tenho minhas carências apesar da minha idade.
Surpreso Ricardo repetiu apesar da idade, não entendi esta Marina, eu ri respondendo claro Ricardo que quando chegamos a uma idade as coisas mudam.
Mas você falando assim parece que se acha uma idosa, isto você não é. Idosa não,mas sei que a idade já demonstra em meu corpo.Afirmei com insegurança total na voz.
Que bobagem você é muito jovem. eu mesmo a acho muito gata.
Ah Ricardo não diga asneiras eu já com meus 41 anos sinto-me cansada e incapaz de despertar algum interesse de outro homem que não seja meu marido.
-Não diga assim Marina eu digo e afirmo você é muito bonita e se não fosse casada e mãe de meu melhor amigo não pensaria duas vezes em te paquerar.
Fiquei rubra de vergonha, mas ao mesmo tempo eu me sentia feliz por ouvir palavras que enaltece a libido. E sem pensar o que poderia ocorrer abracei Ricardo e com intensa paixão nossos corpos se entrelaçaram em um abraço terno e cheio de volúpia.Ricardo fechou a porta e ali na cama de solteiro começamos  a tirar nossas roupas.Agora vejo que foi  uma loucura o que fiz,mas uma deliciosa e contagiante loucura.
E aos poucos os carinhos foram se intensificando e em minutos estávamos em um sessenta e nove maravilhoso. Sentir seu cacete rígido na minha boca foi algo tão bom que até parecia que eu era alguma ninfetinha sem experiência.
Ricardo brincava com sua língua em meu clitóris e em segundos gozei, foi o gozo mais sensacional que já tinha experimentado na minha vida. Sentia como se meu corpo estivesse em outro plano.As emoções e sensações foram aquém do que sempre consegui com  meu marido.
Sentir aquele rapaz jovem no auge de sua juventude despertar com tamanha intensidade meus desejos que estavam adormecidos foi bom demais.
E quando Ricardo me colocou de quatro (4) com minha bunda arrebitada, sempre apalpando meus seios e com maestria começou a forçar seu cacete na minha xoxota que estava lisinha e meladinha fui à loucura dando gemidos que até pareciam urros de um animal ferido. Foi com  a intensidade de movimentos entre um vai e vem um beijo,um carinho eu me sentia desejada e amada.
E assim provei com intensa alegria e satisfação de uma relação extraconjugal, e ainda mais com um jovem amigo de meu filho.
Era surreal, mas muito boas sensações eu senti. E quando Ricardo falou-me que fazia tempos que me desejava foi ali partir daquele momento em diante que me vi renascer nos braços de um macho super gostoso.
Nossa relação perante os outros é de amizade e carinho, mas entre os quatros paredes somos dois amantes com muita sede de sexo e prazer. Desse dia em diante nunca mais deixamos de transar.Não importa a idade nem minha condição de casada o que importa  é que somos um para o outro.E nunca em minha vida meu marido conseguiu me fazer gozar como  o Ricardo.
Podem criticar me chamarem de safada, não me importo o que conta são os prazeres que sinto com meu amante.

Docecomomel(hgata)
Feira de Santana ,06 de abril de 2014.
Bahia Brasil.
12º /2014

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Aventura com minha vizinha do condomínio...






Olá.
Eu sou o Marcos tenho 32 anos sou separado e moro sozinho em um condomínio.
Eu trabalho na indústria e minha escala de trabalho é diversificada, algumas vezes trabalho à noite e outras no turno durante dia.
Por isto meu organismo algumas vezes me causa disfunção e fico noites sem dormir.
Procuro fazer caminhadas dentro do condomínio. E estas caminhadas já me proporcionaram momentos  inesquecíveis,tais como ver porteiro comendo alguma babá,ou alguma casada sendo visitada por um vizinho,ou mesmo transas na quadra de esporte.Isto me despertou e passei a ficar mais atento as aventuras que pudesse surgir.
Assim em uma noite de muito calor saí dá uma volta na quadra em que moro e com passos lentos fui observando as casas vizinhas a minha.
Poucos eu conhecia, sabe como é a vida moderna, cada qual cuidando de seus afazeres e a falta de tempo nos impulsiona a solidão. Quando retornava a minha casa passei próximo a uma casa e ouvi barulho.Parecia de choros.Parei  e logo de dentro da casa saiu uma mulher em trajes de dormir.
Seu corpo exuberante transbordava sensualidade. A mulher me olhou e sem constrangimento algum me abraçou eu fiquei estático  sem reação...Abracei perguntando o que houve que estava chorando,entre soluços ela respondeu-me que não tinha acontecido nada demais só que tinha acabado  o noivado pois descobriu que seu noivo a traia com outra em uma cidade próxima.
-Calmo foi à única palavra que consegui dizer, seu cheiro, o calor de seu corpo deixou-me em transe. E sem falar nada ela segurou minha mão e foi me guiando para sua casa.
Eu... É claro não opus resistência, mas fui entrando pensando em ter uma aventura, afinal tinha certeza que em sua cabeça queria se vingar de seu ex-noivo.
Entramos ela fechou a porta e ali na sala começamos a nos agarrar, ela parecia uma pantera selvagem, mas com meus carinhos foi se entregando e em minutos ambos já sem roupas fomos até seu quarto.•.
Claro que eu já sabia seu nome Clara morava sozinha, estava noiva se preparando para casar, mas soube da traição tinha despachado o otário, porque a mulher parecia um Boeing, seios durinhos e arrebitado, sua bunda tesuda.
Fiquei louco de tesão quando fomos para o banheiro, eu em instantes estava no Box recebendo um boquete e, diga-se de passagem, o melhor e mais gostoso boquete que tinha lembrança em minha mente.
E afirmo que já transei com tantas mulheres de todos os tipos e raças, que no momento meus sentidos só poderiam endeusar aquela sedutora mulher.
Sentir sua boca me chupando, foi algo maravilhoso, não sou bem dotado meu diferencial está na espessura, meu cacete grosso, cabeçudo e meu doce e safadinha Clara degustava com maestria.
Após varias chupadas eu comecei a gozar até pensei que a safadinha ia tirar da boca, mas enganei-me ela sorveu meu leitinho todo. Aproveitei cada segundo e logo abaixei-me e foi minha vez de começar a chupar sua xoxota que estava toda molhada de tesão, dei  varias linguadas e mordiscando seu grelo em instantes ela gozou .
 Entramos em êxtase e meu cacete parecia nunca ia amolecer, acabamos o banho e fomos para cama.
A safadinha já subiu na cama ficando de quatro eu fui inchando, meu cacete entre sua bunda, melava com meu pré-gozo e ela só gemendo, mas eu precisava me controlar e fui aos poucos a abrindo deixando seu anel exposto, e com lambidas fiz a safada gemer e implorar que fosse comida, mas... Com força.
Adoro sodomizar a parceira desta vez não fiz por menos  à fiz implorar para que a fodesse gostoso, coloquei camisinha e com tapas na bunda, de leve é claro o carinho é fundamental e fui aos poucos deixando mais desejosa de ser comida, as mãos tratavam com carinho, revezando entre o grelo e o anel.
Quando comecei a forçar meu cacete em sua xoxota dedava seu anel que chegava apertar meu dedo, mordiscando... Mas a noite era grande tinha tempo para tudo e aos poucos ia estocando sentindo sua xoxota meladinha  e assim fiquei  metendo na xoxota gostosa em ritmo compassado ouvindo seu pedidos para que a comesse com força,seus gemidos eram altos teve momentos que pensei que ia desmaiar de tanto tesão que safada sentia.
Era momentos maravilhosos ver meu cacete todo atochado em sua xoxota, ficamos assim por mais ou menos meia hora ate sentir seu gozo... Estoquei com maior ritmo sentir seu corpo tremular e aos  poucos vi minha safadinha se acalmar...
Falei a seu ouvido... Agora putinha é minha vez...Veja como meu cacete está latejando em sua xoxota aguenta  ai que agora você vai provar seu macho gozando dentro de você...Como se fosse uma gata ronronando ela respondeu...
-É o que quero é sentir seu gozo. Lentamente retirei meu cacete de sua xoxota melecada de seu gozo e comecei a forçar em seu rabo ...Ela gemeu ai delicia.
Relaxa amor que terei cuidado com minha princesa e entre palavras suaves fui forçando até a cabeçorra romper ela gemeu forçou sair de baixo a segurei com carinho e fui aos poucos forçando... Metia um pouco e parava ate que ela colocou a mão para trás tateando e falou... Uau que gostoso já está todo dentro!
Pronto amor sou sua potranca pode galopar a vontade... Comecei uma sequencia de estocadas,puxava pela sua cintura,ora pelos seus cabelos e seus gemidos me atiçavam mais não aguentei nem dez(10) minutos já comecei a gozar.Ficamos atracados por alguns instantes,e entre beijos e carinhos íamos conversando.Nosso encontro inesperado nos rendeu uma noite de muito prazer.

Fomos tomar banho e antes de nos despedirmos ficou acertado que ligaria para outro dia um novo encontro que seria em minha casa ou se ela desejasse em um motel onde realizaremos todas as nossas fantasias.
Assim ocorreram mais dois encontros que foram momentos de muito prazer e êxtase... Mas o corno  de seu ex-noivo deu uma de arrependido começou a cortejá-la e eu acabei sendo o amante dela até que se casaram e mudaram de cidade.Coisa que foi uma pena...Mas valeu os bons momentos,disto tivemos certeza.

Docecomomel (hgata)
Feira de Santana, 02 de abril de 2014.
Bahia Brasil.
11/2014
Imagem do google

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...