Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

De donzelo a garanhão.



Eu chupei minha primeira xoxota quando ainda era adolescente, mais foi uma experiência muito boa. Depois que comecei a transar com a empregada da casa de meus pais eu não queria parar mais de trepar. Não dispensava nem minhas primas que vinham ficarem dias em nossa casa.

Primeiro as olhavam tomando banho depois batia muita punheta na intenção delas. Quando estávamos no quarto todos deitados pelo chão assistindo algum filme eu procurava sempre enconxar alguma delas. Se me empurrava eu fingia que foi sem querer e se nada diziam investia firme e com toda certeza.

Tínhamos uma foda rápida nem que fosse só nas coxas. Eu queria mesmo era gozar. Adolescentes são safados por natureza e eu não fugia a regra. Mas o que mais me deixava maluco era as empregadas. Cada uma mais gostosa que a outra e muito safadas. Podiam sem casadas, bonitas ou feias, eu queria mesmo era fuder gostoso.

Minha vida sexual sempre ativa, não era nada forçada, sou contra sexo forçado eu complementava a carência que seus maridos companheiros a deixava em falta, sem carinho e sexo.

Não tinha exceção todas sempre se queixavam que seus machos preferiam ficar em barzinhos com amigos enquanto elas, cansadas de trabalhar o dia todo fora, faziam a dupla jornada em casa.

A que mais tempo eu fiquei foi Mariana. Negra alta de dentes alvos e sorriso cativante, era casada mas ela mesmo dizia o marido é um pé de cana. Minha mãe duas vezes na semana passava à tarde na casa de minha avó.

Eu esperava ansioso para que ela saísse para ficar com Mariana. Logo cedo lavava garagem molhava as plantas para que Mariana terminasse o serviço logo e pudesse ficar comigo. Pois bem nem bem minha mãe saia eu já ia tomar banho e saia enrolado na toalha procurando por Mariana que fogosa e carente já me esperava cheirosa sem nada por baixo do seu vestido.

Eu abraçava por trás cheirando seu pescoço, alisando sua bunda apalpava seus peitos, ela gemia ronronava igual uma gata, mais fingia que não queria e me dizia. Deixa de fogo menino Marcos, me respeite. Eu todo manhoso com cacete duro falava em seu ouvido:

- Não quer Mariana? Então já vou bater punheta!

-Calma moço assanhado! Eu disse que me respeitasse não disse que não queria! Já estou tomada banho pra vadiar, olhe como estou lambuzada!

Eu me abaixava enfiava minha cabeça por baixo de seu vestido e chupava-a ali mesmo, em pé na pia terminando seu serviço.

A safada abria as pernas e me deixava um bom tempo chupando sua xoxota meladinha cheia de tesão. Logo recebia seu precioso mel entre meus lábios. Uma delícia saborear sua seiva adocicada e abundante.

Fartava-me até sentir seu corpo estremecer de gozo. Vendo ela saciada com seu intenso orgasmo, me levanto e suspendo seu vestido. Apalpo de leve sua bunda, afasto suas pernas e ela inclinando-se sobre a pia ficava a minha espera.

O local a hora a situação inusitada dava mais adrenalina. Me afundo em suas carnes macias e vou metendo pouco a pouco até sentir meu cacete todo dentro de sua xoxota lisinha e lambuzada de seu mel e misturada a minha saliva.

Marina solta um gemido rouco chamando pelo meu nome:

- Ah menino Marcos como você é safado! –

- Não queres Mariana, que seja safados com você?

-Quero sim quero sempre você ao meu lado!

E sem dizer mais nada, começo a forçar mais e mais estocadas fortes onde se ouvia o som de nossos corpos em choque. Mariana geme, rebola, grita, pedindo que enchesse de leite seu corpo.

Eu com minha sede de sexo forço cada vez mais até explodir em um gozo intenso. Ficamos atracados por alguns momentos até que Mariana se afasta e coloca papel toalha e vai se banhar. Eu sigo-a até o banheiro de suas dependências onde tem seu quarto e espero ela sair do banho e vou fazer o mesmo.

Mariana me espera sentada na cama, saio pelado fico em pé a sua frente, ela segura em meu cacete e começa a me pagar um boquete. A mulher que mais me deu prazer me chupando foi Mariana, pois enfiava meu cacete todo em sua garganta deixando só os culhões de fora.

Logo estava super teso. |Mas ela não queria beber meu leite queria que a fodesse. Entregou-me uma camisinhas nas mãos e um creme umedecedor. Não precisa dizer mais nada não é? Queria anal e foi para cima de sua cama e ficou de quatro. Eu fiquei de joelhos atrás de suas ancas tesudas.

Lambuzei seu rabo enchi a cabeça do meu cacete do creme que ela tinha me dado e começava a forçar. Ela gemia, eu pedia que relaxasse logo em poucos minutos estava com meu cacete todo atochado em seu rabo segurando eu seu quadril.

Empurrava até sentir suas pregas latejando e sem parar comecei movimento de vai e vem sempre empurrando seus ombros para baixo para que a cada estocada pudesse sentir suas ancas escancaradas com meu cacete dentro.

Tirava o cacete quase todo de dentro deixando só a cabeça e recomeçava a socar até a sentir estremecer e gozar deixando meus dedos lambuzados.

Aí eu já enlouquecido de tesão dava amais algumas estocadas e começava a gozar sentido suas pregas latejando apertando meu cacete. Antes de acabar meu gozo, tirava meu membro jogava camisinha fora e acabava de gozar em cima de sua bunda.

Mariana sentia meu leite quente e sorria dizendo:

- Menino Marcos parece um garanhão goza que é uma beleza...

E ainda sorrindo falava:

-Ah se meu velho fizesse como você menino Marcos! Seria uma mulher feliz!

Sentava na cama e lambia meu cacete deixando limpinho e pronto para a segunda sessão de sexo. Era imprescindível que logo ela seria premiada com uma boa leitada na garganta.

Assim fiquei por mais de um ano. Tinha minhas horas de sexo com Mariana. Foi bom enquanto durou, até que ela pediu para sair do trabalho. Como eu estava com uma namorada no colégio nem cogitei o motivo de sua saída.

Mas foi minha professora de atividade sexual e até hoje me lembro das nossas safadezas.

Docecomomel
Feira de Santana 31 de dezembro de 2015
Bahia Brasil

sábado, 19 de dezembro de 2015

Comendo minha prima safada






Olá eu sou o Marcos e neste último final de semana fui passear com meus tios na praia. Meus pais não foram, então eu fui com meu primo Eduardo, sua irmã Luiza e seus pais. Como minha tia anda um pouco adoentada, ela me pediu que fosse dirigindo para eles. Como não tinha programa algum para o final de semana eu fui. 

Porém minha namorada não pode ir, pois teria visitas de parentes em sua casa. Claro que ficar final de semana sem a namorada é ruim, ainda mais que já tinha quase uma semana sem foder, já que ela estava menstruada. É fogo isto, mas sabia que quando voltasse tirava os atrasados. Meu primo é mais novo que eu e é um cara muito legal. Já saímos juntos para festas.

Minha prima que é um pouco metida, mas de boa! não procuro intimidade apesar de achar que ela é muito gostosa, sei que é bem safadinha, pois é uma loirinha novinha de seios médios e uma bunda deliciosa.

Chegamos à sexta feira já quase de noite O trânsito congestionado. Arrumamos nossa bagagem e fomos para orla comer um camarão. Meus tios logo quiseram voltar para casa. Foram andando mesmo, pois é perto. Ficamos na orla eu e meus dois primos.

Eduardo encontrou dois amigos e foi passear com eles pela orla, então ficamos eu e Luiza. Tomei uma cerveja e falei para Luiza que já estava querendo ir embora, pois estava com sono. Ela pediu que esperasse um pouco. Fiquei de boa só observando o pessoal passeando na orla.

Logo Luiza disse que queria ir embora, pois ia ver um filme. Eu e ela viemos assim que guardei o carro na garagem e Luiza falou:

- Marcos você não quer vim ver o filme comigo?

Eu disse que sim, mas eu não sabia que o tal filme seria no quarto dela no DVD. Assim fomos ver o tal filme. Luiza colocou filme, botou um colchonete no chão, fez pipoca de micro-ondas e veio assistir ao filme. Ambos sentados no colchonete.

Eu também fiquei ao lado dela. Depois de um tempo eu deitei vendo o filme que tinha algumas cenas picantes. Fui ficando com tesão, mas procurei disfarçar de minha prima Luiza. Ela percebeu que eu estava excitado e começou a me provocar.

-Marcos quando você vê algumas cenas em filmes você fica com tesão?

-Fico sim Luiza é normal todos ficam e você não fica?

-Fico sim Marcos e sempre eu bato uma siririca depois do filme antes de dormi.

-Ah é?

-Sim Marcos mais hoje quero fazer algo diferente!

-Hum diferente como Luiza?

-Deixa de ser bobo Marcos você homem com tesão eu mulher com tesão é óbvio que podemos né... Você sabe?

-Mais Luiza somo primos!

-Bobagem Marcos somos normais, não há problema algum a não ser que você não sente tesão por mim.

-Claro que sinto Luiza eu fiquei hoje o tempo todo disfarçadamente olhando para você. E agora veja como eu já estou?! 

Eu já estava de cacete duro e fiz questão de mostrar o volume na bermuda para ela. Luiza olhou passou a língua pelos lábios, levantou-se foi fechar a porta na chave. Voltou, ficou ajoelhada na minha frente no colchonete e começou acariciar meu cacete me olhando com cara de safada. Eu comecei a alisar seus ombros e fiquei de joelhos na frente dela.

Logo estávamos nos beijando. Tirei a camisa e bermuda ela deixou que eu tirasse seu vestido. Luiza com cara de safada. Seus olhos cintilavam. Ambos no colchonete. Ela só de calcinha. Eu de cueca. Inclinei seu corpo fazendo com que sentasse e levantei deixando meu cacete bem perto de seu rosto.

Ela abaixou minha cueca e começou a me chupar loucamente, parecia que estava há muito tempo sedenta para chupar um cacete... Meu cacete tem dezenove centímetros, é um pouco grosso e com as veias dilatadas parece ser bem maior do que é realmente.

Minha namorada adora me pagar boquete e eu amo dar leitinho na boquinha dela. Assim que ela levantou eu a puxei a meu encontro me abaixei em sua frente coloquei uma de suas pernas sobre meu ombro e comecei a chupar aquela xoxotinha. Lisinha, meladinha.

Puxava seu clitóris entre meus lábios, sugando com muita vontade. Luiza gemia apertava suas coxas, prendendo-me dentre elas quase me sufocando. Estava uma delícia. Quando percebi seu corpo estremecer e em minutos minha boca encher de seu mel, sua seiva adocicada e abundante encheu minha boca.

Uma delícia! Quando ela com voz toda manhosa falou: 

-Agora primo ajoelhou tem que rezar! coma sua priminha, come estou louca pra receber seu cacete nas minhas carnes!

-Luiza nem precisa pedir isto é um desejo antigo meu. 

Levantei coloquei ela na cama de quatro e comecei a pincelar meu cacete babando de tesão na entrada de sua xoxota, deixava escapulir até roçar no seu anel que era lindo apertadinho, rosadinho e que piscava como se tivesse me convidando a uma visita.

Aí fui metendo aos poucos, meu cacete que entrou escorregando. Aí parei na metade dei um tapa na bunda dela e falei.

-Quer mais priminha safada?

-Quero todo me coma, me foda gostoso meu primo tesudo!

Aí amigos, comecei uma sucessão de estocadas, que fazia ela gritar gemendo como louca de tesão. Depois quando percebi que já estava perto de gozar tirei meu cacete de sua xoxota apertadinha e comecei a meter em seu rabo que estava piscando só bastou forçar um pouco que entrou macio. O tesão era tanto que com poucas estocadas enchi seu rabo gostoso de muito leite.


Luiza sentindo meu leite em seu rabo começou a rebolar mais, foi assim que ela gozou. Enquanto eu alisava seu clitóris em poucos minutos ela começou a gozar com meu cacete atochado em seu rabo.

-Ahhh! primo que foda gostosa!

Ficamos acoplados até meu cacete amolecer. Depois fui tomar um banho e voltamos a dar outra. Que foi tão boa quanto à primeira gozada. Luiza implorava enquanto eu a fodia.

-Bem assim "come minha xoxotinha priminho!" 

É claro que dá mais tesão ver uma safadinha implorando para ser fodida gostosamente. Meu cacete parecia de ferro de tanto tesão que eu sentia, então quando comecei a penetrar e a xoxotinha dela que era muito apertada, apesar de não ser virgem.

Ela começou a gemer muito alto que foi preciso tampar a boca dela. Posição de frango assado dava uma visão maravilhosa de seu corpo, branquinho com marquinha de biquíni, então quando entrou a cabeça e ela deu um gritinho de dor, parei um pouco aí ela começou e gemer pedindo cacete.

Sem dó tirei um pouco deixando só a cabeça dentro e comecei a estocar com mais força ela só gemia pedindo que não parasse. Ouvindo isto:

-Come sua priminha putinha safada! 

Eu só parei quando gozei fartamente em sua xotinha, que ficou toda esfolada de muito eu lhe foder. Eu não sou garanhão mais naquela noite gozei cinco vezes e fiz minha priminha gozar muito. O dia amanheceu eu levantei de olheiras quando meu primo zoando comigo falou que eu estava um trapo sorrindo sem graça. Disse que o calor estava demais que não conseguir dormir.

Tomei café sem ver Luiza só a vi na hora do almoço e pude perceber como ela é safada quando me cumprimentou em meu ouvido falou:

- Primo hoje teremos repeteco viu?

É claro que a ver linda e pensar na foda gostosa que tivemos durante a noite só fez meu cacete ficar teso.

Foi um final de semana muito bom. Eu jamais havia trepado tanto como naqueles dias na praia. E quando terminou o final de semana voltamos ao dia a dia da correria da cidade, mas sempre que podemos vou ao encontro de minha prima e passamos horas no motel saciando nossos instintos.

Não terminei meu namoro nem tão pouco ela acabou seu noivado nossa relação é simplesmente sexo e muito sexo só tinha medo da safada engravidar porque não deixava que usasse preservativo.
Um risco que corri que aconselho a ninguém fazer o mesmo. As doenças sempre andam a solta, mais como sempre me preveni abri esta exceção com minha priminha safada muito gostosa e boa de cama.

Fizemos todas as posições possíveis e imagináveis. Eu digo com sinceridade que há momentos que sinto vontade de ficar com ela para sempre, mas ela não quer. Ela gosta dos privilégios que seu noivo bom de grana lhe proporciona com presentes e passeios, mais sei que é comigo que ela fica satisfeita e feliz como mulher.

DocecomoMel
Feira de Santana:
19/12/2015.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...