Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

terça-feira, 31 de março de 2015

Para ser corno tem que ser manso!







Depois de muita conversa finalmente meu marido me convenceu que lhe desse de presente de casamento um par de chifres, falei bem claro a ele que seria primeira e única vez.
Sei que o amo e tenho medo que isto atrapalhe nosso casamento.
Mas quem ama cuida e cede aos caprichos do seu amado e foi assim que aconteceu comigo.
Em uma quinta-feira dia ensolarado e quente partimos para o litoral.
Meu marido e eu juntamente com um colega de trabalho.
Meu marido é chefe de área de uma grande rede de postos de gasolina tem muito contato com todos os frentistas.
E com clientes ele fica apenas observando o bom atendimento dos funcionários com os clientes.
Portanto ele sabe direitinho quem é bom funcionário ou não.
Este seu colega é Alfredo é um dos frentistas mais antigos da rede.
E alto com mais de 1,85com 90 kg tem cabelos cortados estilo exercito e um sorriso franco e aberto. E negro meu marido sabe que tenho maior tara por negros.
Meu marido já tinha feito todo esquema da viagem só que eu não sabia de todos os detalhes.
Iríamos ficar em uma pousada em um quarto de casal e seu colega em um quarto de solteiro.
Tudo conforme ele mesmo reservou.
Alfredo ia ao banco de trás.
Eles conversavam muito eu me sentia um peixe fora d’água, pois assuntos que rolava eram sobre carros.
Assim nossa viagem transcorria tranquilamente, a distancia era pouco mais de 100 km, meu marido gostava de dirigir.
Chegamos até a pousada e tivemos um contra tempo, que foi sanado parcialmente sem causar transtorno por enquanto.
Fiquei incomodada de ter que dividir meu espaço com o Alfredo afinal a reserva foi feita para um casal.
Poxa querida podemos neste final de semana realizar minha fantasia que você sabe qual é?
-Mas Marcos depois Alfredo vai abre a boca como é que vamos ficar perante seus subordinados no trabalho?
-Abre não amor ele vai gostar tanto de ter relações sexuais com mulher do chefe dele que vai ficar caladinhos para não perder a vez para os outros que com certeza devem morrer de inveja e de vontade de trepar com a mulher do chefe deles.
-Ah ah ah você me tem cada idéia em Marcos! E isto mesmo eu já fui empregado e sonhava com a mulher do dono da padaria amor, você bem sabe que é assim que funcionam as coisas.
Está bom Marcos, mas vou é responsável por tudo viu, claro amor estou louco de vontade de ver você gemendo com outro cacete.
-Sem dizer mais nada eu sai fui tomar banho,quando sai do banheiro e entrei no quarto meu marido não estava,quem estava era Alfredo tomando uma cerveja.
-Olhou para mim e levou o copo a boca. Eu é claro não estava ciente do que poderia acontecer,mas assim que fui até a cama peguei o controle e ia ligando a TV ele falou.
-Bem deixa dizer uma coisa seu marido saiu volta logo, mas para facilitar as coisas ele conversou umas coisas comigo. -Só quero saber se concorda?
-Eu respondi depende do que ele falou com você.
-Me deixaeu dizer logo, pois não gosto de começar e parar de fazer nada, ele simplesmente disse que você concorda em transar comigo, apenas para satisfazer o desejo dele em te ver com outro.
-Eu não esperei ele terminar de falar disse bem assim. Alfredo não é só ele que tem este desejo eu casei nova e só tive ele como homem é claro que tenho o mesmo desejo dele de poder experimentar uma aventura extra conjugal.
-Hum então estamos em comum acordo ele falou.
-Sim claro a não ser que você não sinta atração por mim!
-Está maluca, eu tenho tanto tesão por você Marcela que ainda não te cantei por consideração a teu marido, poxa quanto tempo perdido, quantas punhetas em sua intenção eu já bati que perdi a conta. E sem dizer mais nada abraçou-me com força e em poucos minutos começou a me beijar.Eu me entreguei  a seus  carinhos Alfredo começou alisando meus braços logo minha roupa foi sendo tirada,ainda bem que estava com um vestido leve,ele tirou camisa,depois a bermuda ficando de cuecas.Ficamos em pé no meio do quarto, foi assim que meu marido chegou e nos viu.Não demonstrou ciúmes algum apenas falou façam de conta que não estou aqui...Continuem.
Alfredo não se intimidou caiu de boca em meus seios, chupando-os com delicadeza, mordiscava fazendo com que eu soltasse gemidos roucos. Adoro  isto.Quando Alfredo me pegou  no colo levando até a cama fui ao delírio,ele com delicadeza me deitou  ficou de joelhos entre minhas pernas  na cama, abriu minhas pernas com destreza e caiu de boca.Fui ao delírio  em segundos depois de sentir sua língua morna lambendo minha xoxota,percorrendo por toda extensão chegando até o cu.
Foram minutos de gemidos e êxtase. Até eu não conseguir segurar mais e gozar em sua boca.Aí que ele me chupava mais ainda,chegava a ouvir seus lábios estalar brincando com  meus  grande lábios vaginais.
Caracas que tesão eu sentia,quando Alfredo me sai de dentro das minhas coxas eu já exausta do meu gozo ele me colocar seu cacete,duro grosso e grande junto a minha boca para eu poder chupar. Foi um prazer imensurável deliciar-me com seu cacete.Parecia um porrete.Cabeça larga com as veias dilatadas.
Eu nem me dei conta do que estava fazendo, cai de boca com muita vontade nem me dei ao luxo de olhar se meu marido consentiria ou não. Se ele queria uma mulher vadia pois teria ,eu só podia  mesmo era aproveitar o momento.
Assim fiquei por vários minutos saboreando o cacete de Alfredo que por mais de uma vez tirou da minha boca para poder prolongar o gozo, foi um delírio só.
Quando Alfredo deitou na cama e me puxou para que sentasse em seu cacete eu adorei em minutos comecei a cavalgar. Assim foi que vi meu marido sentado se masturbando tendo a  visão mais que  privilegiada, vendo sua mulher em galope desenfreado com seu amigo.Alfredo por ser bem mais alto que eu e forte fazia com que aquele cacete entrasse e saísse com desenvoltura chegando a sumir todo  dentro de mim.
Assim ficamos por uns 10 minutos, ate que novamente eu gozei gostoso.
Logo depois Alfredo me colocou de quatro atravessada na cama, para que desse para meu marido ver o entre e sai do seu cacete em minha xoxota.
E sem dó nem piedade ele mandou ver,metia com força,me dava tavas na bunda,enfiava até o talo logo depois tirava deixando só cabeçorra dentro e em segundos metia novamente e acelerava com força sem dó e piedade...Fazendo com que eu gemesse pedindo mais e mais.Quando já no meu terceiro orgasmo Alfredo falou agora é minha vez,vadia cachorra goza quer cacete quer tu vai ter.E afastou um pouco deu uma lambida na minha xoxota lambuzada do meu mel,depois foi no meu anel deu uma lambida suave deixando todo lambuzado,afastou um pouco soltou um pouco mais de saliva deixando tudo meladinho.Parece que estava doido para comer meu rabo.
Eu gemia e rebolava em sua cara quando ele se afastou segurou o cacete encostou-se ao meu anel eu nem percebi sua real intenção. E forçou de vez,senti uma ardência,latente sentindo minhas pregas serem dilaceradas ate que se quietou.Pude perceber seu cacete todo dentro latejando ardendo como brasa.
E falou pronto amorzinho agora vamos acabar com a farra.
Estanquei as lagrimas, pois estava doendo ele era grande comparado o meu marido.
Ouvi-oele falar bem assim.
Marcos olha como tua puta rebola no cacete do macho dela, olha tu queria ver ela assim corno manso tem que sentir prazer junto com a mulher puta.
Ouve como ela geme com cacete enterrado ouve... E... Goza... Corno manso safado.
E sem ouvir mais na da recomecei a rebolar com as estocadas fortes de Alfredo que parecia um touro reprodutor metendo sem parar até explodir em um gozo insano.
Senti suas mãos fortes agarrarem em minha bunda como se fossem duas garras afiadas. Finalmente ele encheu a camisinha de porra.Esperou alguns segundos saiu de dentro de mim e foi ao banheiro.Eu estava naquele momento em transe meia viva morte ao longe ouvis sussurros de vozes,que pouco conseguir decifrar.Logo meu marido se aproxima me beija e com voz embargada de tesão fala.Marcela te amo mais do que nunca.
Eu também Marcos te amo.
E sem dizer mais nada ele se aproxima abre minhas pernas ver como estou com xoxota toda assada sem falar do rabo dilacerado e sem falar mais nada começou a lamber igual animalzinho lambe a cria recém nascida.
Só ouvia sua respiração ofegante.
Quando Alfredo sai do banho vendo a cena fala, assim corno bonzinho tem que fazer assim mesmo lamber limpar para mais tarde o macho novamente recomeçar.
E claro que nem precisa dizer que o restante do final de semana foi todo assim, Alfredo comia e Marcos lambia.
Para que melhor presente de aniversário de casamento do que este? Vocês não acham?

Docecomomel
30 de março de 2015
Feira de Santana Bahia Brasil
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/?zx=838258eac1d9addf

terça-feira, 24 de março de 2015

Traí antes do meu casamento:






Traí meu noivo antes do nosso casamento, com um bem dotado e fiz dele meu amante permanente
Olá eu sou Diana tenho 28 anos sou noiva do Carlos estamos pretendendo nos casar agora no final do ano. Sempre transamos Carlos é um homem maravilhoso carinhoso gentil, me proporciona muito prazer.

Foi meu único homem até agora, ou seja, até o momento que comecei a relatar este fato que ocorreu em minha vida.

Só que como a maioria das mulheres sempre fala de cacetes enormes e grossos, eu desejava ainda experimentar um assim, um bem dotado porque meu noivo tem o cacete pequeno, mas sabe transar que é uma beleza. Me deixa saciada, pois me provoca altos orgasmos, mas como as minhas colegas de trabalho na repartição falam tanto de negros e bem dotados eu tenho este fetiche de ainda poder trepar com um bem dotado.

Não sei como fazer, para saciar esta ânsia que sinto, só basta eu está em algum lugar público e ver um homem bonito tenho intenso desejo, chego a ficar excitada imaginando em detalhes como é o desempenho de algum homem que sinto atração. Depois de ficarem alguns dias pensando, eu decidir que teria que realizar tal proeza e logo, pois faltavam poucos meses para o meu casamento.

O que a mulher decide em fazer não tem cristão que tire da cabeça. Então se for para fazer tem que ser antes do casamento afinal a traição seria mais suave.

Eu confesso que gosto muito do meu noivo, toda vez que a gente se encontra a gente transa muito gostoso, ele tem o cacete pequeno, mas é muito fogoso me deixa saciada, mas vocês bem sabem como são as conversas de colegas.

Só mesmo para despertar o desejo de traí-lo conhecendo outros homens.

-Ai na semana passada eu fui até a casa de minha irmã que mora em um bairro distante do meu, chegando lá encontrei seu cunhado, que é meu amigo de muito tempo.

Ate já namoramos certa feita em uma festa antes de ficar noiva.

Foi só mesmo uma boa pegação, depois acabou.

Lucas é seu nome ficamos conversando eu Lucas minha irmã e seu marido.

Percebi um clima diferente, Lucas me perguntou se eu tinha certeza que queria casar mesmo?

-Respondi claro que sim.

Quando ele falou se eu já tinha realizado todas as minhas fantasias?

Eu fiquei sem responder, foi aí que ele disse se não realizou procure realizar porque depois de casada as coisas complicam.

 E todos começaram a rir. Minha irmã que sabia de minha fantasia falou zoando comigo.

Pois é gente minha irmã tem uma fantasia sim, só quer provar algo mais intenso, maior... E com gestos de mãos deu a entender.

Eu envergonhada, pois ali tinha dois homens. Falei Esquece estas coisas mana?

Esquecer?

Impossível você vai sempre desejar ser possuída por um bem dotado querida e isto te deixará infeliz.

Bem eu já vou, ia saindo desejei uma boa noite para todos.

Lucas apressou-se em dizer que me levaria em casa.

-Não precisa Lucas é longe vou de taxis mesmo.

-De forma alguma vou levar sim ele disse com voz firme, ainda mais quem não gostaria de ter sua companhia por mais algum tempo?

Assim aceitei a carona.

Acontece que fomos conversando e rolou um clima que foi provocado devido à conversa na casa de minha irmã.

Lucas dirigia e vez ou outra me olhava quando teve um momento ele disse Diana se quer realizar seu fetiche ainda há tempo tenho todas as qualidades que você anseia.

Quer ir a um motel comigo?

 Ele me convidou assim sem mais nem menos, aproveite antes de casar!

Eu como já estava super excitada devido às conversas respondi sem pensar:

Vamos Lucas meu noivo está viajando se assim você quer eu também quero.

Lucas mudou o rumo do caminho e no primeiro motel que encontrou entrou.

Entrei eu estava nervosa ele todo excitado mostrava o cacete atravessado dentro da calça, parecia um porrete.

Assim que entramos no quarto me abraçou e beijou meu rosto todo olhos, orelha acariciava meu corpo por completo sem pressa de tirar a roupa.

Até que baixou uma das alças de minha blusa começou acariciar com os lábios dando beijos molhados, logo estava sem blusa e sem soutien Lucas mamava meus seios, sentia arrepios parecia uma virgenzinha sonsa.

Quando ele tirou completamente minha roupa eu ajudei a tirar a sua camisa e calça, sem coragem de tirar a cueca, mas ansiando ver seu cacete que vibrava de excitação...

Lucas me deitou na cama ele mesmo tirou a cueca e quando eu vi o seu cacete enorme com veias salientes, arrepie-me toda, ele veio ate minha xoxota abriu minhas pernas deu uma chupada bem voraz, senti meu grelo tremular e estalar entre seus lábios, quase eu gozo.

Logo ele ajoelhou-se entre minhas pernas e com uma desenvoltura sensacional arqueou os quadris e meteu seu cacete dentro da minha xoxota.

Entrou macio, ambos excitados afoitos pelo gozo.

Quando ele sentiu que só estavam de fora os culhões, começou uma sessão de estocadas fortes que me faziam gemer, alto, não de dor, mas de prazer.

Fiquei por mais de dez minutos recebendo seu cacete na xoxota, fizemos muitas posições como, ladinho, de quatro cavalguei como uma verdadeira amazonas.

Até explodi em um gozo insano.

Lucas me proporcionava inúmeros orgasmos como eu nunca senti na minha vida com meu noivo.

Eu me sentia uma puta safada sendo comida por um macho pegador.

Quando Lucas me colocou de quatro, deu uma lambida no meu cu fui ao delírio.

Jamais senti tanto prazer, ele dava tapas acariciava minha bunda e sem eu esperar afastou-se um pouco os quadris segurou no cacete e forçou.

Senti minhas pregas estalarem, gemi alto, ele falava relaxa amor que logo vai passar e assim eu fiz, mas digo sinceramente me senti arrombada.

Tinha medo do estrago, mas ele soube me elevar a um patamar de prazer que jamais eu senti em toda minha vida. Lucas com estocadas fortes metia e tirava sem parar, eu sentia como se seu cacete estivesse dilacerando minhas pregas.

Logo eu comecei a sentir jatos de esperma no meu rabo.

Gozei junto com ele, um gozo diferente não sei se foi na xoxota ou no rabo sei que foi a primeira e não a única vez que eu saí com Lucas.

E desde então já casei há dois anos e nunca deixei de sair com Lucas meu amante fogoso e bem dotado. Para que melhor do que isto.

Meu marido é uma pessoa maravilhosa, mas no quesito de realizar fantasias é uma negação então eu como sou bem safada as realizo todas com meu amante Lucas que é um homem maravilhoso.


DocecomoMel(hgata)
Este e outros contos você encontra no site:
http://www.climaxcontoseroticos.com/



20/03/2015>

quarta-feira, 18 de março de 2015

Mulher tem que ser igual puta







Eu adoro mulher vagabunda e provocante que gosta de fuder sem pudor. Que gosta que seu macho faça de seu corpo morada do prazer.

Sempre em dias de sexta feira quando saio do trabalho vou a um barzinho que fica próximo a um supermercado de uma grande rede. Quando começa o final de semana, moças e rapazes saem para se divertir. Vejo muitos deles conversando alguns até se agarrando a procura de alguma aventura.

Eu sou casado, mas adoro aventuras. Gosto de foder gostoso, de dá tapa na bunda, fazer sentar no meu cacete rebolando sem parar. Só não sou de encarar com machos. Mas se for mulher a trepação é segura. Eu até Viagra tomo para poder proporcionar melhores momentos na foda.

Outro dia encontrei uma mulata. Estava com uma colega em uma mesa próxima, de longe ofereci uma bebida. Elas aceitaram convidei a vir até a minha mesa. Uma delas veio e falou que sua amiga estava esperando o namorado. Que assim que o mesmo chegasse que viria me fazer companhia.

Concordei sorridente e segurando em sua mão falei que se ela topasse algumas horas de sexo quente e saudável estaria livre para ela quando quisesse. Seu nome era Larissa, que me sorriu e falou que logo voltava.

Já fiquei entusiasmado, pois estava louco por uma mulher bem safada que topasse chupar gostoso meu cacete, que bebesse meu leite quente, que me fizesse gozar rasgando sua xoxota e o cu sem pudor. Que rebolasse no meu cacete gemendo muito e logo chegasse ao prazer do orgasmo, perfeito e sem frescura.
 Uma meteção de cacete sem dó nem piedade.

Deus ouviu minhas preces, quando vi um homem chegar até a mesa delas deduzi que fosse o tal namorado. Na verdade era um macho que logo carregou a amiga de Larissa dali.

Em instantes ela veio até a mesa e sentou. Ofereci uma bebida, ela aceitou e com sorriso safado respondeu que iria tomar só uma taça de vinho, que queria estar sóbria, para aproveitar melhor o sexo gostoso que iríamos fazer.

Tomamos nossa bebida, paguei a conta e fomos até meu carro. Saímos em direção a um motel. Logo abri a braguilha deixando o cacete de fora. Ela disse:

- Uau!! Apressadinho hein?

- Claro, querida não tenho tempo a perder, sou casado e tenho que chegar a casa antes da madrugada. Ela sorriu e falou:

- Delícia! Adoro homens casados são experientes e bondosos.

- Claro amor! Eu respondi:

- Sou muito bondoso, não se preocupe que vou te dar cacete até você não querer mais.

Ela riu e falou:

- Senso de humor você tem! Vamos ver se tem tesão de sobra!

E se abaixou começando a pagar um boquete. Já que estava em um lugar deserto e de pouco trânsito, aproveitei para alisar sua cabeça, forçando que me chupasse mais profundo.

Logo chegamos ao motel entramos. Larissa foi até o frigobar pegou um refrigerante e ficou sentada na beirada da cama. Fechei a porta tirei calça e camisa, e fui para seu lado, ou seja, fiquei parado a sua frente. Comecei alisando seus cabelos e fui descendo até seus seios. Abaixei minha calça, tirei minha camisa e segurando em rosto e falei:

- Toma puta! Se for cacete que tu queres, segura e mama!

Larissa deu uma risadinha safada e falou:

- Amoreco não só vou mamar como comer, chupar, lamber e fazer tudo que tenho direito. Adoro um homem de boa pegada.

Larissa abaixou minha cueca e vendo meu cacete duraço foi pegando na base e com maior tesão abocanhou meu cacete. Passou a chupar com sofreguidão e a lambuzar ele todo com sua saliva. Chupava envolvendo com a boca, circulava com a língua de um lado a outro, eu ia às alturas, sentindo sensações maravilhosas.

Depois eu segurei em sua cabeça e comecei a socar fudia mesmo sua boca. Larissa delirava. Teve um momento que até engasgou, então eu parei dando um tempo para ela.

Foi quando terminei de tirar suas roupas e caí por cima dela, mamando seus seios durinhos, com cacete entre suas coxas, sentia sua xoxota lambuzar meu cacete. Mas eu queria provocar fazer implorar para ser fudida.

Meu cacete já estava mais que latejando de tanto tesão, já escorria até umas gotas de esperma pela cabeça. Peguei meu celular e tirei fotos dela, com as coxas arreganhadas e seus lábios vaginais lambuzados de tesão.

Ela estava meladinha pronta para ser comida com vontade. Com boa pegada, como ela mesma disse que gostava. Pois bem, segurei em seus quadris, pegando-a de surpresa, coloquei-a de quatro e nem dei tempo dela se apoiar na cama.

Comecei a lubrificar seu anel com a língua, lhe dei alguns tapinhas na bunda e me afastei um pouco pra ver como era gostosa a potranca. Coloquei uma camisinha e ela rebolando esperando meu cacete, me aproximei e enfiei em sua xoxota. Por alguns momentos senti todo fogo de seu tesão.

A mulher gemia e rebolava que me deixava doido quase não segurava meu gozo, mas meu maior tesão era ver seu cuzinho rosado piscando. Eu alisava, colocava o polegar e a safadinha ronronava.

Depois de algum tempo, bobeando em sua xoxota apertada, sempre alisando seu anel, eu não agüentei mais, tirei da xoxota encostei-me a seu rabo gostoso. Lambuzei de um lado para outro, e comecei a forçar.

Empurrava e parava de início ela relutou é claro, mas depois que a cabeça passou, ela relaxou mais. Foi quando eu passei a bombear naquele rabo gostoso, apertado latejando, que comprimia meu cacete, apertando, latejando e envolvendo todo meu cacete.

Fodi por mais de quinze minutos socando sem parar naquele rabo apertado. Ela começou a gemer e o gemido dela me deixava mais excitado. Passei a meter com mais rapidez e ela rebolava gostoso. Resolvi tirar o cacete de dentro para não gozar logo, pois estava louco de tesão. Ela reclamou que queria leitinho.

Dei um tempo para me recompor só fazendo carinhos nela, então ela me pediu para gozar dentro de sua boquinha.

Fiz com que ela se ajoelhasse e comecei a me masturbar. Ela ajoelhada com carinha de puta safada. Foi só por alguns segundos e eu logo comecei a gozar. Coloquei meu cacete na frente de seu rosto e ofertei jatos e mais jatos de leite em seu rosto, boca que chegou a escorrer pelos seios.

Se alguém acredita que ela não tomou enganou-se, pois sua boca ficou cheia que chegou a escorrer pelos cantos dos lábios. Eu não já transei com uma infinidade de mulheres e bem sei que cada qual tem sua particularidade, mas alguma tem verdadeiro tesão por sexo anal.

Ao sentir das pregas se abrindo para receber uma cacete de bom volume e rigidez é tudo de bom. O prazer que elas sentem é indescritível. Por este motivo eu nunca deixo de fazer anal, pois bem sei que adoram e eu não sou de negar prazer a ninguém.

Mas voltando ao ato, logo Larissa se recompôs e vendo ainda meu cacete rígido pediu que a deixasse cavalgar. Como negar? Deitei na beirada da cama e logo a putinha safada veio com jeitinho. Cavalgou como uma eximia amazonas cavalga seu garanhão. Senti seu gozo molhar cabeça do meu cacete.

- Caracas! Na pressa nem camisinha botei agora o que está dentro não se pode tirar e soquei por alguns minutos e gozei novamente. Agora dentro da xoxota.

Assim ficamos exaustos com respiração ofegante, fomos tomar um banho nos vestimos e fui levá-la em sua casa, Só quando parei o carro na porta de sua casa que a safada disse:

- ainda bem que meu marido não chegou de viagem ainda!

Cheguei a sentir um nó na garganta a safada era casada e só veio dizer isto agora. Agora eu nada posso fazer, não sou ciumento e anotei seu whatsapp. Sempre entramos em contato e já saímos outras vezes. Se  é  foda que querem eu adoro fuder.



DocecomoMel(hgata)



Feira de Santana17 de março de 2015
Bahia Brasil

sábado, 14 de março de 2015

Como Seduzi Meu Padrasto




Confesso que depois que minha mãe casou de novo minha vida mudou e para pior. Antes ela tinha seus casos e eu nada via nem sabia, pois ela saia para motéis. Eu não perguntava nada em respeito à sua privacidade.

Mas depois que ela conheceu o Sandro, que é professor da mesma escola que eu estudo e colega de minha mãe de trabalho. Ambos são professores. Depois de alguns meses de namoro decidiram morar juntos, aí as coisas complicaram.

Sou uma moça tímida só tive dois namorados, apenas com um deles eu tive contato sexual. Vou dizer logo sem muitos rodeios, foi com um deles que perdi meu cabaço e transei muito até acabar o namoro.

Quando vejo meu padrasto, o Jorge, chegar do trabalho, tomar banho jantar e logo ir para o quarto com minha mãe, já sei que a noite vai ser um martírio pois a trepada é com muito barulho, minha mãe geme que parece uma maluca, sei que deixam TV ligada no quarto mas nem isto impede que eu ouça seus gemidos.

Assim quando estou dormindo e ouço os gemidos de minha mãe no quarto ao lado eu morro de tesão e fico com vontade de transar, mesmo que seja com meu padrasto. Sou uma moça muito bonita, só meu estilo de vestir que é um pouco diferente da maioria das jovens.

Visto muita roupa preta tenho piercing no nariz, tatuagem em uma perna, uso aparelhos nos dentes, tenho dezenove anos, morena com cabelos pretos. Adoro usar botinhas estilo Emo, saias justas e gorro, tudo da cor preta e gosto muito de chamar à atenção dos homens na rua.

É mas só para provocar eu não quero ninguém eu quero mesmo é o meu padrasto. Acho que estou apaixonada por ele. Se por acaso, eu não me desse bem com minha mãe, poderia até dizer que era por pirraça que queria destruir a relação dos dois, mas não é o caso.

Eu tenho uma ótima relação com minha mãe e com meu padrasto também. Mas este desejo que sinto por ele me deixa louca , quero fazer sexo com ele. Anseio sentir seu cacete dilacerando minha xoxota me enchendo de leite. Não vou sossegar até tê-lo todo dentro de mim, aí sim vou me considerar uma mulher de verdade.

Na semana passada eu estava na sala vendo televisão com o meu padrasto e minha mãe, eu sentei com as pernas para cima na poltrona e percebi seus olhares. Sei que despertei tesão nele, foi a partir desse dia que resolvi dar corda aos meus desejos. Fui cercando me insinuando até que aconteceu um encontro inesperado entre ele e eu.

Minha mãe ficou o dia todo na escola fazendo planejamento. Ela é vice-diretora do colégio e Jorge apenas professor. Então ele voltou na hora do almoço.

Assim que terminamos o almoço fui para meu quarto. Quando o relógio marcava 15 h. Nossa empregada veio avisar que já estava indo embora , pois iria ao banco pagar algumas contas.

-Tudo bem Maria pode ir logo minha mãe chega. Ela saiu dizendo que a mesa do café já estava posta e que tudo estava feito.

-Está bom Maria pode ir, afinal não tem nenhuma criança aqui.

Foi quando ela disse:

- Seu padrasto está no quarto, não faça barulho viu menina?

- Certo Maria ! Agora vai mulher, senão você perde a hora!  Eu falei.

Cabeça vazia espaço para pensamentos maus. Maria nem tinha saído direito eu fui de mansinho para a porta do quarto de minha mãe, ver se tinha barulho. Ouvi gemidos roucos agucei mais os sentidos.

Não agüentei de curiosidade empurrei um pouco a porta e vi meu padrasto o Jorge na frente do computador teclando com alguém e se masturbando. Fiquei estática, não por vê-lo fazendo tal ato, mas por ver o tamanho do cacete de Jorge. Parecia um porrete cheio de veias saltitantes, latejando e babando.

Aí senti minha calcinha molhar, caramba! Eu já transei, mas foi com jovens que nem tinham metade do tamanho do cacete de Jorge. Ver aquele imenso porrete terminou de aguçar meu tesão por ele. Encostei a porta e fui para o meu quarto. Olhei no relógio e vi que ainda era cedo e faltava muito para minha mãe chegar.

Fui até meu quarto tomei um banho, vesti uma camisola bem devassa, me enrolei nos lençóis peguei o celular e liguei para meu padrasto. Ele atendeu e já foi perguntando:

- o que houve? Falei que estava em casa e com febre, ele perguntou:

- Onde você está?

-No meu quarto!

-Está  bom eu vou ai te ver.

Ele desligou o celular não demorou alguns minutos ele bateu na porta. Mandei entrar, era o Jorge.

Como eu já tinha planejado fiz encenação mesmo de cara abatida, mas ele entrou todo desconfiado nunca havia chegado até os meus aposentos.

- O que você tem menina?

-Estou com o corpo doendo! Cabeça doe demais, a febre parece que diminuiu tomei um antitérmico. Respondi.

Ele se aproximou e disse:

-Deixa ver se eu ainda estava com febre?!

 E com uma das mãos tocou na minha testa e afirmou é parece que a febre passou.

-Ainda bem! Afirmei.

Eu não sou nenhuma vagabunda, só queria sentir prazer com ele, pois o que tornava impossível era por ser justamente pelo homem da minha mãe, o seu marido. Mais o tesão que eu sentia por ele era tão forte que eu não conseguia controlar, isto estava me matando.

Então eu olho em seus olhos e seguro em uma de suas mãos e falo.

-Jorge você bem deve saber que adoro minha mãe e a respeito muito, mas estou com problemas sérios.

-O que foi Marcela que problemas são estes? No que posso ajudar?

-Bem não sei se será de seu agrado mas...mas.

-Diga logo estou impaciente com esta curiosidade.

-Uma moça tão bonita com problemas!

-Eu estou apaixonada por você! Falei assim, de repente.

Ele arregalou os olhos, eu nem esperei ele falar mais nada e tirei os lençóis. Ele me viu com camisola curta mostrando as pernas e metade dos seios de fora, aí eu falei.

-Jorge seja meu homem, nem que seja por uma única vez!

-Mas Marcela tua mãe!

-Deixa ela, eu respeito, mas preciso de você! Quero sentir nem que seja metade do prazer que você dá a ela todos os dias, vocês não me deixam dormir. Eu escuto vocês e isto está me matando de tesão. Quero você Jorge!!

Em pé quase sem roupas e entregue ao êxtase, me abraço em Jorge que estava parado sem tomar iniciativa alguma, até que comecei abrir sua camisa e abaixar seu short e... deixou escapulir um cacete enorme que parecia um porrete.

Segurei em minhas mãos e comecei a masturbá-lo. Ele começou alisando meus braços e logo acariciava meus seios. Fez um sinal como se pedisse silêncio e fechou a porta do meu quarto.

Fomos para minha cama. Jorge me colocou deitada e veio por cima. Senti seu cacete procurando caminho entre minhas coxas. Queria transar, mas queria muito mais ser chupada, lambida e comida de todas as formas.

Quando Jorge colocou-me de quatro na cama e caiu de boca na minha xoxota delirei de tesão. Sua barba por fazer roçava em minha bunda dando um prazer a mais do que eu imaginava, com linguadas fortes que adentrava minha xoxota, provocando ondas de prazer pelo meu corpo franzino comparado a seu porte atlético.

Explodi em sua boca sedenta. Jorge saboreou cada gota da minha seiva e quando eu já estava saciada do meu primeiro orgasmo com Jorge ele falou:

-Marcela! sua safada, você me provocou e quer saber por que tua mãe geme tanto né? Pois vai saber puta descarada, sou viciado em comer o rabo dela depois de comer e deixar ela toda arrombada ai sim encho a xoxota de leite, isto se ela não preferi beber todo. Como você prefere? Na cama no chão ou apoiada na parede?

-Uia! meu garanhão faça como você quiser, só use camisinha.

-Camisinha mais tarde agora vou querer uma boa chupada! Ajoelha safada e chupa que não é picolé mas e bom pra tu chupar.

Com seu jeito de macho dominador, Jorge ficou em pé junto a cama e me fez chupar seu cacete por vários minutos. Eu cheguei a entalar, tossir. Enquanto isto, ele passava o cacete pelo meu rosto todo. Deixando-me toda lambuzada, até que segurou em minha cabeça inclinou-me na cama e começou a socar seu cacete inteiro na minha boca.

Parecia um louco desvairado movido pelo tesão. Segurava o cacete estocava sem dó e falava:

- É assim safada, que tu quer?!  Então toma leite!

Em poucos minutos, percebi seu cacete se inflamar e despejar fortes jatos de leite. O primeiro jato ainda engoli mas os outros, ele direcionou pelo meu rosto e colo dos seios. Fomos ao delírio.

Jorge foi na pia do banheiro lavou o cacete e já voltou colocando camisinha. Sem muita conversa falou:

-Agora que você vai gemer gostoso safadinha! Não peça para tirar que não gosto de meio prazer, se começou termina!

Eu com os olhos vidrados na imensidão de seu cacete vibrava de tesão, mas estava com medo, “ai meu bom jesus das preguinhas, proteja as minhas!!” e fui ficando de quatro.

Logo recebi uma boa passada de língua que me deixou arrepiada. Senti Jorge passar um creme que nem sei onde ele achou e com jeito, foi começando e meter.

Metia um pouco e parava, sempre pedindo para relaxar. Senti uma ardência no começo, mas logo estava totalmente preenchida pelo cacete imenso e grosso. Ele alisava minha bunda, dava alguns tapas leves.

Depois deu-me um beijo na orelha e falou em um sussurro:

- Tá gostoso está minha putinha safada?! Tal filha, tal mãe. Queria saber como é que teu padrasto come tua mãezinha, queria?! pois agora sabe. E ainda tem mais...

-Ah Jorge! está muito bom, tô adorando ser sua vadia vou querer sempre.

-Com toda certeza querida, agora já sei o caminho, acabou-se as minhas punhetas. E sorriu.

E foi começando a estocar lentamente, depois acelerava, parava, tocava meu grelo com as pontas dos dedos, até que explodimos em um gozo intenso. Jorge forçou seu cacete até que amoleceu e saiu dentro de mim.

A camisinha saiu cheia de leite. Jorge sorriu falando:

- Pronto amoreco! agora preciso me recompor porque tua mãe já deve estar chegando. E já sabe!! sempre vou te visitar no teu quarto. Tua mãe depois que acaba de trepar apaga até amanhece o dia. É claro que vou querer sempre um pouco mais de sexo e você estará sempre a minhas espera. Estou certo?

-Claro amor estarei sempre esperando por você.

E sem dizer mais nada, Jorge ia saindo. Mas na porta parou e falou:

- Vê se toma remédios viu? Camisinha só com sexo anal o resto é na pele no cheiro e no calor. Entendido?

-Claro amor amanhã mesmo vou providenciar isto!

-Assim que gosto piranha obediente!


DocecomoMel(hgata)
Feira de Santana,14 de março de 2015
Bahia Brasil

http://www.climaxcontoseroticos.com/

domingo, 8 de março de 2015

Amante de uma coroa




Olá.
Não sei dizer se é verdade, mas pelo que observo a maioria das mulheres loiras tem fetiche por um negão.
Como eu sou descendente de afro, sou muitas vezes paquerado e cantado por muitas mulheres algumas delas até casada, como não sou frouxo não fujo da raia.
Vou contar como foi que aconteceu uma aventura minha com uma loira bem gostosa e safada, além do mais casada.
Eu trabalho como boy de uma empresa de advocacia faço serviços em bancos, cartórios e muitas vezes alguns funcionários me pedem que faça pagamentos de faturas depósitos e afins.
É claro que sacrifico meu horário de almoço para ganhar um extra.
Neste escritório trabalham duas mulheres, lindas com mais de trinta e cinco (35) anos ambas são casadas, mas são tão gostosas que até esqueço-me desse pequeno detalhe, pois não sou ciumento e em momentos que estou no escritório esperando meu serviço de rua fico olhando-as passar de um lado para outro rebolando, ai meus queridos o tesão fala mais alto fico louco de tesão.
Principalmente com a Laís que é uma cavala de gostosa.
Nem precisa dizer que a homenageio sempre em minhas punhetas.
Eu sou Luciano tenho 19 anos solteiro afro com 1,84 com 82 kg bem distribuídos meus cabelos estilo Black Power, para completar meu perfil tenho um cacete de 21 cm que é bem grosso que é o delírio das mulheres.
Não estou querendo contar vantagem, mais as moças que já provaram voltam sempre pedindo bis.
É claro que não nego até alguns gays que estudam no mesmo cursinho que eu ficam enviando watts app com convites.
Não sou muito chegado a macho, mas tive outro dia que um colega de cursinho me deu uma carona, eu nem sabia que o cara era chegado a estes lances e antes que me deixasse n aporta de minha casa, me fez um delicioso de um boquete.
-Se era leite que ele queria eu dei afinal estava faminto e eu aproveitei soquei gostoso na sua boca gulosa até despejar toda seiva do meu corpo em sua garganta gulosa.
-Foi bom depois ele limpou me deixou em casa e continuamos amigos do mesmo jeito, mas voltando as duas divindades do escritório na semana passada uma delas a que se chama Silvia pediu que eu sacasse um dinheiro, pois ela iria viajar no sábado pela manhã.
Mas devido ao grande quantidade de gente atrasei-me e quando cheguei ao escritório ela já tinha ido embora.
Poxa o que fazer agora foi o que pensei, mas logo as respostas vieram em forma de um telefonema.
Silvia pediu se fosse possível eu levar até sua casa o dinheiro.
-Claro que sim respondi anotei o endereço e assim que sai do escritório peguei minha motocicleta e fui não era muito longe.
Quanto bati a porta e logo foi aberta por uma mulher linda e cheirosa, digo com sinceridade à vontade que eu tive foi de apertá-la em meus braços e beijar até sufocar.
Que loucura linda com um short branco e uma blusa fina que mostrava os bicos dos seios eriçados eu pirei fiquei em estado de lerdeza sem dizer nada só olhando para ela que foi preciso Silvia chamar pelo meu nome por mais de uma vez.
Atordoado com meus pensamentos deparei-me em uma inusitada situação estava louco excitado ali na frente de Silvia que notou... E ainda tentou disfarçar que nada via de estranho, mas é claro que percebia que eu estava excitado.
E claro e evidente que procurei sanar aquele incomodo pedi a ela que me deixasse usar o banheiro. Ela mostrou-me o caminho e assim eu fui. Tentei fazer xixi mas é impossível, lavei  as mãos molhei o rosto e nada do meu cacete abaixar,para disfarçar tirei a camisa de dentro da calça para impedir que  visse ai ficou pior,a camisa ficou parecendo uma barraca armada.
Voltei para sala falei que já ia embora foi quando Silvia falou para compensar meu trabalho de ir até sua casa se eu não aceitava uma taça de vinho.
Disse que não, pois estava com motocicleta.
Ela concordou dizendo que eu era um rapaz de juízo.
-Bem sou sim só perco juízo por uma coisa!
-Ela prontamente indagou qual era o motivo que me fazia perder o juízo.
-Respondi que era por mulher, por ela e com ela fazia coisas que até Deus duvida!
-Ah menino que coisa ein,
-Pois é Silvia por mulher nado até em rio que tem piranhas.
E você Silvia nunca conversamos no trabalho como é sua vida?
-Minha vida é simples Luciano, só estou tentando me readaptar a minha nova condição de solteira.
Solteira?
Sim ainda não participei a todos, mas estou definitivamente separada.
Ah, eu falei, mas eu não vou lamentar por isto se não deu certa bola para frente Silvia a vida continua.
-Obrigado é o que estou tentando fazer, mais ainda é complicado.
Eu tomei coragem e falei bem assim com a maior cara de pau, bem Silvia você está solteira porque quer, pois é muito bonita e...
Pigarreei e falei alem de bonita é muito gostosa, qualquer homem normal adoraria ficar com você!
- Me deixa falar logo inclusive eu.
Pronto falei o que faz tempo te queria dizer sou louco por você só nunca disse, pois pensei que era casada.
Silvia ouviu calada com os olhos arregalados e depois perguntou?
Você deve está brincando comigo Luciano?
Brincadeira não deixa homem ficar excitado deixa?
Pois olhe e veja como estou só de está perto de você!
-E sem dizer nada Silvia segura em minha mão me leva até o sofá e senta bem pertinho de mim.
-Sei que sou mais novo que você eu afirmei, mais não consigo controlar meus instintos.
-Silvia olha bem dentro dos meus olhos e sem dizer nada me dá um beijo leve que é apenas um roçar de lábios.
Enlouqueci agarrei-a em meus braços e comecei a beijá-la minhas mãos começaram alisar seu corpo inteiro Silvia entregou-se aos meus desejos e em minutos, estávamos no sofá na maior agarração.
Silvia me deixou mamar seus seios, beijar seu corpo inteiro, eu louco de tesão meu cacete quase estourava na calça.
Só pensava em beijar e acariciar aquela mulher que há tempos desejo em meus braços.
Aí meu querido logo fomos tomar um banho afinal sai do trabalho direto para sua casa.
No banheiro pude me deliciar com seu corpo, minha boca ávida de seu corpo lambeu cada cm de seu corpo, sentia Silvia se arrepiar em cada toque.
Provoque-a deixando o prato principal que era a xoxota lisa e meladinha para saborear na cama.
Assim provei de sua deliciosa seiva, ouvindo seus gemidos, seu corpo se contorcia ao toque de minha língua que de inicio foi suave, passeando de um lado a outro, mas quando me dei conta como era delicioso sentir seus lábios vaginais entre meus lábios. Chupei e suguei com intensa vontade de provar de seu mel.
E Silvia foi abençoada pela natureza, gozava abundantemente enchendo minha boca com seu delicioso e adocicado mel.
Eu quase gozo só de sentir seu orgasmo intenso e maravilhoso.
Fiz o que mais desejava nos últimos dias de minha vida que foi proporcionar prazer à mulher mais gostosa que já conheci. E assim em minutos estava eu na cama de Silvia com meu corpo negro reluzindo em contraste com a brancura de Silvia. Olhando em um espelho me senti como se estivesse fazendo um filme pornô.
O negro jovem com uma potranca loira com os cabelos esvoaçando sentindo seu galope desenfreado até não agüentar mais de tanto gozar.
Foi bom demais eu me senti um objeto do seu prazer,quando ela saiu de cima do meu cacete com coração disparado com respiração ofegante ficou de quatro,eu apóie em sua traseira e fui por cima de seus quadris metendo em ritmo acelerado, ouvindo seus gemidos pedindo que a fodesse como há tempos não era fodida.
Amores queridos eu com 19 anos louco de tesão fiquei por mais de trinta (30) minutos socando impiedosamente em minha Silvia, ouvia seus gemidos seus pedidos de clemência, era como estivesse no paraíso e finalmente quando meu orgasmo se aproximou tirei o cacete de dentro de sua xoxota linda e castigada pelo meu cacete e gozei abundantemente em sua bunda.
Parecia que eu era um touro devido à grande quantidade de esperma que despejei sobre ela.
Fiquei alguns minutos com a respiração entrecortada, até que Silvia falou:
Deixa-me limpar este cacete delicioso, ela foi dizendo e virou-se com carinho começou a chupar meu cacete ainda duro, claro que com o boquete que ela fez aí que não amoleceu mesmo. Viramos em uma posição e ficamos fazendo um sessenta e nove (69).
Por um bom tempo até sentir novamente seu gozo em minha boca.
-Delicia Silvia goza minha gostosa, minha safada é assim que gosto, de mulher safada e já estava louco para começar a fugir ela gostoso novamente, quando ela disse.
É bom você colocar sua motocicleta na garagem acho que você vai ficar a noite toda por aqui.
Eu nem se lembrava de nada, mas como ela falou na certa não queria que os vizinhos vissem que ela tinha companhia.
Atendi seu pedido montei na moto dei uma volta na quadra e quando retornei o portão já estava aberto.
Entrei e já fomos direto para o banho.
Saímos do banho fizemos um pequeno lanche os dois sentados um de frente ao outro, logo voltamos para cama e Silvia pode sentir toda minha sede de sexo, pois a fiz gozar novamente até não agüentar mais.
Pois o cacetudo aqui soube lhe proporcionar momentos que jamais ela vai esquecer.
Se assim que quer é assim que dou,quando Silvia me chupou e deixou meu cacete todo melado de sua saliva,eu apalpando sua bunda, ela ronronando,quando eu cai de boca em seu rabo e sentir seu cú latejar na ponta da minha língua,já vi que iria me afundar em seu rabo até explodir em gozo e assim foi feito.
Sai da cama fiquei em pé trouxe para que ficasse na beirada, lambuzei seu anel, aliciei com os dedos deixando cada minuto mais desejosa, coloquei uma camisinha com sabor de morango, pequei um creme que estava no criado mudo untei e besuntei seu anel e a cabeça do meu cacete e fui encostando empurrando aos poucos até senti a cabeça do cacete entrar, entrou macio escorregando com muita facilidade, graças ao tesão sentido e toda preparação quando me vi alojado com cacete todo dentro de Silvia eu pirei e com estocadas fortes sem parar em um desenfreado movimento de vaivém comecei a gozar até não agüentar mais.
Caracas que delicia sentir um rabo latejando apertando o cacete é algo tão gostoso que fica impossível de controlar.
Ficamos abraçados. Um aninhado nos braços do outro até adormecemos por algum tempo,mas logo despertamos ,fizemos uma pausa para um lanche tomamos banho e recomeçamos desta vez era Silvia que comandava.
Galopou em meu cacete como nunca, me lambia por onde queria.
Até meu anel Silvia sugou e eu fiquei na posição que ela desejava, me deixei levar pelos seus instintos de fêmea e pude sentir sensações e emoções que me levaram ao Clímax*
Ai sim agora soube que tirei a sorte grande encontrei a mulher dos meus sonhos.
E desde então já se passaram três (3) meses, então faço assim de sexta até domingo fico com Silvia eu sou seu macho, ou viajamos ou ficamos em sua casa, onde posso lhe proporcionar os seus mais secretos desejos na cama. Adoro isto.

Docecomomel (hgata)

Feira de Santana, 06 de março de 2015.
Bahia Brasil.
Clímax Contos Eróticos
http://www.climaxcontoseroticos.com/index.php

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...