Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Um Pedreiro Comedor



Olá eu sou Pedro tenho 30 anos trabalho como mestre de obras. O negocio é o seguinte pego casas para reformar tenho uma equipe faço orçamento de acordo com proprietário entrego a casa pronta já para mudanças.
Tenho confiança em minha equipe e trabalhamos juntos já há (6) anos, neste meio tempo já houve alguns fatos ocorridos que dariam boas estórias algumas divertidas e outras nem tanto como exemplo vou citar uma delas.
Meu ajudante Lucas é um negro alto musculoso, com 1,84 de alt. e 85 kg, além de trabalhar no pesado, faz academia.
Os colegas da equipe vivem zoando com ele que não pode ver um gay que fica logo doido para comer... Eu apenas fico ouvindo as brincadeiras da turma,mas é verdade  mesmo ele já confirmou que gosta de foder machos passivos.
Um dia conversando com ele indaguei por quê?Ele me respondeu que: Gosta muito de sexo anal e as mulheres fazem muito biquinho, ainda mais quando vêem o tamanho do meu cacete, e os passivos adoro então eu quero mesmo é foder e chupam que é uma beleza.
-Eu apenas respondi rapaz é tão grande assim?
-Claro 23 cm de puro tesão... Eu achei que era brincadeira dele comecei a ri,Lucas não gostou perguntou se eu estava duvidando?
Claro não Lucas, mas 23 cm também é demais.
-Então como estava na minha casa e estava eu e ele só o cara abaixou a bermuda e colocou o cacete para fora.
-Putz parecia mesmo um bom pedaço de rolo de fumo.
-Caracas Lucas não podia apenas ter segurado por dentro da bermuda?
-Claro que podia, mas você duvidou então mostrei ora... E começamos a ri.
Fato esquecido até que começamos a reforma de uma casa enorme em um bairro nobre de Salvador.
Este pessoal que tem dinheiro sempre tem amigos que trabalham com decorações, eventos aí como sabem a maioria são homossexuais ou algum passivo encubado.
Coisas do socialite brasileiras.
Nada contra.
A reforma ia de vento em popa ate que chegou ao estado de pintura, foi quando começou a freqüentar a obra um decorador de ambientes.
A turma logo começou a zoar com Lucas.
Eu calado estava calado fiquei, não queria perder o respeito com os colegas, mas notei como Lucas ficava quando o tal decorador chegava.
Seus olhos vidravam olhando o decorador andando de um lado para outro com seus trejeitos femininos e sua bunda empinada.
Claro que os outros colegas nada diziam, mas assim que o decorador saia começava as brincadeiras típicas de colegas de trabalho.
Um dia Lucas sem saber que o decorador estava no andar de cima respondeu ao colega em tom de brincadeira.
E aí Lucas encara a mocinha decoradora?
-Claro que encaro, só não sei se ela *aquenta os 23 cm de puro nervo no rabo e riu de sua própria resposta.
Só que os outros tinham visto o decorador entrar, com exceção de Lucas que estava de costa em um andaime.
-O decorador ouviu e saiu sem dá uma palavra.
Todos se fecharam em um mutismo geral.
Os dias se passaram as obras acabando só restando mais limpeza e ai só ficava eu e Pedro que sempre foi o mais responsável da obra.
Naquela sexta-feira finalmente entregaria o meu serviço pronto e em dias.
Já perto das 16 h o decorado r chegou e vistoriou a obra toda só salientando que precisaria de um operário para trabalhar no sábado.
Eu perguntei de imediato se Lucas poderia, já que é o único que não tem família no interior e com toda certeza iria está livre.
Lucas concordou e ficou acertado que receberia um extra além de ser sábado a obra da reforma já estava entregue.
Entreguei a chave da casa ao decorador e fui embora, com a certeza que meu trabalho havia terminado.
No dia seguinte era um dia de sábado, dia de descansar par começar outro serviço na semana que se iniciava.
Estava em casa quando o celular toca era o patrão dizendo que precisava urgente da chave da casa, pois iria levar uns moveis no final de semana, poxa que coisa eu deixei com o decorador e agora. Disse ao patrão que iria providenciar e levaria na sua empresa logo após o meio dia peguei minha moto e me dirigi até a obra...
Silencio total e para minha surpresa o portão estava apenas encostado entrei sem fazer barulho e fui até a sala,
Surpreso e curioso ouvia vozes, mas não compreendia o que falavam fui entrando silenciosamente até a porta da sala.
Uma que susto levou quando vejo o decorador pelado com seu mini cacete duro sem comido por Lucas o meu ajudante o que falei que adoro comer machos.
Entre surpreso eu fiquei quieto só observando o decorador que se chamava Luan estava de quatro (4) e Lucas em sua garupa metendo sem dó nem piedade, a estrovenga preta entrava e saia deixando um rombo só os tapas na bunda que estalavam em sua pele branquinha, agora mostrava as manchas avermelhadas, mete meu negão...
Come tua putinha gostoso arromba com teu puto vai... safado tesudo.
Ai delicia que puto gostoso, estas palavras eram ditas pelo Luan Lucas suado com as pernas abertas segurava nos quadris dele e com tapas e entre uma metida e outra falava palavras obscenas.
Caracas eu sempre gostei de mulher,mas digo com toda sinceridade eu fiquei excitado de ver a cena o boyzinho sendo empalado pelo negão só gemendo, sendo literalmente arrombado. Fiquei de cacete duração,pensei em ir embora e para minha surpresa ouvi quando Lucas chamou falando assim.
Pedro oh Pedro pode parecer venha ver como esta putinha goza com negão atochado no rabo dele. Fiquei cabisbaixo,perante a surpresa e sai andando em direção aos dois quando cheguei perto deles ,sentia cheiro de sexo o rosto de Luan estava todo lambuzado, só depois foi que soube que antes de ser empalado tinham já feito um boque te e que Lucas tinha gozado na boca do Lua.Caracas meu cacete esta duraço eu não tinha como esconder ,quando Lucas disse anda cara deixa de ser besta bota teu cacete para fora que o putinho quer mamar.Fiquei meio ajoelhado botei o cacete para fora ao alcance do Luan e com as calças arreadas comecei a socar na boca dele.Parecia um bezerro desmamado chupava ,tirava e botava da boca com intenso gosto e prazer os movimentos de Lucas estavam aos poucos facilitando  sua boca que vinha quase toda  na extensão do  meu cacete.
Foi assim que em instantes o ritmo começou acelerar e Lucas começou gemendo mais alto Luan chupava mais ainda meu cacete e  em instante eu não agüentei e comecei a gozar despejando jatos de leite na boca do safado de Luan que é claro estava adorando chupando um e sendo enrabado por outro.Eu acho que é o desejo de todo passivo .Quando eu me dei conta estava já meio desfalecido,mas o Luan não soltava meu cacete.Ai foi a vês de ver Lucas começar a socar sem dó no Luan,era tapas gemidos e urros até que começou a gozar e em determinado momento tirou o cacete de dentro jogando a camisinha longe despejou jatos de esperma  nas costas e bunda de Luan, que parecia um animal gemendo e com espasmo também gozou .O filho da puta chegou a sujar meus sapatos.eu e Lucas olhava para ele com cumplicidade e com um sorriso na cara Lucas me perguntou e Aí Pedro tenho ou não tenho razão de gostar de um passivo?
Apenas assenti com a cabeça respondendo... É o cara sabe fazer um boquete que te digo com toda certeza nunca fui mamado como fui hoje.
E levantando fomos em busca de um banheiro porque ainda tinha mais safadeza.
Tomamos banho e entre uma esfregada aqui e acolá eu soube levar a melhor e  logo eu já o estava traçando no chão do Box do banheiro com golpes certeiros gozei gostoso no rabo de Luan,senti  uma pequena diferença afinal Lucas é um verdadeiro mão de pilão deixa qualquer um folozado.
Pois é amigos e foi a partir deste dia que comecei a tomar gosto por comer passivos e quando Lucas tem carne nova no pedaço estou no esquema para participar da farra.Não deixando de lado é claro a mulherada que sou fã e quem come da fruta não esquece.
Eu quero é mais afinal a vida é curta precisa ser curtida.

Beijos...
Docecomomel
Feira de Santana,22 de outubro de 2014.
Bahia Brasil

sábado, 11 de outubro de 2014

Minha 1ª traição,foi com meu cunhado.






Olá meus queridos, um beijo em cada um de vocês, me desculpem, mas fui obrigada a trair meu marido, e ainda mais co meu cunhado e dentro da casa de minha sogra. Leiam a saga de minha safadeza e comentem, por favor.
O que vou narrar aqui aconteceu realmente há uns quatro (4) anos atrás, foi logo quando eu me casei.
Estávamos construindo e para economizar um pouco de dinheiro eu e meu marido foi morar na casa de sua mãe que é viúva e morava com outro filho rapaz solteiro.
Já fazia dois meses que estávamos lá, tínhamos nosso quarto e convivíamos bem, meu marido trabalhava por turno e muitas vezes no horário noturno.
Em nosso quarto havia uma televisão, só que não tinha TV a cabo, só na sala se quisesse assistir algum programa diferente teria que ficar na sala.
Certo dia eu estava sem sono era um dia de sexta feira meu marido estava trabalhando naquela noite, só viria no domingo pela manhã.
Como eu estava sem sono fui para sala assistir algum filme que fosse bom para compensar a falta de poder não sair naquele final de semana.
Meu cunhado tinha saído para balada, minha sogra foi dormi cedo então eu fiquei só depois de mudar para vários canais e não encontrar nada de interessante acabei deixando em um filme de sexo.
Fiquei assistindo cheia de tesão, eu estava tão distraída vendo o filme que não vi meu cunhado chegar e sentar em uma poltrona, até que me dei conta de sua presença e pude observar que estava excitado.
Depois de um bom tempo meu cunhado que se chama Lucas falou com um tom um pouco carregado de excitação...
-E ai ein cunhadinha esquentando o clima para meu mano não é?
-Que nada Lucas seu irmão esta trabalhando e vai dobrar este final de semana vou ficar mesmo é chupando o dedo.
-Ah que pena querida cunhada uma mulher tão linda ficar um final de semana em casa é um desperdício, será que não quer ir para o aniversário da irmã de minha namorada, prometo tomar conta direitinho estando comigo está bem protegida?
-Fale com seu marido prometo tomar conta de você com cuidado.
Falando assim meu cunhado levantou deu-me um beijo e foi para o quarto dormi, digo a vocês com sinceridade olhar meu cunhado excitado, me deu um fogo na xoxota que fiquei com vontade mesmo era que ele me arrastasse levasse para seu quarto e me fodesse do jeito que quisesse.
-Coisas de minha cabeça, pois meu cunhado sempre foi respeitador comigo.
Mas como ele não tomou a iniciativa talvez por medo de seu irmão ou quem sabe respeito pela família.
-Pensei muito e decidi que se quisesse eu que teria que dá o primeiro passo
Assim que ele saiu fui dormi, já bem tarde eu ainda sonolenta ouço gemidos pensei que poderia ser minha sogra sentindo algum mal estar levantei silenciosamente e fui ver de onde partia os gemidos passei na frente do quarto da minha sogra silencio total.
Parei na frente do banheiro vi a porta encostada e lá dentro tive a surpresa de me deparar com meu cunhado batendo punheta, até ai tudo bem é uma necessidade física de todo jovem, mas com minha calcinha usada entre suas mãos, aí a coisa muda.
-Ele esfregava minha calcinha na cabeça do cacete e cheirava e lambia o fundo da minha calcinha era uma loucura.
-Lógico que ver seu cacete daquele jeito me atiçou, ainda mais vendo lambendo o fundo da minha calcinha foi aí que tomei uma decisão radical que mudou completamente minha vida.
-E assim eu com a voz embargada de tesão o chamei, não queria assustar fui direto ao assunto.
-Lucas porque não vem fazer ao vivo com a dona da calcinha?
-Ele se virou surpreso, mas sem deixar de punhetar, cunhada que susto não sabia que estava ai me vendo.
-Eu sei Lucas e estou te perguntando por que você não vem fazer ao vivo comigo já que estamos desejando alguns momentos de sexo. Precisava ser taxativa o momento exigia isto.
-Hum tem certeza disto, afinal é casada com meu irmão.
-Eu sei Lucas que sou casada, mas também sei de minhas necessidades e carência, venha vamos até meu quarto.
-Sem dizer uma palavra sequer Lucas abriu o armário pegou um pacote de camisinha e um vidro que não sabia o que era no momento, me acompanhou com passos ligeiros, mas logo disse que iria tomar um banho que já iria. Fui sozinha para o meu quarto ansiando que logo chegasse.
Entrei em meu quarto liguei a TV apaguei luz e fiquei deitada. Logo em segundo ouço leve toque batendo na porta com voz rouca disse que estava aberta.
Era Lucas vestido apenas com um short, do seu corpo emanava um odor de sabonete.
Entre Lucas pode fechar a porta eu falei. Ele veio até junto da cama e com os olhos fixos em meus seios falou: Marcela tem certeza que não vai se arrepender do que vamos fazer?
Olha Lucas eu estou com saco cheia de ficar sozinha seu irmão só trabalha... Trabalha e eu fico sempre na mesmice dentro de casa, poxa sou jovem tenho minhas necessidades, ainda mais você bem sabe quando seu irmão está de folga sai com amigos e só chega bêbado, ficamos semanas sem sexo.
-Não estou querendo me justificar estou afirmando uma realidade dos meus dias.
-Tudo bem Marcela se é assim que você acha não serei eu que vou te recriminar, além do mais te acho muito gostosa e desde que vocês vieram morar por aqui que meu sossego acabou não tem um dia que eu não precise bater uma punheta em sua intenção...
Quando Lucas acabou de falar olhei bem para ele fiquei ajoelhada na cama e com um abraço forte nossos corpos se tocaram, com uma ânsia de entrega começamos a nos beijar, sua boca possuía a minha com intensa paixão. Lucas começou alisando meus seios por cima da camisola mas logo foi abaixando as alças e foi tirando aos poucos até que  fiquei só de calcinha.
Meus seios grandes com os bicos eriçados foram apalpados e sugados com intensa sofreguidão.
Lucas sugava e mordiscava os bicos que me deixava toda arrepiada sentia minha xoxota latejando, queimando de tesão.
Quando Lucas começou a descer a mão e enfiar por dentro da minha calcinha, soltei um gemido, alto e rouco como se fosse um animal no cio.
Foi o inicio de uma sequencia de carinhos que me deixava cada vez mais louca e excitada de tanto tesão reprimido.
Aos poucos Lucas foi subindo na cama seu short foi tirado por mim e logo sua boca estava lambendo minha xoxota.
Começamos um (69) sessenta e nove alucinado, ele pensando que eu poderia não querer chupar seu cacete se enganou.
Segurei entre uma das mãos e comecei a fazer um boquete como eu nunca tinha feito antes.
Sugava cabeçorra do cacete de Lucas deixando quase só os grãos de fora, lambia subindo e descendo fazendo o que de melhor eu poderia proporcionar a Lucas naquele exato momento.
Ele com toda esperteza sugava meu grelo (pinguelo) com intenso desejo ouvia os estalos de seus lábios.
Mudamos de posição eu ficando por baixo, mas quando eu comecei a passar a mão no meu grelinho, fazendo círculos Lucas parecia um esfomeado me lambendo de um lado para outro sentia sua língua chegar até no meu rabo, ai foi quando ele se agarrou entre as minhas coxas eu o apertei e comecei a gozar.
Foram momentos de intenso tesão.
 Gozei na boca de meu cunhado como nunca tinha feito com meu marido.
Meu corpo estremecia de tesão, minha respiração ofegante aí caprichei no boquete ate senti seu cacete se avolumar e jatos de leite cair sobre meu rosto e seios.
Desta feita optei por não beber seu leitinho não queria mostrar toda minha safadeza de uma vez só para meu cunhado, mas ele soube aproveitar o que de melhor lhe ofertei que foi a minha primeira pulada de cerca. Descansamos alguns segundos, até tomamos um banho rápido e logo estávamos na cama.
Lucas com toda sua jovialidade começou a beijar minha barriga e foi descendo ate chegar a minha xoxota e dizer...
 Uau que delicia de mel minha cunhadinha e logo afastou minhas pernas colocando-as presa a sua cintura e encaixou-se entre os lábios vaginais ate com movimento de quadris começou a meter gostoso.
Senti uma pequena ardência de inicio, pois Lucas tem o cacete bem grosso, mas logo fui me acostumando e logo nossos corpos em conjunção carnal efetuava uma dança, que elevava ambos a um intenso prazer.
Eu acho que todo homem fica louco de tesão, quando a mulher é bem puta safada e depravada,pois eu me liberei me tornei a mais puta com meu cunhado, ele tinha acabado de me encher de porra e logo eu estava lambendo seu cacete até deixar todo limpinho. Foi a minha melhor trepada dos últimos tempos.Sentir meu cunhado gozando dentro de mim ,fui ao delírio.
Fomos ao ápice do prazer juntos, relaxamos alguns segundos até que Lucas começou a reagir e logo seu cacete estava novamente duro.
Fiquei de quatro (4) e Lucas me vendo assim toda aberta a sua disposição me deu uma bela de uma chupada por trás que me senti uma vaca no cio sendo analisada pelo garanhão.
Estava toda meladinha,
Pois tinha poucos minutos que tinha acabado de gozar, Lucas ainda deu umas mordidinhas no meu grelo.
Foi quando tive que abafar meus gemidos, pois minha sogra apesar da idade poderia acordar.
Foram minutos de intenso tesão, quando Lucas direcionou seu cacete dentre minhas pernas e depois subiu de novo na cama foi ai que percebi até onde ele queria chegar... Ah meu rabo.
 Ele começou a enfiar seu cacete bem devagar, ele metia e parava,fazia carinhos, leves tapas na bunda, sentia bastante tesão, até quando começou os movimentos de vai e vem , ele tirava o cacete todo e novamente metia,sentia-me invadida.
Foram minutos seguidos de puro êxtase até que ele não aguentou e gozou de novo.
Foi ai que percebi que Lucas estava gozando... Seu cacete se avolumando dentro do meu rabo me causou um intenso prazer, minhas pregas latejavam mordiscando e pressionando seu cacete dando mais tesão a ele. Ligeiro eu comecei me acariciando com uma de minhas mãos, meu grelo latejando de tanto tesão que eu também  logo gozei .Caracas que gozo insano pensei que ia desmaiar.
No calor do momento eu nem me preocupei se estava de camisinha ou não, mas logo me certifiquei que estava sim:
Ainda bem a ultima coisa que desejaria seria uma doença.
 Assim ficamos ali por alguns minutos abraçados fazendo plano como seria nossas aventuras dali em diante, logo o dia já amanhecia.
Lucas saiu e foi dormir em seu quarto.
Eu é claro adorei a aventura, mas melhor foram as que sempre tivemos depois deste dia.
E pense na adrenalina que sentíamos a cada encontro nosso, teve um dia que transei com Lucas no banheiro enquanto seu irmão dormia com cara cheia de porre.
Quem não dá assistência abre vaga para concorrência.
Depois eu volto para contar...
Mais bem depois, pois agora eu tenho que aproveitar primeiro. Uma pulada de cerca é uma delicia.

DocecomoMel
docecomomel2011@hotmail.com
Feira de Santana, 11 de outubro de 2014.


sábado, 4 de outubro de 2014

Eu minha esposa e sua namorada !



Olá eu sou o Mauricio sou casado, amo minha esposa e acredito que também sou amado, mas desde os tempos áureos de nossa juventude minha esposa sempre tem uma ou outra aventura. Podem até estranhar eu tentar explicar, mas quando se ama é preciso aceitar defeitos qualidades opções de gostos e desgosto da pessoa amada.
Pois bem minha amada esposa é muito fogosa e nos damos muito bem na cama, no quarto na sala e na cozinha, mas minha esposa também gosta de mulheres, eu aceito dividi-la com outras e que em muitas vezes temos relação a três.
Assim íamos vivendo nossa vidinha um pouco turbulenta, mas felizes até que há aproximadamente pouco mais de três meses tivemos que hospedar uma sobrinha minha que havia perdido os pais bruscamente. Adorei ter a Viviane em nossa casa nossos filhos moram na capital e nossa casa imensa muitas vezes acaba parecendo um museu vazio e frio sem calor humano, pois passo os dias fora trabalhando.
Adorei saber que minha esposa teria companhia em alguns períodos que sou forçado a viajar a trabalho.
Como aconteceu na semana anterior, voltando do Chile desembarquei no aeroporto pegue meu carro no estacionamento e me dirigi a minha casa.
Silenciosamente sem querer acordar ninguém abri a porta sorrateiramente deixei as malas ainda no carro e fui direto para meus aposentos, aproximando do corredor ouço sons oriundos de gemidos abafados.
Entre surpreso e assustado estanquei com a mão na maçaneta e com a porta ainda entreaberta vejo minha sobrinha e minha amada esposa, se esfregando como duas divas em busca do prazer. Fiquei estático observando a cena em segundo tive uma ereção estupenda. Minha amada esposa me viu e fez um sinal com uma das mãos para que se aproximasse andei lentamente com a cabeça cabisbaixa até elas, observa ei que minha sobrinha estava com um consolo entre as mãos.
As safadas estavam com suas xoxotas avermelhadas de tanto brincarem entre si, eu ainda surpreso fiquei sem reação imediata, mas quando minha esposa falou: Amor vem brincar com a gente o brinquedinho não é tão gostoso como seu cacete delicioso que me leva ao delírio... Vem amor?
Eu ainda não estava refeito da surpresa apenas acenei com a cabeça dizendo que iria tomar um banho e voltava em minutos.
Minha esposa sorrindo falou com minha sobrinha, pronto amor agora que vamos nos divertir para valer  na hora começaram a se beijarem.
Não nego nem devo que sinto um tesão enorme de ver minha esposa com outra, ela se solta, adora sentir um grelo tremulando entre seus lábios e isto a deixa mais fogosa, mas ainda estava sem querer tomar a iniciativa com a minha sobrinha, mas precisava esquecer que é minha parenta teria que entrar de cabeça naquele jogo e aproveitar duas mulheres gostosas disputando meu cacete com muita euforia e tesão e assim foi o que fiz... Tomei um banho rápido e apenas de cueca fui até elas que estavam deitadas esperando-me.
Chegando entre elas falei pronto meninas sou de vocês, estava com cacete meio bamba à água fria do banho me deu uma relaxada e eu pude analisar que a vida esta a minha frente para ser vivida e se minha sobrinha queria sexo ela teria seria uma nova aventura se elas querem o que posso fazer é oferecer o melhor de mim. Assim deitei entre elas e meu cacete foi disputado por duas bocas que se revezavam entre lambidas e beijos.
Meu cacete vibrava de tesão, uma boca já e gostoso imaginem vocês duas putinhas disputando cm por cm do meu cacete me sentia o últimos dos machos do mundo.
E não sou bobo entrei na chuva para me molhar e ia aproveitar o Maximo com as duas potrancas.
É claro que minhas mãos trabalhavam com amasso apertos e dedadas nas minhas duas putinhas.
 Quando eu já estava super excitado minha esposa parou de me chupar e deliberadamente fez sinal para que houvesse mudanças e que coisa maravilhosa é sentir uma xoxota em seu cacete subindo e descendo enquanto outra completamente ensopadinha em sua boca.
Uauu que delicia sentir o grelinho de minha sobrinha, seus lábios vaginais eram enorme e entravam na minha boca causando uma sensação maravilhosa enquanto em sugava com destreza Viviane parecia uma bailarina rebolando em meu rosto que foi ficando todo lambuzado de seu néctar.
Assim como eu gosto de chamar o mel das minhas putinhas.
Logo as duas safadinhas gozaram simultaneamente enquanto se beijava, eu apenas estava sendo o objeto de prazer para elas, pois estavam se curtindo muito e nem estava ai para isto, aproveitei o momento de senti minha sobrinha gozando em minha boca já era algo muito prazeroso sem deixar de citar como foi gostoso ver minha esposa gozar com meu cacete atochado até o talo em sua xoxota gostosa, a puta estava tão enlouquecida que gozou que senti seu gozo escorrer pelo meu cacete.
Depois dos urros e gemidos de ambos vermos as duas se beijando foi muito prazeroso, ai foi a minha vez de colocar as duas de quatro na cama e com camisinha no cacete comecei a brincar com elas, uma eu dava mordidinhas na bunda e dedava e outra esfregava meu cacete com força quase deixando a cabeça transpassar por seus lábios vaginais, e provoquei-as ao Maximo até que não estava aguentando de tanto tesão que fui logo perguntando e ai meninas como querem o cacete do papai aqui.
Queremos do jeito que você mais gostar amor, estavam em total sintonia que responderam em uníssono.
Ahh... Então vamos fazer assim as duas de quatro que o resto eu faço. Assim as duas putinhas ficaram com seus rabos apontados pra mim e depois de todos os preliminares possíveis, ainda se beijavam, elas estavam como um casal de apaixonados.
Não tive como não deixar de sentir ciúmes, afinal minha mulher estava toda cheia de carinhos para minha sobrinha e eu estava me sentindo um pouco enciumado querendo atenção, mas era momentos de puro êxtase impossível não sentir tesão.
 Quando segurei nas ancas de minha mulher começando a forçar cacete ela soltou breve gemido, mas estava tão lubrificada que logo eu estava completamente dentro, forçava e tirava metendo com força e vigor, pelo quarto ecoavam apenas o barulho de suas ancas em contato com minha pélvis e os gemidos eram apenas abafados pelos beijos da minha sobrinha. Eu fiquei revezando entre uma e outra metendo sem parar até que senti meu gozo se aproximando fui para frente das duas safadas e despejei jatos de leite na cara delas que saborearam entre si disputando meu cacete até eu ter parado o gozo saciado vi as duas se atracarem e uma gozar na boca da outra.
Que delicia foi uma das sensações mais gostosa que já senti ver as duas gozando gostoso.
Eu naquele dia fiquei exausto de tanto trepar e ainda fiquei vendo aquelas cenas eu ainda consegui gozar mais umas duas ou três vezes.
Agora tenho dentro de minha casa uma amante fixa, porque minha sobrinha é muito safada e esta sempre me provocando e eu a como sozinha, mas isto é claro sem minha mulher saber por que agora ela se comporta como se fosse o homem da casa. Eu nem me importo o que eu quero mesmo é fuder e isto estou fazendo todos os dias com as duas safadinhas.Adoro minha esposa que assumidamente tem seu gosto pessoal por macho e por fêmea e eu como as duas.
Reclamar de que?
Tem-se xoxota à vontade em casa.


DocecomoMel (hgata)
Feira de Santana, 04 de outubro de 2014.
Bahia Brasil.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...