Desejos do Facebook

Valeu ...O reconhecimento!

Grata aos seguidores.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Transando Com meu Genro lll






Transando Com meu genro III.
Depois de muito tempo que estava de caso com meu genro enfim minha filha casou.
Uma pena!Não que ela tivesse casado com Diogo, mas sim porque foram morar em uma cidade próxima.
Mas nada que pudesse impedir que eu e Diogo tivéssemos nossos encontros.
Agora com mais maturidade e responsabilidade de um homem casado, mas muito safado.
Afinal sua sogrinha havia lhe ensinado muita coisa.
Na arte de amar e da safadeza.
Pois sou muito da safada não basta apenas ter uma foda com um orgasmo e dizer que foi prazeroso, precisamos elevar nosso êxtase ao máximo.
 Usufruir de todos os sentidos que o prazer possa lhe proporcionar naqueles momentos de prazer e luxuria.
Bem para encurtar a estória no feriado de 1º de maio fui visitar minha filha e genro.
Não fui à intenção que pudesse ter momentos de prazer com meu genro, mas se a oportunidade aparecesse.
Claro que não iria deixar passar em branco.
Como sempre adoro transar e com Diogo mais ainda.
Já tinha dois dias que eu estava na casa de minha filha, estava tudo tranquilo, até fiz um boquete rapidamente na sala da casa da minha filha enquanto ela tomava um banho.
Foi muito gostoso a adrenalina.
Enquanto eu chupava aquele delicioso cacete minha filha no banho preparando-se para seu marido.
E eu dando maior trato naquele cacete gostoso.
 Diogo é fogoso demais, mas naquele dia não segurou muito já encheu minha boca de leite.
Até desculpou-se dizendo que estava tão gostosos meus lábios que não queria deixar de me dá leitinho na boquinha.
Bem mamei gostoso no cacete dele e assim que gozou fui ao banheiro rapidamente não queria que minha filha desconfiasse de nada.
E na solidão do banheiro bati uma deliciosa siririca pensando no meu genro safado e gostoso.
Uma delicia meus dedos brincarem com meu grelinho, logo explodir em um gozo solitário, mas muito prazeroso.
Dei um sonoro gemido que até pensei que iam ouvir da sala.
Mas como a TV estava ligada não fui ouvida, ainda bem não é?
Já sai do banheiro tomada banho e na sala encontrei com minha filha e seu marido entre beijos e abraços.
Já deu pra perceber que a noite deles vai ser de muita safadeza.
Minha filha meio tímida perante minha presença.
Bem que gostaria mesmo era de participar de uma boa foda a três, mas quem sabe algum dia meu genro não convença minha filha de realizar esta proeza.
Mas enquanto isto não acontece me contento de ser encochada nos cantos da casa na ausência de minha filha. Quando Diogo me disse que Kátia no dia posterior iria fazer um concurso na cidade vizinha fiquei radiante teria o dia todo só para ele.
Que maravilha só de pensar nas safadezas que fizemos fico super excitada.
Logo bem cedo Kátia viajou seu marido Diogo foi embarca-la na rodoviária, eu fiquei em casa, sabia que Diogo não iria trabalhar naquele dia, mas o safado não disse nada a Kátia, pois sabia que ela poderia querer que o levasse até a cidade próxima.
Então vocês já podem deduzir que a safadeza estava já em seus planos.
E nos meus também.
Quando Diogo retornou eu estava no banheiro tomando um banho morno e me preparando para ele.
Sabia que o dia prometia.
Como Diogo adora fazer oral e eu também já estava com a xoxota lisinha do jeito que ele gosta.
Vocês imaginam a quantidade de orgasmos que iria ter naquele abençoado dia com meu genro, porque ele jovem e eu uma coroa com muita sede de cacete.
Bem para encurtar a estória ele já veio chegando me chamando na porta do banheiro. Marcela minha sogrinha safada abra, já voltei para te dá muito cacete minha putinha safada.
Abra...
Ainda enrolada na toalha abri a porta.
- Oi meu lindo estou aqui me preparando para você meu tesão de genro safado e gostoso.
E Kátia?
Deve está chegando já no colégio do concurso, mas deixa ela lá agora o dia é nosso e estou cheio de tesão para te dá.
Olha como meu cacete está parece um porrete!
-Hum... Delicia esta se derretendo de tesão.
-Está sim doido para meter na mulher mais safada que conheço minha sogra putona.
_Ah Diogo não sou assim safada você que me faz liberar meu lado mundano.
-E sem mais palavras Diogo se abaixou a meus pés começando a dedilhar minha xoxota que estava super encharcada e cheia de tesão.
_Safado brincava com meu grelo e lambia os dedos.
_Hum que delicia este mel minha safadinha sabia que você não estava se aguentando perto de mim sem poder transar.
Acredita que fodi ontem tua filha lembrando de tua xoxota quente!
Ela é muito gostosa mais ainda não é safada como eu gosto você sim é uma puta safada, tem relações sexuais deixando qualquer macho satisfeito.
-Hum...Que delicia de xoxota quente e gulosa.
-Rebola nos meus dedos puta vai... Quero sentir teu gozo escorrendo pela minha mão ...
-Aí delicia, que mel gostoso.
-Não aguentei e comecei a gozar enlouquecida com seus dedos acariciando meu clitóris.
-Aí já sabe não deu outra Diogo tirou sua roupa e com cacete rígido como um porrete começou a meter gostoso na minha xoxota gozada.
Pois fiquei super molhadinha com meu gozo.
Começamos na posição de frango assado ali no chão do banheiro.
Diogo metia com movimentos compassados.
Seus gemidos pareciam que ecoavam pela casa.
Claro que estava muito gostoso senti seu porrete afundar na minha xoxota, mas não queria logo o seu gozo queria explorar de seu tesão ao máximo.
Ele metia eu rebolava sempre segurando com as pernas em sua cintura.
Tinha momento que até pensava que ia meter até os culhões.
Diogo tinha um cacete de tamanho mediano, mas o que aumentava o tesão era cabeçorra grande até parecia um cogumelo gigante de puro nervo.
_Uma delicia o senti atochando com movimentos acelerados.
-Já tínhamos uns dez minutos.
- E a foda transcorria solta.
-Quando anunciou o seu gozo.
-Ah Minha putinha num aguento mais vou te encher de leite.
-Quer onde minha sogrinha safada?
Como animais no cio rapidamente Diogo tirou o cacete de minha xoxota e enfiou na minha boca.
Estava lambuzado de nossos fluidos.
Cheiro adocicado de sexo.
Misturava-se a minha saliva.
Estávamos cheios de excitação
E em um momento de intenso êxtase fechei os olhos e comecei sugar sua seiva.
-Quanto mais eu chupava mais Diogo gozava intensamente dando gemidos alto feito um animal felino em pleno êxtase do cio.
-Diogo sabia despertar meu lado profano.
-Chupava com tanta vontade que só tirei aquele mastro lindo da boca quando não tinha mais nem uma gota de sêmen.
-Com um sorriso nos lábios lhe disse... Querido não pode deixar desperdiçar deste precioso leitinho.
E com sabor de porra nos lábios nos beijamos com fervor.
Diogo não se abalava nem parecia que tinha acabado de gozar seu cacete já estava rígido e entramos no chuveiro e com nossos corpos molhados recomeçamos a transar.
-Coloquei-me de costas ficando com as mãos na parede senti Diogo me penetrando com muita força e vigor.
Puxava meus cabelos como se fosse um apoio a cada investida um gemido de prazer e em pouco tempo a explosão mutua de prazer.
Senti seus espasmos explodindo no colo de meu útero.
Passou alguns minutos e com respirações ofegantes ficamos abraçados com palavras de excitação e imensa paixão.
Ah meu querido genro uma pena que não o conheci em outro tempo onde nossas vidas pudessem ser vividas com intensa paixão.
Mas fazer o que não é.
Genro é como se fosse parte da família.
-Enquanto pudermos desfrutar de momentos felizes com certeza que faremos.
Mas mudando de assunto deixe-me relaxar um pouquinho que ainda temos uma tarde de muita transa e como Diogo é safado tenho certeza que não vai dispensar meu rabinho.
Mas fazer o que é tão gostoso sentir seu cacete atochado no meu rabo.
Que nem dou importância ao ardor que sinto quando a cabeçorra passa alargando minhas pregas.
Mas que é uma delicia isto jamais poderei negar.

Docecomomel(hgata)
Imagem do google
Vejam meus blogs.
Seja meu amigo:
www.feirabook.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...